Praias limpas na maior parte do País no verão de 2020

1
4510
views

Praias limpas? Saiba como estão no verão de 2020

Verão e milhões de brasileiros só pensam em uma coisa: praias limpas. Mas a estação nem bem começou e algumas das cidades litorâneas mais frequentadas por turistas já apresentam praias com condições pouco favoráveis a banhos de mar. Um dos grandes problemas do país, a falta de saneamento básico, reflete diretamente nos mapas de balneabilidade do litoral brasileiro. O mar, infelizmente, ainda é o lugar de despejo de boa parte do esgoto sem tratamento gerado nos municípios litorâneos.

Além disso, há o óleo de origem desconhecida, mesmo após mais de quatro meses do início do derramamento no Nordeste. Ele ainda contamina parte significativa das praias brasileiras. A boa notícia é que, apesar de tudo isso, ainda tem muita praia limpa para se refrescar neste verão.

imagem de praia em Alagoas
Praias limpas no Nordeste.

Óleo no litoral: 527 praias limpas, sem vestígios

O óleo, que também já atingiu o Espírito Santo e o litoral norte do Rio de Janeiro, afetou praias de 130 cidades, de 11 estados (Saiba mais). Ao todo, 988 localidades foram afetadas até 3 de janeiro de 2020. Diz o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O número inclui vários trechos de determinadas praias. Por isso, o alto volume. Dessas localidades, 527 já são consideradas praias limpas. Ou seja, sem vestígios de óleo.

imagem de praia no Ceará.
Ceará.

Os estados que apresentam mais localidades com vestígios de óleo são: Bahia (225), Espírito Santo (57), Alagoas (62), Sergipe (49), Maranhão (27), Pernambuco (18), Ceará (10), Rio Grande do Norte (9) e Piauí (8).

Praias limpas em São Paulo, bandeira verde prevalece

Esse mapa do Ibama, portanto, mostra que tem muita praia boa na região nordestina neste verão. Mas quem prefere não arriscar precisa ficar de olho também na balneabilidade das praias em outras regiões do País.  Em São Paulo, a bandeira verde, que indica praia própria para banho, prevalece. É o que mostra o último boletim da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). A empresa faz medições de balneabilidade das praias semanalmente. As condições são impróprias quando existe uma concentração acima do limite tolerável de bactérias fecais na água do mar.

São Paulo, 11 praias impróprias

Assim, já é possível verificar ao menos 11 localidades no litoral paulista em condições impróprias para banho, segundo o boletim. Foram monitoradas 177 praias ou localidades (uma praia pode ter mais de uma localidade) nesse boletim, entre Ubatuba e Ilha Comprida. Em Caraguatatuba, apenas Indaiá está imprópria, das quinze localidades medidas. Já em São Sebastião pode cair no mar à vontade. Bandeira verde em todas as praias.

De Santos a Ilha Bela

As cidades do litoral paulista mais preocupantes no quesito balneabilidade são Mongaguá e São Vicente. Em Mongaguá, quatro das sete praias monitoradas estão boas para banho. A bandeira vermelha está hasteada nas praias Vera Cruz, Agenor de Campos e Flórida Mirim. Em São Vicente, duas praias estão impróprias, das seis analisadas: Divisa e Milionários. Praia Grande tem apenas a praia Maracanã com bandeira vermelha. Nas outras onze, pode se jogar.

Em Santos, não dá praia no trecho em frente à Rua Olavo Bilac da José Menino. No Guarujá, em Perequê também não dá. Itaquanduba deve ser evitada em Ilha Bela. Está imprópria para banho de mar. Bem como Itaguá, em Ubatuba, no trecho final da Avenida Leovegildo D. Vieira.

Turismo pressiona qualidade das praias

Até o fim do verão, a bandeira vermelha deverá ser mais hasteada. A Cetesb diz que mais gente nas praias paulistas nesse período pressiona a qualidade da água do mar. Isso por causa, principalmente, do aumento proporcional na geração de esgoto. Conforme a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a cobertura de esgotamento sanitário é projetada, entretanto, para atender picos de consumo. Ela pode absorver 1,5 vez o consumo de água. O dado é referente à Baixada Santista, que abrange nove cidades, de Peruíbe a Bertioga.

imagem da praia de Búzios, Rio Grande do Norte.
Búzios, Rio Grande do Norte.

Baixada Santista, avanço em saneamento básico

Atualmente, a Baixada Santista tem uma das melhores coberturas de coleta e tratamento de esgoto do País, com média de 80% (Santos é uma das referências nacionais). Santos é a mais avançada da região com quase 99%. Já Itanhaém e Bertioga, as mais atrasadas, em torno de 60%. “Vamos passar da média de 95% até 2030”, diz Sergio Bekerman, superintendente da unidade de negócios Baixada Santista da Sabesp. Em 2019, o governo do Estado de São Paulo anunciou uma nova fase do Programa Onda Limpa, com investimento total de R$ 1,9 bilhão, sendo R$ 1,4 bilhão até 2023. Quando o projeto começou, em 2007, a cobertura média de coleta e tratamento de esgoto na região mal ultrapassava os 50%.

Vai dar praia, mas vai ter água potável?

A universalização de coleta e tratamento de esgoto na Baixada Santista, ou seja, 100%, contudo, depende de regularização fundiária. “Hoje ainda existem milhares de pessoas vivendo em palafitas. Principalmente, em São Vicente, Guarujá e Santos. Sem regularização, os serviços da Sabesp não chegam a essas residências”, afirma Bekerman. Se esgoto ainda é um problema, o executivo ressalta que água potável não faltará neste verão. A falta de água é outro problema que costuma estragar as férias de turistas e veranistas. Mas agora, com a aprovação do novo marco regulatório, o saneamento tende a melhorar.

Doria estima aumento no turismo

O governador de São Paulo, João Doria, também garante que terá água em todo o litoral paulista. Doria espera crescimento do turismo por causa do derramamento de óleo, que não chegou ao Estado. E também por conta do aquecimento na economia, disse. A Sabesp, ele anunciou, investiu mais de R$ 250 milhões, em 2019, para melhorar o sistema de abastecimento na Baixada Santista e no Litoral Norte. Na Baixada, foram mais de R$ 237 milhões, ressalta Bekerman.

Baixada Santista, dobra a população no verão

Entre as obras, quase 52 novos quilômetros de tubulações de água e esgoto. Uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA) em Peruíbe e o Centro de Reservação ETA Guaraú. “Teremos ainda 600 funcionários de plantão 24 horas por dia para atender a demanda maior na alta temporada”, observa Bekerman. Ele estima alta entre 10% e 15% no fluxo de turistas na Baixada Santista. A região tem 1,8 milhão de habitantes, volume que quase dobra na virada do ano. Por isso, o governador também anunciou que a segurança e o atendimento à saúde serão reforçados durante toda a temporada.

Rio de Janeiro, praias limpas em várias regiões

Na capital do Rio de Janeiro, a bandeira verde prevalece. Praias limpas neste início de verão em 32 das 37 monitoradas. As impróprias para banho são Flamengo, Botafogo e um trecho da São Conrado. Em Angra dos Reis, fique longe de três praias: Jacueganga, Frade e Itinga. Em Búzios, pode se jogar na água, pois ela está boa em todas as praias. Já em Arraial do Cabo, cuidado na Prainha, Figueira e Monte Alto. Estão impróprias. Em Cabo Frio, fuja das praias Siqueira e Palmeira pelo mesmo motivo.

imagem do Morro Dois Irmãos, Rio e Janeiro
Litoral limpo no Rio de Janeiro.

As informações são do site praialimpa.net, onde é possível encontrar um panorama completo da balneabilidade em 266 pontos monitorados no Estado. A bandeira está verde na maioria, segundo o último boletim. Um pouco mais de 20% das praias estão impróprias.

Praias limpas em Santa Catarina, bandeira verde predomina

Neste começo de verão, a bandeira verde também predomina no litoral catarinense: está hasteada em 71% dos pontos monitorados, mostra o último boletim. Ele indica, entretanto, que a balneabilidade piorou no Estado. No monitoramento anterior, mais de 80% das praias analisadas estavam próprias para banhos. Florianópolis, São Francisco do Sul, Barra Velha, Itapema, Governador Celso Ramos, Palhoça, Navegantes e Penha são as cidades que apresentam mais trechos de praias impróprios para banhos. A bandeira vermelha é menos vista em Garopaba, Bombinhas e Balneário Camboriú.

imagem de praia em Santa Catarina
Santa Catarina

As informações também são do site praialimpa.net, baseadas em dados do Instituto do Meio Ambiente (IMA). Acesse e obtenha boletins atualizados antes de escolher um destino em Santa Catarina.

Santa Catarina, investimento em água e esgoto

Segundo a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), foram investidos R$ 46,8 milhões no sistema de abastecimento e de esgotamento sanitário, em 2019. O objetivo é atender o aumento previsto para a alta temporada. “A maior parte dos investimentos – quase 70% – está concentrada na Região Metropolitana, que recebe o maior número de visitantes no período de verão”, afirma nota da empresa. Os recursos foram direcionados à implantação de reservatórios, ETAS, implantação de emissários e reforço de equipes, entre os principais.

Água potável, economize sempre

Os gestores públicos afirmam, e com razão, que sem a colaboração dos turistas não há investimento que salve uma boa temporada. Não desperdice água é o recado deles. “Tem muito turista que a primeira coisa que faz quando chega é lavar o carro. Também gostam de limpar a calçada varrendo com esguicho de mangueira”, diz Bekerman, da Sabesp. Bem feio isso, senhor turista. É preciso economizar água potável em qualquer lugar do mundo. Não apenas na sua cidade.

Lixo, o problema é de todos os cidadãos

Outra reclamação recorrente de moradores de municípios litorâneos é o lixo que os turistas produzem. E, pior, espalham. O lixo ainda é um problema no País. A maior parte das cidades litorâneas ainda não suporta o aumento da população no verão. Então, não custa colaborar. Não descarte lixo em qualquer lugar, especialmente nas praias porque vai parar nos oceanos. Lembre-se das imagens das praias onde houve a virada do ano, um descalabro. E causar um mal danado à vida marinha e para a própria alimentação humana, que depende bastante de peixes e frutos do mar. Se não há lixeiras nas ruas em número suficiente, leve o lixo até um lugar apropriado. É um horror sujar a casa dos outros.

Fontes: https://www.ibama.gov.br/phocadownload/emergenciasambientais/2020/manchasdeoleo/2020-01-03_LOCALIDADES_AFETADAS.pdf; https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/verao/2020/noticia/2020/01/04/balneabilidade-em-sc-tem-71percent-dos-pontos-estao-proprios-para-banho.ghtml; https://www.atribuna.com.br/cidades/mais-de-60-praias-da-baixada-santista-est%C3%A3o-pr%C3%B3prias-para-banho-1.82480; https://www.abcdoabc.com.br/abc/noticia/investimentos-sabesp-litoral-somam-mais-r-250-milhoes-beneficiam-alta-temporada-94230; http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/litoral-de-sao-paulo-ganha-reforco-policial-e-mais-verba-para-saude-2/; https://qualipraia.cetesb.sp.gov.br/qualidade-da-praia/; https://praialimpa.net/; https://www.casan.com.br/noticia/index/url/casan-apresenta-investimentos-para-a-temporada-2019-2020#0.

Caravelas-portuguesas: lindas, mas podem matar

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here