Escama de peixe cura ferimentos leves

0
5497
views

Escama de peixe cura ferimentos leves

Escama de peixe cura ferimentos: uma descoberta que pode revolucionar! Colágeno presente na escama de peixe cura ferimentos leves na pele humana.

Escama de peixe cura ferimentos, imagem de peixe

Escama de peixe cura ferimentos leves

Nada de band-aid ou remédios tradicionais. A escama de peixe pode ser o futuro da cura de feridas na pele humana.

Cientistas da Jiaotong University School of Medicine, na China, afirmam que o colágeno presente no revestimento de peixes pode ser uma forma mais rápida para curar a pele de ferimentos superficiais.

Extraindo colágeno de tilápias

A equipe de cientistas extraiu colágeno de tilápias e criou uma espécie de esponja com nanofibras desse material.

PUBLICIDADE

Testado em ratos, o método mostrou alta capacidade de auxílio na regeneração da pele. Garante um tratamento mais rápido e sem rejeição por parte do organismo das cobaias.

O material mostrou-se ainda estável em temperatura ambiente. Assim são os fármacos marinhos, descobertos aos poucos, e revolucionando a medicina.

O estudo Biodiversidade: Fonte Potencial para a Descoberta de Fármacos, do professor Eliezer Barreiro (Departamento de Fármacos, Universidade Federal do Rio de Janeiro) diz que

A maioria dos fármacos em uso clínico ou são de origem natural ou foram desenvolvidos por síntese química planejada a partir de produtos naturais. Segundo estimativas da Convenção da Diversidade Biológica (CDB), o Brasil hospeda entre 15 e 20% de toda a biodiversidade mundial. É  considerada a maior do planeta em número de espécies endêmicas. Remédios vitoriosos contra a psoríasis; um inibidor irreversível de fosfolipase; o combate ao Herpes e a AIDS; todos foram sintetizados a partir de organismos marinhos.

Colágeno acelera crescimento celular

A ideia por trás da técnica é criar uma espécie de camada de colágeno que acelere o crescimento celular. E a produção de novas proteínas no local da ferida.

Por enquanto estão sendo feitos testes apenas em animais de pequeno porte. O material ainda está longe da produção em escala comercial.

Pecuária na Amazônia, 46% dos abates são da região

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here