Geleiras da Ilha Nelson, Shetlands do Sul, Antártica

3
1375
views

Geleiras da Ilha Nelson, Shetlands do Sul, Antártica

Geleiras da Ilha Nelson: o resgate do Mar Sem Fim foi realizado no Verão 2012 – 2013. Recorro ao diário de bordo para relembrar. Era o dia 17 de janeiro de 2013:” às 10 horas da manhã de ontem, pontualmente, o Felinto Perry  “suspendeu” de Punta Arenas.

Geleiras da Ilha Nelson, imagem do navio polar Ary Rongel
O navio polar brasileiro Ary Rongel

“O dia estava bonito, com sol, algumas nuvens e não muito frio. Iniciamos a descida pelo Estreito de Magalhães. Um par de milhas para baixo saímos do canal principal, que leva ao Pacífico, e entramos por outros, menores, adjacentes que, através de um labirinto de ilhas montanhosas, repletas de geleiras milenares, acabam por desembocar muitas milhas abaixo, no Canal de Beagle, porta de entrada e saída para a Antártica”.

A bordo do Felinto Perry

Atravessando o Drake escrevi: “estou dividindo uma cabine com “don” Francisco Ayarza, dono da empresa Nautilus, que contratei para reflutuar o Mar Sem Fim”.

“Uma figura: 79 anos (vai fazer oitenta a bordo, dia 30/1), barba rala e porte elegante. Ele lembra a figura do capitão Hadock, dos livros de Tim Tim. Não fosse a barba branca, eu diria que era uma cópia do capitão dos quadrinhos. Mas, ao contrário, é uma flor de pessoa. Amável, refinado e, sobretudo, calmo”.

“Começou a mergulhar nos anos 50, trabalhando em plataformas de petróleo na região do estreito de Magalhães. Quando este minguou, especializou-se em recuperar naufrágios”.

20 de janeiro de 2013

Ainda o diário de bordo: “às sete da manhã avistamos Rei George, distante 6 a 7 milhas. E tivemos mais uma boa notícia: o sol apareceu pela primeira vez! A Antártica, com sol, é o paraíso dos fotógrafos e cinegrafistas. As cores ganham intensidade; os contornos, nitidez. O ar limpo aumenta o campo de visão. E a  paisagem belíssima se destaca. Surpreende. O conjunto é de arrepiar”.

Chegada: o trabalho depende do tempo

Quando o tempo está bom todos seguimos para o local do naufrágio. Quando não está, aproveitamos para passear. Foi assim que visitamos as geleiras da Ilha Nelson.

Passeio que fizemos até a Ilha Nelson, em 4 de fevereiro 2013, durante um descanso nos trabalhos de resgate do mar Sem Fim.

Naufrágio do Mar Sem Fim dramático demais

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here