Sobrepesca ameaça os oceanos, mais que poluição

5
2997
views

Sobrepesca ameaça os oceanos, mais que poluição

Recente relatório de biodiversidade da ONU afirma que a sobrepesca é uma ameaça maior para os oceanos do mundo. Mais do que o plástico ou a acidificação. Para George Manbiot, colunista do The Guardian, é a notícia mais importante que a humanidade já recebeu: o colapso geral da vida na Terra. A vasta avaliação internacional do estado de natureza, como revelado em estudo da ONU, nos diz que o planeta vivo está em uma espiral de morte. Culpa? No caso da vida marinha, sobrepesca ameaça os oceanos.

ilustração para Sobrepesca ameaça os oceanos
Sobrepesca ameaça os oceanos. Ilustração: Sébastien Thibault.

Pesca na Inglaterra na mão de cinco famílias milionárias

Uma investigação do Greenpeace no ano passado revelou que 29% da cota de pesca do Reino Unido é de propriedade de cinco famílias, todas presentes na lista dos ricos do Sunday Times. Uma única multinacional holandesa, operando um vasto navio pesqueiro, detém mais 24% da cota inglesa. Os barcos menores – com menos de 10 metros de comprimento – compõem 79% da frota, mas têm direito a capturar apenas 2% do pescado.

Sobrepesca ameaça os oceanos no mundo

O mesmo se aplica em todo o mundo: enormes navios das nações ricas absorvem os peixes que cercam as nações pobres, privando centenas de milhões de suas principais fontes de proteína, enquanto aniquilam tubarões, atuns, tartarugas, albatrozes, golfinhos e grande parte do resto da vida marinha. Neste caso, um dos maiores culpados é a China.

Psicultura e seus problemas

A piscicultura costeira tem impactos ainda maiores, uma vez que os peixes e os camarões são frequentemente alimentados em ecossistemas marinhos inteiros: os arrastões indiscriminados sugam tudo e transformam-no em farinha de peixe.

imagem de fazendas de peixes no litoral
Imagem, Anadolu Agency/Getty Images.

O alto- mar

O alto mar – em outras palavras, os oceanos além dos limites nacionais de 200 milhas – é um reino sem lei. Aqui navios de pesca lançam linhas de anzóis de até 75 milhas de comprimento, que varrem o mar de predadores e quaisquer outros animais que os encontrem. Mas até mesmo as pescarias costeiras são desastrosamente gerenciadas, por meio de uma combinação de regras frouxas e uma falha catastrófica em reforçá-las. Durante alguns anos, as populações de bacalhau e cavala em todo o Reino Unido começaram a recuperar. Nos disseram que poderíamos começar a comê-los novamente com consciência limpa. Ambos estão caindo agora. O bacalhau jovem está sendo descartado ilegalmente em escala industrial, como resultado de que a pesca legal nos mares do Reino Unido provavelmente está sendo excedida em cerca de um terço. Cavala nestas águas, graças à ganância mal regulada da pesca, perdeu seu rótulo ecológico há algumas semanas.

A dúvida do articulista sobre as áreas marinhas protegidas na Inglaterra

O governo alega que 36% das águas da Inglaterra são “áreas marinhas protegidas”. Mas essa proteção equivale a nada além de linhas no mapa. A pesca comercial é excluída de menos de 0,1% dessas reservas falsas. Um artigo recente na revista Science descobriu que a intensidade do arrasto nas áreas protegidas européias é maior do que em lugares desprotegidos. Esses áreas protegidas são uma farsa total: seu único objetivo é convencer o público a acreditar que algo está sendo feito.

Menos de 1% dos navios concordaram em transportar equipamentos de monitoramento remoto

As regras também não são difíceis de serem aplicadas. Como o Fundo Mundial para a Natureza mostrou, a instalação em cada barco com mais de 10 metros de comprimento com equipamentos de monitoramento remoto custaria apenas 5 milhões de libras. Câmeras e sensores registrariam o que os barcos capturam e onde, impossibilitando a pesca ilegal. Mas a instalação é voluntária. Em outras palavras, é obrigatório cumprir a lei para evitar descarte, pesca em excesso e pesca em zonas de exclusão. Mas é voluntário instalar o equipamento que mostra se você está cumprindo ou não a lei. Sem surpresa, na Inglaterra menos de 1% dos navios concordaram em transportar o equipamento. Dados os enormes lucros a serem obtidos com cortes de custos, é de se admirar que essa indústria continue a levar as populações de peixes – e os sistemas vivos que elas sustentam – ao colapso?

imagem de rede de peixes lotada
Sobrepesca ameaça os oceanos. Imagem, Jeff J Mitchell/Getty Images.

Selos de pesca saudável??

Quase não há peixe ou marisco que possamos comer com segurança. Escândalos recentes sugerem que mesmo a etiqueta do Marine Stewardship Council, que supostamente nos tranquiliza sobre os peixes que compramos, não é garantia de boa prática. Por exemplo, o conselho certificou as pescarias de atum em que os tubarões ameaçados haviam sido capturados e suas barbatanas, arrancadas; e, nas águas do Reino Unido, aprovou a dragagem de vieiras que rasga e despedaça o fundo do mar.

Quer ajudar? Pare de comer peixes

Até que a pesca seja devidamente regulamentada e contida, devemos retirar nosso consentimento. Guarde seus sacos de plástico por todos os meios, mas se você realmente quiser fazer a diferença, pare de comer peixe.

Assista e saiba mais

Ilustração de abertura –   Sébastien Thibault.

Fontes – https://www.treehugger.com/ocean-conservation/why-we-need-stop-eating-fish.html?fbclid=IwAR0vM_TMY3cIdYTWEK3WHiiA04YGlB5AmDji6AkpkMkjpwHNFodHiOs8-K0; https://www.theguardian.com/commentisfree/2019/may/09/seas-stop-eating-fish-fishing-industry-government.

África lidera banimento de plástico no mundo

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

5 COMENTÁRIOS

  1. Visto os comentários acima a melhor solução seria nós paramos de comer qualquer coisa, animal, vegetal e outras , assim provavelmente em pouquíssimos anos estaríamos extintos e a terra voltaria ser um planeta maravilhoso.

  2. Também não é assim na ignorância no “Quer ajudar? Pare de comer peixes”, poi daqui mesmo se disse que mais de 60% dos peixes e crustáceos consumidos são de cativeiros. Par com exageros, pois este site com tantas dezenas de erros, perdeu muito sua credibilidade (aprece que o doo não tem formação superior e conhecimentos e sim um mero marinheiro apenas que ama o mar, é claro, com belos documentários e nada mais, e que se limite a isso)

    • Segundo consta a China é que mais polui o ar mais que os E.U e Europas, juntos. Faz pescas predatórias, inclusive, já teve conflitos com barcos brasileiros, argentinos e na Asia. Esses vermelhos camuflados de defensores dos verdes deveriam ter mais pudor e expor suas reais ideologias pró esquerdismos.

  3. Até que enfim um texto quase coerente. Parar de comer peixe! Parar de comer camarão… Parar de comer carne vermelha… Tornar o mundo vegano é muito mais desastroso que manter as fontes proteicas atuais.
    O problema real está em três fatores:
    Aumento populacional, aumento global da qualidade de vida e estado do bem estar social.

  4. Pare de comer peixes!
    Coma sim, toneladas de agrotóxicos, beba indiretamente milhões de metros cúbicos de água em qualquer produção vegetal e coma milhões de metros cúbicos de águas em formatos de bifes e ajude o aquecimento global com os gases expelidos pelos animais que fatalmente atingirão os nascedouros de peixes com a acidificação de recifes…
    Quer um solução? Lancem uma pandemia holocáustica ou promovaam um game onde americanos, russos, chineses, franceses, ingleses, israelenses, indianos, norte coreanos participem intensivamente com seus foguetes e bombas nucleares; certamente após o evento, por uns 10.000 anos os peixes poderão se recuperar nos mares já que a especie humana remanescente irá pega-los com flechas e pauladas. E o planeta Terra renaascerá!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here