O resgate do Mar Sem Fim

13
15899
views

O barco afundado na Antártida, que viralizou na internet associado a um dos “locais mais abandonados do mundo”, agora é apresentado em emocionante documentário

O trawler Mar Sem Fim naufragou na Antártica, ilha Rei George, em abril de 2012.  O acidente aconteceu por vários motivos, entre os quais, falha nas preparação do barco, e condições climáticas extremamente adversas. O assunto rendeu inúmeros posts neste site, e até mesmo um livro. Por este motivo, não entramos em minúcias neste texto.

Pouco tempo depois, o casco congelou, como tudo na Antártica. Foram meses de angústia. Como seria ao descongelar? E para além da dúvida, restou uma dívida com a comunidade científica mundial.

A Antártica é regida pelo Tratado da Antártica  firmado em dezembro de 1959, que entrou em vigor  em 1961. Em  1975, o Brasil aderiu. O continente foi consagrado à pesquisa. Entre outras, o Tratado da Antártica assegura que tudo que não for originalmente do continente, deve ser removido. Seja um palito de fósforo, ou um barco de 70 toneladas. Por isso, é uma satisfação disponibilizar  à comunidade, ‘O resgate do Mar Sem Fim‘.

Um ano depois do naufrágio, no verão 2012-2013, o barco foi resgatado.

Foram mais de 40 dias de muito trabalho, e um duro aprendizado. Tirar um barco com cerca de 23 metros, e 70 toneladas (quando carregado)  do fundo mar, não é tarefa fácil. Mas o Mar Sem Fim aos poucos desgrudou do leito marinho a 12 metros de profundidade, e veio à tona sem derramar um pingo de diesel conforme você verá.

O documentário mostra a faina para trazer o Mar Sem Fim de volta à América do Sul.

Conheça a história de Roald Amundsen, o primeiro a chegar aos dois polos

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

13 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns João, ótimo documentário, principalmente porque mostra ao mundo que você é um Brasileiros responsável e correto, determinados a seguir as regras que todos seguem.
    Penso que ficaria muio legal na telona do cinema.
    abs,
    Sergio

  2. Parabéns pela atitude altiva e honrada em resgatar esse belo e valoroso barco. Além de tudo, deixa clara a responsabilidade pela manutenção das condições ambientais, na esteira das convenções internacionais para a área. Por outro prisma, sua emoção ao vê-lo emergir e, depois, partir flutuando, conduzido pelo rebocador é contagiante e próprio de uma pessoa de extrema sensibilidade, pelo que, também, te parabenizo. Por derradeiro, me toca perguntar: o Mar Sem Fim voltará a navegar? Em que condições está? Quem sabe, um dia, ainda tenho a oportunidade, agora aguçada, de ver esse belo barco de perto?! Meus cumprimentos.

  3. Que resgate emocionante; não conhecia seu trabalho; apesar do medo, sou uma amante do Mar, admiro todos os corajosos que nele se embrenham. Está história nos ensina uma lição e nos mostra um exemplo de companheirismo, cumplicidade e profissionalismo. Quem dera o mundo “funcionasse” como uma Antártica. Parabéns marinheiro, cumpriu sua missão; em breve terá outro amigo, similar ao “Mar sem fim”. Admirável coragem, sua e de toda a equipe! Parabéns! Muita emoção!

  4. Pelo vídro não dá pra imaginar o frio e as dificuldades. Parabéns pelo resgste,. Vsle pra ssber que na vida a gente tb tem tombos e naufrágios, O mérito é sobreviver a essas coisas

  5. Fantástico e emocionante! Sempre acompanhei seus programas Mar Sem Fim, sobretudo na TV Cultura, suas viagens pelo litoral brasileiro ensinado-nos, sempre com muito didatismo a importância da preservação na natureza! Lembro-me bem das notícias do naufrágio mas só hoje ao ver o vídeo compreendi exatamente o que aconteceu! É conhecida a união das pessoas que estão nas bases dos países na Antártida assim como a união e as ajudas mútuas dos que navegam pelos mares. Fico feliz em saber que tudo deu certo e pergunto: onde e como está o Mar Sem Fim hoje? Abraços

  6. Emocionante relato.
    Se de um lado há a tristeza pelo naufrágio e a sofrida recuperação de um grande amigo, por outro lado, surge o apoio, a amizade e a colaboração entre tantas pessoas de diferentes nacionalidades.
    Quem dera o mundo todo fosse uma grande Antártica, as coisas seriam tão melhores…

  7. Que beleza! Assisti o video ansiosa. Parabens, Fernão. Que a vida lhe seja generosa e que possamos continuar a participar, de alguma forma, de seus sonhos desbravadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here