Bacalhau, o peixe que mudou o mundo

23
4947
views

Bacalhau, o peixe que mudou o mundo (e acabou minguando…)

Bacalhau, o peixe está em perigo há pelo menos 650 anos. Se seguirmos a história da pesca do bacalhau através dos séculos, aprenderemos muito sobre a história de vários povos navegadores. Não foram poucos os que se fizeram ao mar, desde a idade média, atrás de seus grandes cardumes. Neste trajeto, foram escritas algumas das mais bonitas epopeias náuticas.

“A história da pesca do bacalhau pelos portugueses  é pela primeira vez referenciada em 1353, quando D. Pedro I e Edward II da Inglaterra estabelecem um acordo de pesca para pescadores de Lisboa e do Porto poderem pescar o bacalhau nas costas da Inglaterra por 50 anos”.

1353: portugueses  fazem acordo sobre pesca de bacalhau. Necessidade sugere sobrepesca desde sec. XIV

“A necessidade de estabelecer um acordo indica que esta atividade já se realizava em anos anteriores, e em tal quantidade, que justificava a necessidade de a enquadrar nas relações entre os dois reinos”.

bacalhau, ilustração do bacalhau do atlântico
Ilustração: wikipedia.pt

Se você achou 650 anos de pesca, algo exagerado, espere até saber que…

Bacalhau: ‘o fim de uma farra de mil anos de pesca’

A frase ‘o fim de uma farra de mil anos de pesca’ está no delicioso livro ‘Bacalhau – A história do peixe que mudou o mundo”, de Mark Kurlansky, disponível no Brasil em edição da Nova Fronteira.

Bascos, vikings e bacalhau do Atlântico: o Gadus morhua

Agora diga: o que tem a ver os bascos, os vikings, e o bacalhau; o famoso bacalhau do Atlântico, o Gadus morhua?

Mark Kurlansky e sua extraordinária pesquisa: “os bascos são enigmáticos…vivem no extremo noroeste da Espanha e um pedacinho do sudoeste da França há mais tempo que o mais antigo registro histórico…eles criam ovelhas, cantam suas próprias músicas e escrevem suas próprias obras literárias em seu próprio idioma…”

Bacalhau, mapa mostrando o país basco

Os bascos não são apenas pastores, são também navegadores

E daí?

-Bom, o parágrafo é para situar onde, quem e como. Mas tem mais, segundo o autor, “…os bascos não são apenas pastores, são também navegadores famosos por seu sucesso no comércio”.

Bascos e a caça à baleia

“Durante a Idade Média, quando europeus consumiam grande quantidade de carne de baleia, os bascos viviam em águas distantes e desconhecidas para caçá-las”.

Grandes cardumes de bacalhau

-Na Idade Média, em águas distantes e desconhecidas, como assim?

“… eles podiam percorrer longas distâncias porque haviam encontrado grandes cardumes de bacalhau e salgado o produto da pesca, conseguindo um alimento que não estragava em longas viagens”.

-E os vikings, o que têm com isso?

Vikings: navegavam para onde havia bacalhau…

“…os bascos não foram os primeiros a curar o bacalhau. Séculos antes, os vikings tinham viajado da Noruega  para a Islândia, para a Groenlândia e para o Canadá, e não era mera coincidência o fato dessa ser a área onde o bacalhau do Atlântico era encontrado”.

bacalhau, ilustração com rotas das viagens kinkings
Ilustração: Aurélio Magalhães – WordPress.com

“Como os vikings sobreviveram em uma Groenlândia sem verde, e uma Terra de Pedra sem terra, pergunta o autor?”

bacalhau, imagem de mapa dos grandes bancos de bacalhau
Os grandes bancos de bacalhau. (Ilustração: wikipedia.pt)

“O que eles comeram nas cinco expedições para a América feitas entre 985 e 1011 que estão registradas nas sagas islandesas?”

Por que os bascos foram mais longe que os vikings? Bacalhau de novo…

“Porque eles já conheciam o sal; e como o peixe que era salgado antes de ser seco durava mais, puderam ir ainda mais longe”.

Bacalhau, mapa mune mostrando a destruição do bacalhau no mundo
Distribuição do bacalhau no mundo. Tudo a ver com os bascos e a descoberta da América. (Ilustração: pt.wikipedia.org)

E agora, o que você me diz? Não é uma tese plausível? É mais que isso…

Mais um povo navegador nesta história: os britânicos

“Os britânicos, que pescavam bacalhau em alto-mar nestas águas desde o tempo dos romanos, nunca cruzaram com pescadores bascos, nem mesmo no século XIV…os bretões, que tentaram seguir os bascos, começaram a falar em uma terra do outro lado do mar.”

Instituição envolvida com bacalhau: o catolicismo

Bascos, vikings, bretões. Agora a igreja católica?

” O catolicismo deu aos bascos sua grande oportunidade. A igreja medieval impunha dias de jejum nos quais era proibido manter relações sexuais e comer peixe, mas comidas ‘frias’ eram permitidas. Como o peixe vinha de água passou a ser considerado frio…No total a carne era proibida em quase metade dos dias do ano, e os dias de jejum acabavam por tornar-se dias de bacalhau salgado”.

bacalhau, imagem de quadro mostrando jejum católico na idade média
O jejum na Idade Média. (Ilustração: Padre Paulo Ricardo)

E conclui: “os bascos ficavam mais ricos a cada sexta- feira”.

Mas de onde vinha todo este bacalhau?

“Esse povo misterioso que nunca revelou sua própria origem, guardou também este segredo”.

Carta a Cristóvão Colombo

-Só faltava esta!

“Recentemente, para alegria da imprensa britânica, uma carta foi descoberta. Foi enviada a Colombo na época em que ele colhia os louros pela descoberta da América…”

Bacalhau, imagem de cristovão colombo
Colombo. (Ilustração: Deutche Welle)

“A carta, enviada por comerciantes de Bristol, alegava que ele  sabia muito bem que eles já haviam estado na América. Não se sabe se Colombo a respondeu”.

Conclusão: os bascos, atrás de bacalhau, descobriram a América

“Os pescadores guardavam seus segredos, enquanto os exploradores contavam suas descobertas”. “Colombo requisitou a posse do Novo Mundo para a Espanha”.

Giovanni Caboto dá a mão que faltava…

“Em 1497, cinco anos depois de Colombo ter topado com o Caribe em sua procura de uma rota para as especiarias da Ásia, Giovanni Caboto partiu de Bristol; não em busca do segredo da cidade, mas na esperança de encontrar a rota que Colombo não achara”. “Depois de 35 dias no mar Caboto encontrou terra embora não fosse a Ásia”.

bacalhau, ilustração de Giovane Caboto
Caboto. (Ilustração: exploration-and-piracy.org)

‘Perto de um mar onde pululavam bacalhaus…’

“Era uma vasta costa rochosa, ideal para secar e salgar peixe, perto de um mar onde pululavam bacalhaus”. “Era a Terra Nova, cuja posse requisitou para a Inglaterra”.

Jacques Cartier, navegador francês

“Trinta e sete anos depois, Cartier chegou, requisitou o crédito pela ‘descoberta’ da foz do São Lourenço, fincou uma cruz na península Gaspé e requisitou a posse de todo o território para a França.”

bacalau, imagem do navegador jacques cartier
Jacques Cartier. (Ilustração: Bio.com)

Cartier notou a presença de mil barcos pesqueiros bascos…

“Ele notou também a presença de mil barcos pesqueiros bascos”. “Mas os bascos, na intenção de preservar seu segredo, nunca haviam requisitado a posse da terra para ninguém…”

O declínio do bacalhau: ele pode estar extinto em 15 anos

2004: “um estudo feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF) da Noruega adverte que o peixe pode estar extinto já daqui a 15 anos”.

bacalhau, desenho mostrando a moderna pesca de bacalhau com redes de arrasto
Depois dos trawlers, com arrasto, acabou o bacalhau. (Ilustração: O Direito à Vida – blogger)

“A autora, Maren Esmark, disse que nos últimos 30 anos desapareceu 70% da população mundial deste peixe”. “Se continuar assim, em 15 anos não haverá mais bacalhau no mercado”.

Bacalhau, responsável pela descoberta da América

Pudera…com a pesca contínua desde mil anos atrás, não era pra menos. Mas o peixe famoso deixará sua história mesmo que  extinto. Por causa dele, agora sabemos, a América pode ter sido uma descoberta dos bascos, um povo navegador.

Tradição náutica dos bascos: Juan Sebástian Elcano

-Mas, só isso é prova?

-Não, ainda há a tradição náutica basca, não sabia?

-Pois saiba que um dos maiores navegadores de todos os tempos, Sebastião Elcano, o homem que concluiu a primeira circunavegação do mundo, era basco.

bacalhau, ilustração de juan sebeastian encano
Ilustração: wikipedia

” Juan Sebastián Elcano (Getaria, Guipúscoa, 1476 — Oceano Pacífico 4 de agosto de 1526) foi um navegador e explorador basco”. “Completou a primeira circum-navegação do mundo organizada por Fernão de Magalhães”.

“Elcano assumiu o comando após a morte de Magalhães em 1521 nas Filipinas e comandou a nau Victoria, o único navio a retornar à Espanha após dar a volta ao mundo”.

Fontes e leitura sugerida:

Wikipedia e Deutsche welle.

‘Bacalhau- A história do peixe que mudou o mundo’ ,  Mark Kurlansky.  Ed.  Nova Fronteira.

‘Faina Maior – A Pesca do Bacalhau nos Mares da Terra Nova’,  Francisco Marques  e  Ana Maria Lopes. Quetzal  Editores, Lisboa, 1996.

‘A Campanha do Argus’,  Alan Villiers.  Ed.  Cavalo de Ferro,  setembro de  2005.

Foto de abertura: http://jmbd1945.blogspot.com.br

O mar sem fim é portuguez…Saiba porquê

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

23 COMENTÁRIOS

  1. O tal de Mark Kurlansky e sua extraordinária pesquisa: “os bascos são enigmáticos…vivem no extremo noroeste da Espanha” não deve ter sido um bom aluno em Geografia porque o extremo noroeste da Espanha deve fazer vizinhanças com Portugal e não com a França; eu diria que os bascos estão na região centro-nordeste da Espanha e, se, aceitarmos que o dito cujo está certo em seus conceitos, no Brasil os habitantes do polígono da seca podem exigir que nunca mais sejam taxados de nordestinos.

    Quanto os bacalhaus e outros frutos do mar???? Aprenderemos como cuidar quando uma única sardinha custar uns 3.000 euros e uma manjuba, mais baratinha, uns 1.800 euros. Como o Brasil diz que exporta tilápias então, nas Semanas Santa os ditos exemplares terão preços de bacalhau. Muito bom já que exportar é que importa, né não?????

  2. João Lara Mesquita existe algum requisito que não atendo, pois meus comentários não permanecem publicados? Caso não seja notificado no quê estou falhando, sinceramente para que eu perderei o meu tempo no Mar Sem Fim?????????????

    • Depende do que você escreve. Se eles, os editores, não concordarem com o que você escreveu, simplesmente não será publicado.
      Esta turma só quer ler o que lhe interessa.

  3. No futuro isso, no fiuturo aquilo… E o presente continua como o passado.
    Bacalhau rareando? Onde, se a oferta continua a crescer ainda que os preços não caiam (altos desde sempre)?
    No futuro estaremos mortos…

  4. Dizem que por volta de 2050, 2060 a humanidade terá algo como 9 bilhões de comedores, bebedores e evacuadores e, se, cada humano puder comer 300 gramas de alimento em cada refeição serão necessários 2,7 bilhões de quilos/refeições e, se, beberem 2 litros de água serão necessárias 18 bilhões de litros/dia. Não sei das probabilidades de reprodução dos bacalhaus, mas “chutando” que de cada ova com dois mil apenas uns cinco ou dez chegarão a fase adulta, teremos de criar berçários, creches e habitáculos hiper protegidos contra os predadores e mesmo assim faltarão alimentos, água e talvez até ar respirável para que nossos descendentes possam perpetuar nossos DNA.

    • TENHO 70 ANOS
      DESDE CRIANÇA ESCUTAVA QUE IA ALTAR ALIMENTOS
      NOVAS TÉCNICAS ENGENHARIA GENÉTICA
      PRODUTIVIDADE AUMENTANDO
      DE UMA PASSADA NAS FEIRAS LIVRES NO BRASIL VERIFICAR A FARTURA
      O HOME SEMPRE SE ADAPTOU

  5. Com o altos preços do bacalhau original, há uma tendência de queda no consumo, que pode resultar num alívio para as espécies comprometidas. Note-se que hoje já existe bacalhau com a Polaca do Alaska que custa menos. Uma alternativa que poderá levar esta espécie que era menos explorada à extinção. Resumindo, o homem por trás, destruindo a natureza de forma predatória e descontrolada.

  6. Ótima história, mas o WWF, prá variar errou feio. Estamos em 2018, há bacalhau fresco na Europa à vontade a preços muito baixos. Isso não se parece nada com extinção. A realidade se sobrepõe, sempre. Abraços.

  7. Bacalhau não é um peixe e sim um processo de salgamento que conserva o peixe por mais tempo.
    existe o bacalhau português, o norueguês e até o do amazonas que é do peixe pirarucú

  8. é uma das historias mais maravilhosa que ja li sobre o bacalhau; vou aproveitar e comerf bastante bacalha esse ano vai que o peixe acaba……..jose bonifacio das nevsz- bauru-sp

  9. Se o estudo foi feito pelos hipócritas nórdicos, desconsidere. Estes vermes estão matando a população no Pará contaminando os rios com chumbo e metais pesados. Aposto que como o petróleo que fez sua riqueza através da shell e statoil é sujo hoje e eles pedem consumirem veículos elétricos, e energia limpa, aposto que querem acabar com a pesca e produção de bacalhau, ams continuam a caçar baleias, bando de hipócritas.

  10. Nada como um belo prato de Cod Gadus Morhua e uma taça de puro vinho, mas o bacalhau não é mais português virou chines e o vinho puro foi dilapidado pelo marketing ganancioso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here