Canudinhos de plástico, Califórnia sai na frente

11
5419
views

McDonald’s, Coca-cola e canudinhos de plástico, vamos dar um basta?

Está na hora das empresas (e cidadãos), especialmente gigantes como a McDonald’s ou Coca-Cola, serem um pouco mais responsáveis e pensarem nas futuras gerações. Não é possível que, com todas as informações sobre perda de biodiversidade, aquecimento global e poluição, elas continuem a agir como se não fossem parte disso. McDonald’s, Coca-cola, canudinhos de plástico, e ‘formadores de opinião, vamos dar cabo desta farra?

Atualizado

Projeto passou! Califórnia na vanguarda outra vez!

A primeira matéria da imprensa brasuca sobre o problema dos canudinhos plásticos é a que segue abaixo, publicada por este site em fevereiro de 2018. Foi um susto geral na terrinha. Ninguém imaginava que os números desta ‘epopeia da bobeira’ atingiriam a produção de meio bilhão de canudinhos por dia, todos os dias, só nos Estados Unidos! Agora, em Setembro, a Califórnia torna-se o primeiro Estado norte- americano a restringir o uso de canudinhos. Neste mesmo ano, no verão,  Seattle, Washington, se tornou a primeira grande cidade dos EUA a proibir canudos (Atualmente, 15 cidades norte-americanas aprovaram proibições similares).

Em um ano os USA produzem 182.5 bilhões de canudinhos plásticos!

Qualquer um pode multiplicar, 500 milhões x 365 dias =, e chegar aos acachapantes 182.5 bilhões e meio de unidades por ano!! De um material infantil, que tem vida útil de cinco minutos, se tanto, em seguida vai pra algum aterro se tiver sorte; ou para a calha dum rio, ou praia, e de lá para o mar. É tão óbvio, e imoral, que choca termos demorado tanto pra fazer a conta. Mas, antes os canudinhos fossem o único problema. Ainda na área do lazer, canudinho remete da lanchonete, milk shake e outras drogas, é bom lembrar que a…

Coca – Cola fabricou 110 bilhões de garrafas em 2017

Não se pode citar uma só uma ‘gigante’, como se  dela fosse toda a responsabilidade. Eis aí os números de mais uma empresa que emporcalha – com nossa ajuda, diga-se, o meio ambiente. A Coca fabrica 3.4 mil garrafas pets por segundo, de acordo como estimativas do Greenpeace, que lidera campanha mundial contra a excrescência. Reiterando sempre que o plástico não se desfaz jamais. No máximo, se quebra em micropartículas que já estão em nossa cadeia alimentar (via peixes e frutos do mar que comemos) e nas torneiras nossas casas.

Como ficou a legislação no Estado da Califórnia

“A partir do próximo ano, se você quiser um canudo com sua bebida  em um restaurante da Califórnia, você precisará pedir”, informa a Time.com “Uma lei, assinada em setembro de 2018 pelo governador Jerry Brown faz da Califórnia o primeiro estado a proibir os restaurantes  de distribuir automaticamente canudinhos de plástico descartáveis. Quem não cumprir, depois de dois avisos, receberá multa de U$ 300 dólares. Brown fez questão de declarar:

É um pequeno passo em direção à redução da poluição marinha. O plástico ajudou a promover a inovação em nossa sociedade, mas nossa paixão pela conveniência de uso único levou a consequências desastrosas. Plásticos, em todas as formas – canudos, garrafas, embalagens, sacos, etc. – estão sufocando o planeta.

Liderança da Califórnia

Nas questão do meio ambiente a Califórnia é líder mundial faz tempo. “O Estado fez algumas das leis ambientais mais ousadas  – que formaram a base para os esforços nacionais de combate à poluição. A Califórnia adotou alguns dos padrões de qualidade do ar mais difíceis do mundo. Enquadrou a indústria automobilística, obrigando-a reduzir todas as emissões de gases do efeito estufa em 25% ao longo de 13 anos (Schwarzenegger, 2006).

“O atual governador, Jerry Brown, impulsionou ainda mais as metas de mudança climática no mês passado com uma legislação ambiciosa que  obriga  a Califórnia a gerar 50% de sua eletricidade a partir de recursos renováveis, como eólica e solar, até 2030.”

Os exemplos da Califórnia se espalham

Por suas atitudes realistas e corajosas, a Califórnia é vitrine mundial de um Estado que corre atrás da transição energética, dispensa o blá-blá-blá. Vai à luta e avança, passo-a-passo, mas avança. Na questão do plástico, foi o primeiro Estado norte-americano a banir sacola de uso único. Inspirou boa parte dos países do mundo que em seguida copiaram o exemplo.

Que a restrição aos canudinhos seja seguida

Que o mesmo aconteça agora com os canudinhos plásticos, no mundo e, especialmente, no Brasil, como sempre atrasado. Aqui, quando se discute a questão ambiental, perde-se tempo em querelas quilombolas. Não vê o óbvio: as mudanças inexoráveis determinadas por nosso modo insustentável de vida. Quanto mais cedo mudarmos, melhor, mais barato, e menos traumático. É bom lembrar o tranco dos eventos extremos, espécies de ‘coice dos infernos’, que a nossa depravação de costumes recebeu como troco. Em 40 anos nos custaram cerca de 2,4 trilhões de dólares!! Isso não é novidade. Só nossos políticos não sabem o que se passa (veja análise das plataformas dos presidenciáveis feita pelo Mar Sem Fim). Além do mais, o assunto já é velho. Desde 2014 o Banco Mundial alerta: “Aquecimento global não está sendo levado a sério.”

Veja aqui um resumo da nova Lei


Leia agora a matéria original

Califórnia vai banir canudinhos de plástico

A informação é do site munchies. De acordo com ele existe um projeto de lei em tramitação no estado americano que propõe  que funcionários de restaurantes que ofereçam canudos aos clientes sejam multados em até  US$ 1.000 ou até seis meses de prisão. Uma bela medida que deveria ser imitada por todos. Que falta faria um mísero canudinho de plástico, cuja vida útil não passa de quatro minutos? Ainda por cima, por serem feitos de polipropileno e poliestireno eles não são biodegradáveis. A reciclagem do plástico é um drama de nossa geração. O projeto do estado norte-americano é do democrata Ian Calderon. A lei não deverá banir o uso de canudos plásticos, infelizmente, mas fazer com que eles só sejam oferecidos quando solicitados. Já é um começo…

imagem de mergulhador submarino com canudinhos de plástico nas mãos ilustra post MacDonald's e canudinhos de plástico
Foto: www.1millionwomen.com.au

McDonald’s usa milhões de canudinhos de plástico todos os dias

O McDonald’s usa milhões de canudinhos de plástico todos os dias. Usados por apenas alguns segundos, depois jogados fora, muitos acabam poluindo os oceanos.   Pequeno, leve e difícil de evitar, não é de admirar que os canudinhos despejados no mar fiquem presos nas narinas das tartarugas marinhas, alojados nos estômagos das aves marinhas e acabem na nossa cadeia alimentar depois de serem comidos por peixes.

Ilustração de peixe com estômago cheio de plástico

Podemos conseguir que o McDonald’s abandone seu hábito

Se podemos conseguir que o McDonald’s abandone seu hábito sujo, podemos impedir que milhões de pedaços de plástico entupam nossos oceanos matando os animais.

Só no USA são 500 milhões de canudos usados diariamente

Segundo a campanha The Last Plastic Straw (o último canudo de plástico), só nos Estados Unidos são 500 milhões de canudos usados diariamente. Veja quais os materiais plásticos mais encontrados nas praias dos Estados Unidos.

gráfico com ítens de plástico encontrado em praias dos USA
McDonald’s e canudinhos de plástico, vamos dar um basta?

Diga ao McDonald’s que pare de usar canudinhos  de plástico que poluem os oceanos

A poluição provocada pelo plástico é uma das maiores ameaças aos nossos oceanos. E os malditos canudinhos  são um dos itens de plástico mais comuns encontrados nas praias, de acordo com o Greenpeace. Um total de 8 milhões de toneladas de plástico terminam em nossos mares a cada ano. Como resultado, estima-se que todos os anos um milhão de aves marinhas e 100 mil animais marinhos – como tartarugas marinhas – morrem.

O plástico não se degrada, mas é dividido em pedaços cada vez menores. Então,  esses microplásticos são engolidos por  aves marinhas, tartarugas, ou peixes.

Tirar milhões de canudinhos fora de uso seria um passo importante para limpar nossos mares e proteger a vida selvagem dessa ameaça.É bom lembrar que o problema é mundial. Dez países já baniram  o plástico.

A importância de denunciar empresas poluidoras

Quando expomos o lado feio de gigantes corporativos – como o McDonald’s – eles tomam medidas para proteger sua marca. E, ao fazê-lo, marcamos uma enorme vitória para o nosso planeta.

Petição internacional contra o McDonald’s

Faça sua parte. Assine a petição e compartilhe. Quanto mais pessoas assinarem, mais rápido vamos conseguir.

Assista vídeo de tartaruga com canudinho de plástico preso nas narinas:

Fontes: https://actions.sumofus.org/a/mcdonald-s-is-polluting-our-oceans/follow-up?member_id=20400630; https://oceanconservancy.org/trash-free-seas/international-coastal-cleanup/; https://www.washingtonpost.com/national/health-science/a-campaign-to-eliminate-plastic-straws-is-sucking-in-thousands-of-converts/2017/06/24/d53f70cc-4c5a-11e7-9669-250d0b15f83b_story.html?utm_term=.8ccb7ab95612; https://munchies.vice.com/en_us/article/59wn88/california-bill-aims-to-ban-plastic-straws; http://time.com/5402636/plastic-straws-california-law/; https://www.rawstory.com/2015/11/california-at-forefront-of-us-battle-on-climate-change/; https://www.ecowatch.com/plastic-straws-california-2606762227.html?utm_campaign=RebelMouse&share_id=3977666&utm_medium=social&utm_source=twitter&utm_content=EcoWatch.

Foto de abertura: www.washingtonpost.com

Cocaína nos mares de São Paulo? Era só o que faltava

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

11 COMENTÁRIOS

  1. Eu gasto um tempão pensando e escrevendo e o sistema de João Lara Mesquita se acha no direito de não publicar. Seria covardia???????????????????????

  2. João Lara Mesquita você pode ver pelos meus comentários a que você sequer “dá bola” que leio diariamente as suas matérias que acho oportunas e que a maioria da população deveria tomar ciência a na medida do possível passarem a agir como seres inteligentes, mas por que você se atem aos países que de alguma forma estão tomando atitudes e não olha toda a sujeira que lançamos em nossas cidades e rios que seguramente desaguarão no mar? Por que ficar a cutucar a Coca-Cola, Mac Donald’s, Burger King, mas sequer menciona AMBEV _ American Beverage (Antarctica+Brahma) do senhor Jorge Paulo Lemann e milhares de engarrafadoras de refrigerantes, detergentes, cosméticos como a Loreal, Boticário e outras milhares e inclua-se até a Petrobrás que embala óleo em plásticos. Por que não fazemos campanhas para que os supermercados sejam obrigados a recolherem as bandejas de isopor e filmes que embalam os produtos???? Ficar descendo o cassete na Coca-Cola e Mac Donald’s o torna mais paladino do eco sistema? Veja em todas as inundações que SP sofre o número de PETs que encalham nas pontes e viadutos e que pouco antes de Itu “fornecem milhares de toneladas de PVC” para a natureza.

    Ao escrever este tipo de matéria, que acho louvável, a ética de um profissional deveria caminhar para fazer “mea culpa” afinal, tenha certeza que mantendo uma relação matemática das populações nós brasileiros poluímos muito mais massivamente que os gringos.

  3. CLAUDIA
    Você está absolutamente certa! O que importa é o uso que se faz das coisas. Desde canudinho de plástico até a palavra proferida!
    Minhas congratulações.
    Rui

        • Augusto, a canudinho é apenas um dos milhares de itens do dia-a-dia feitos de plástico. A pergunta é, pra quê? Encarece o suco, tem vida útil de 4 minutos, depois vai puros lixões, ruas das cidades, e deles pro mar. Não sei o caso de abolir de vez esta praga? Abraços

          • Olá João. O canudinho, o de plástico comum, ou o biodegradável, ou ainda o de papel tem suas vantagens. Um milk shake, uma vitamina, uma pessoa que tem uma deficiência, uma necessidade especial, um hospital.. Como faz com esse público, ou esses produtos que só é possível apreciar com um canudinho? Quero dizer, o grande problema está na conscientização do ser humano. Descartar as coisas corretamente, não jogar o lixo em qualquer via, então isso vai muito além de “banir” o canudinho. E o garfo, o prato, o copo, milhões de produtos descartáveis? Também entram na dança? E as empresas, e as famílias, e os trabalhadores? E as pessoas que vivem desse tipo de indústria? O que tem que ser mudado é a cabeça das pessoas. O canudo plástico pode sim ser reciclado, o biodegradável dura em média 2 anos após seu uso apenas, ele se dissolve formando co2, agua e biomassa, o de papel também pode ser usado para bebidas mais simples e de maior rapidez pois não dura tanto quanto o de plástico.. Então João, quero dizer que há alternativas, que as pessoas devem mudar seu conceito. O canudo vai embora, mas sobra um milhão de outros contaminantes. O canudo nao é nem 2% do lixo no mar então seria bom ver que a EDUCAÇÃO seria a primeira coisa que deveríamos investir para nao ocorrer essa poluição.
            Eu sou a favor dos canudinhos, e sou a favor da conscientização da população fazer o descarte correto, e a reciclagem!

    • Leandro Sumida (sobrenome japonês????) que você seja jovem e muito saudável para que seja longevo e possa colher todos os malefícios da poluição e desrespeito ao meio ambiente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here