Oceanos, serviços e importância, hora de conhecê-los

1
1996
views

Oceanos, serviços e importância, o mais importante ecossistema da Terra, hora de conhecê-los

A cada vez que você respira, deveria agradecer aos Oceanos.  O processo acontece através da fotossíntese produzida pelo estoque de fitoplâncton, algas minúsculas que raramente enxergamos. Sua massa  é muito menor do que a das plantas continentais. Ainda assim,  todos os anos as algas levam para o fundo dos oceanos 50 bilhões de toneladas de dióxido de carbono (em parte produzidos por nossos carros…), gás causador do efeito estufa. O dióxido de carbono é  transformado em matéria orgânica. Oceanos, serviços e importância, hora de conhecê-los melhor.

imagem dos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância. (Foto: wikipedia)

Geração de vida no planeta Terra

Ela surgiu primeiramente no mar. Aos poucos as criaturas marinhas foram se modificando, se adaptando à vida nos continentes. Mas foi o ‘imenso e possível oceano’ que, pela primeira vez, gerou vida no planeta.

Serviços: fornecimento de oxigênio para que respiremos

Ao produzir a fotossíntese, as algas retiram da atmosfera o dióxido de carbono e o depositam no fundo do mar, evitando que se acumulem na atmosfera acirrando o aquecimento globalRelatório, com o sugestivo nome, “O planeta está em uma encruzilhada”, apresentado durante o Congresso Mundial da Conservação- 2016, Havaí, diz que…

desde 1970 os oceanos absorveram 93% do calor causado pelos gases do efeito estufa

O mesmo relatório informa que…

 …não fosse por este serviço,a Terra teria aquecido em mais 36ºC…

Sylvia Earle, em seu A Terra é Azul, explica: ” A maior parte da ação se inicia com a luz solar. Ela é convertida em açúcares simples e oxigênio nas células de trilhões de organismos microscópicos mundiais de clorofila, dióxido de carbono e água. Dessa forma, uma quantidade expressiva de dióxido de carbono fica retida nos oceanos. Enquanto isso, grandes proporções de oxigênio são devolvidos à atmosfera.”…E prossegue: “Um tipo de cianobactéria conhecido como Prochlorococcus é tão abundante (cerca de 100 octilhões vivas neste momento) que, sozinho, é responsável por cerca de 20% do oxigênio atmosférico. Outros fotossintetizantes marinhos contribuem com mais de 50% do nosso oxigênio. Teríamos dificuldade para respirar se dependêssemos apenas de árvores, grama e outras plantas de terra firme.”

Oceanos regulam o clima na Terra

Os oceanos regulam o clima na Terra através da interação entre as correntes marinhas e a atmosfera. O site nationalgeographic.org diz que “fluxos de massa de água, ou correntes, são essenciais para entender como a energia de calor se move entre os corpos de água da Terra, massas terrestres e atmosfera. O oceano cobre 71 por cento do planeta e contém 97 por cento de sua água, tornando o oceano um fator chave no armazenamento e transferência de energia térmica em todo o mundo. O movimento desse calor através das correntes oceânicas locais e globais afeta a regulação das condições climáticas locais e extremos de temperatura.”

As correntes marinhas têm papel fundamental

As correntes oceânicas estão localizadas na superfície. E também em águas profundas abaixo de 300 metros. Elas podem mover a água horizontalmente e verticalmente e ocorrem em escalas locais e globais. O oceano tem um sistema interligado de corrente ou circulação, alimentado pelo vento, marés,  rotação da Terra (efeito Coriolis), pelo Sol (energia solar) e as diferenças de densidade da água. A topografia e a forma das bacias oceânicas e das massas de terra próximas também influenciam as correntes.

O livro Amazônia Azul resume: “O oceano é uma enorme máquina térmica. O Sol aquece nas zonas tropicais e o calor armazenado na água é restituído à atmosfera nas latitudes mais elevadas (polos) estabelecido um equilíbrio térmico.”

Onde fica a água no planeta Terra?

Você já reparou que a NASA, ao estudar um planeta para o qual pretende enviar alguma nave, a primeira coisa que faz é identificar se o astro tem água? Por quê? Porque sem água não há vida. O único planeta até agora descoberto, que tem água em abundância em estado líquido, é a Terra. Talvez isso explique por que a vida só foi descoberta neste mesmo planeta.

‘Oceanos retêm 97% da água da Terra, sem o ‘Azul não teria o Verde’

Mais uma vez recorremos à Sylvia Earle: ” Os oceanos retém 97% da água da Terra e abriga 97% de sua biosfera. O mar controla a química do planeta, lançando na atmosfera a mesma água que voltará para a terra e para o mar através da chuva, da neve, e do granizo, reabastecendo continuamente rios, lagos e aquíferos subterrâneos.” Ela conclui: “sem o azul não haveria o verde.”

A ‘economia’ dos oceanos: US$ 3 trilhões até 2030

consultor chefe do Reino Unido, Mark Walport, aponta  oportunidades na exploração da  “economia do oceano”, mercado que deve dobrar de tamanho, para US$ 3 trilhões (R$ 9,9 trilhões), até 2030. O relatório mostra a necessidade do mundo  ter o mesmo ânimo que demonstrou na exploração de Marte ou da Lua, só que, neste caso, para explorar os oceanos.

Oceanos do mundo e valor estimado US$ 24 trilhões!

O site do telegraph.co.uk/ diz que “os oceanos do mundo têm um valor monetário estimado de US $ 24 trilhões, de acordo com um novo relatório. Se os oceanos fossem uma nação, eles constituiriam a sétima maior economia do mundo, ficando atrás apenas da Grã-Bretanha, mas à frente de países como Brasil, Rússia e Índia, disse a WWF.

Empregos gerados diretamente pelos oceanos

No Índice de Saúde do Oceano, os Empregos Marinhos abrangem meios de subsistência dependentes da costa. Embora o objetivo  inclua nove setores marinhos diferentes, o componente de empregos marítimos examina apenas 5 deles: 1) Turismo 2) Energia das Ondas e das Marés 3) Maricultura 4) Observação de Mamíferos Marinhos e 5) Pesca.

O turismo é o número 1

O turismo marítimo e costeiro compõe o maior segmento da indústria mundial de turismo e viagens,  é responsável por mais de 200 milhões de empregos em todo o mundo

O turismo cresceu de 6% a 8% ao ano desde 1985, e mais rápido nos países menos desenvolvidos (PMDs).  É a principal fonte de ganhos em moeda estrangeira em 46 dos 49 países menos desenvolvidos. (Mel e Krantz, 2007; CREST, 2009).

ilustração com empregos gerados pelos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância

O oceanwealth.org/ diz que os recifes de corais são o exemplo do turismo baseado na natureza. Mais de 350 milhões de pessoas viajam anualmente para as costas dos recifes de corais do mundo

Turismo de observação

O interesse pela megafauna marinha, como tubarões, baleias, golfinhos e tartarugas, cresceu. Enquanto alguns destes animais ainda são caçados, o seu valor para os pescadores é ofuscado pelo seu valor potencial na indústria do turismo quando estão vivos. Estima-se que cerca de 600.000 pessoas gastem mais de US$ 300 milhões anualmente para ver tubarões, garantindo cerca de 10.000 empregos em todo o mundo.  Em Palau, por exemplo, uma população estimada de 100 tubarões está apoiando US $ 18 milhões em tubarões por ano.

Alguns dados de turismo marinho:

ilustração de atividades turística e empregos gerados dos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância: algumas atividades turística e empregos gerados

A dependência humana do mangue; da indústria da pesca; a produtividade dos corais; e das gramas marinhas:

Ilustração da dependência humana de ecossistema marinhos dos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância: produtividade de alguns habitats

A estocagem de dióxido de carbono por ecossistema marinho, mais um serviço prestado:

ilustração da estocagem de dióxido de carbono por ecossistema dos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância: a estocagem de dióxido de carbono

Mais um serviço: a defesa da costa por ecossistema marinho:

ilustração a defesa da costa por ecossistema marinho dos Oceanos, serviços e importância
Oceanos, serviços e importância

Oceanos: nova fronteira da economia mundial

De acordo com a OCDEpara muitos o oceano é a nova fronteira da economia. Ela abrange os setores de transportes marítimos, energia eólica, pesca, biotecnologia marinha, recursos naturais e sistêmicos. Cálculos preliminares computados na Base de dados sobre a Enocomia dos Oceanos, da OCDE, estimam a produção em 2010 em US$ 1,5 trilhões, ou seja, aproximadamente 2,5% do valor  bruto mundial. O petróleo e o gás offshore representam um terço do valor total dos setores de atividades relacionados ao oceano, seguidos do turismo marítimo e costeiro, equipamento marítimo e portos. O emprego direto acrescentou cerca de 31 milhões de postos de trabalho em 2010. Os maiores empregadores foram a pesca industrial com mais de um terço do total.

Dados da FAO: a subsistência humana e os oceanos

A FAO estima que a pesca e a aquicultura asseguram a subsistência de 10 a 12% da população mundial, com mais de 90% das pessoas empregadas pela pesca de captura trabalhando em operações de pequena escala nos países em desenvolvimento. Em 2014, a pesca produziu cerca de 167 milhões de toneladas de peixe e gerou mais de US $ 148 bilhões em exportações, garantindo acesso à nutrição para bilhões de pessoas e representando 17% do total de proteína animal global – ainda mais em países pobres.

Extração mineral nos Oceanos

Embora seja uma atividade híper impactante, destruindo o subsolo marinho, ela vem crescendo. A tendência no futuro breve é que aumente exponencialmente. Basta lembrar que, em  2010, havia mais de 620 plataformas móveis de perfuração  de petróleo offshore no mundo (fonte: wikipedia.org). Mas ainda há gás. Só na “Zona Clarion-Clipperton, acredita-se haver mais de 27 bilhões de toneladas de nódulos, contendo sete bilhões de toneladas de manganês, 340 milhões de toneladas de níquel, 290 milhões de toneladas de cobre e 78 milhões de toneladas de cobalto.” Muitos destes minerais já vêm sendo explorados, embora a tecnologia seja rude, e potencialmente perigosa.

A indústria e os sulfetos maciços

Mas agora a indústria está focando na extração de sulfetos maciços (SMS) do fundo do mar contidos no que são chamados ‘black smokers’, um tipo de fonte hidrotermal. São estruturas  semelhantes a chaminés que emitem uma nuvem de material preto e partículas com altos níveis de sulfetos, como cobre, zinco, chumbo, prata e ouro ( mining-technology.com). Felizmente ainda não há tecnologia para explorar as chaminés profundas, situadas em média a 4 mil metros de profundidade. Mas que virão, é questão de tempo. Chegará o dia que serão exploradas como os diamantes, cascalho e areia são extraídos das águas costeiras durante décadas (worldoceanreview.com).

Outro serviço: produção de energia

Há várias formas para se produzir energia no mar. Entre elas as usinas de marés, os campos eólicos no mar e, infelizmente, na zona costeira. E ainda há usinas aproveitando as  correntes marinhas. Geradas a partir de uma combinação de temperatura, vento, salinidade, batimetria e rotação da Terra. O Sol age como a principal força motriz, causando ventos e diferenças de temperatura. Podem ser locais adequados para a implantação de dispositivos de extração de energia, como turbinas. e outras. A última coqueluche é a energia provida pelas ondas.

Oceanos, serviços e importância: veja como funciona a geração de energia pelas ondas

Pesca

Ela é citada em vários tópicos da matéria. Não avançamos mais porque está claro que, apesar dos empregos gerados, e da proteína que alimenta milhões de pessoas, a pesca do modo que é praticada hoje é  a maior ameaça à vida nos oceanos. Mas não deixa de ser mais um importante serviço prestado desde tempos imemoriais. Hoje, até mesmo o alto- mar não é poupado. De atividade sustentável no passado, passou a ser totalmente insustentável a ponto dos subsídios mundiais à atividade atingirem  a estratosférica soma de US$ 35 bilhões de dólares.

A cura de doenças

Este é um campo de estudos  ainda recente. Mesmo assim muitas espécies são estudadas para a cura de doenças. Ela pode vir de um simples tubarão (osteoporose), ou de outros organismos, como escamas de peixes. Muitas doenças como a AIDS, leucemia, e herpes já usam organismos marinhos sintetizados em suas fórmulas. A Organização Mundial da Saúde revela que os já conhecidos antibióticos não têm mais efeitos. A substituição pode vir do mar.

Fontes: https://read.oecd-ilibrary.org/economics/the-ocean-economy-in-2030/summary/portuguese_12a6c953-pt#page1;http://www.worldbank.org/en/topic/environment/brief/oceans; https://www.telegraph.co.uk/news/earth/environment/11558558/Oceans-are-worlds-seventh-largest-economy-worth-trillions.html; https://oceanwealth.org/ecosystem-services/recreation-tourism/; https://en.wikipedia.org/wiki/Offshore_drilling; http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas—Rede-Ametista/Canal-Escola/Recursos-Minerais-do-Fundo-do-Mar-2560.html; https://www.mining-technology.com/features/feature118480/; ps://worldoceanreview.com/wp-content/downloads/wor3/WOR3_chapter_2.pdf.

Sea Shepherd, conheça a história desta ONG

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here