Sylvia Earle na Fiesp, palestra traduzida, assista

6
501
views

Sylvia Earle na Fiesp, em 5 de março, 2018, palestra traduzida, veja o que diz sobre os oceanos a primeira Heroína pelo Planeta

Dra. Sylvia Earle, nascida em 30 de agosto de 1935 em Nova Jersey, está com 82 anos. É bióloga marinha, exploradora, autora de mais de 150 trabalhos científicos e vários livros. Ao longo de sua carreira pesquisou micróbios, geoquímica oceânica, sedimentos, design submarino, derrames de petróleo, pesca, poluição, e a criação de santuários marinhos. Sylvia Earle na Fiesp falou sobre o drama marinho.

imagem de Sylvia Earle na Fiesp

Um vida apaixonante debaixo do mar

Foi a primeira mulher nomeada cientista chefe da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional, NOAA (1990- 1992). A instituição, que faz parte do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, cuja missão “abrange da superfície, até as profundezas dos oceanos.”

Previsão de tempo, pesquisas sobre o clima, cuidar do litoral e das áreas de pesca, produção de cartas náuticas, aviação marinha, satélites para estudarem o mar, são algumas das atribuições da NOAA.

imagem de Sylvia Earle
Foto: serasaexperian.com.br

Pediu demissão ao sugerir ao governo americano regras mais rígidas para a pesca. Sua sugestão não foi aceita, como sempre por medo de desemprego. Desde 1998 é exploradora em residência da National Geographic. Foi nomeada pela Time Magazine “a primeira Heroína do planeta” em 1998.

Sylvia, chamada carinhosamente “Her Deepness”, é considerada a maior referência mundial sobre a exploração dos oceanos e a dramática situação da vida marinha.

Coerente, aboliu de sua dieta qualquer alimento vindo do mar.

Mais de sete mil horas debaixo d’água

Sylvia conhece todos os  oceanos. Ela registrou mais de 7000 mil horas submersas. Tem recordes de mergulho, prêmios e medalhas de instituições científicas de todo o mundo.

‘Missão Azul’

Agora lidera o projeto ‘Missão Azul’. Ele visa inspirar o surgimento da conscientização pública, além de acesso e suporte para uma rede mundial de áreas  marinhas protegidas chamadas ‘pontos de esperança’. Essas manchas de esperança, na opinião de Sylvia, são definidas como partes do oceano que precisam ser protegidas. Sylvia veio lançar seu livro ‘A Terra é Azul’, e defender a campanha que lideramos para que o Brasil crie mais áreas de proteção integral em nossos mares.

Assista Sylvia Earle na Fiesp

Reciclagem do plástico, um drama da nossa geração

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here