Pesca de arrasto: entenda como acontece a destruição do habitat

11
7091
views

Pesca de arrasto: entenda como acontece a destruição do habitat

Pesca de arrasto – Atualizado

A destruição de habitats, maior causa de perda de biodiversidade marinha mundial, não é o único problema da pesca de arrasto, antes fosse. Uma equipe de pesquisa com membros da Espanha, Argentina e Itália descobriu que a intensa pesca de arrasto em águas profundas leva a desertificação do fundo do mar. Em artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, a equipe relata o que encontrou em sedimentos retirados de áreas fortemente arrasadas, em comparação com áreas no fundo do mar que não foram rastreadas. Segundo os pesquisadores, o arrasto não apenas reduz as populações de peixes, mas também as populações de todos os tipos de fauna que vivem no fundo do mar.”O arrasto de fundo está alterando dramaticamente o solo oceânico e prejudicando os habitats, semelhante à maneira como a agricultura mudou permanentemente a paisagem terrestre.”

imagem de pesca de arrasto de fundo
A criminosa pesca de arrasto de fundo. A rede não é seletiva, o que estiver no caminho é ‘arrastado’ junto. Foto:

No Mediterrâneo

No noroeste do Mediterrâneo, onde o arrasto industrializado vem ocorrendo desde meados da década de 1960, os cientistas descobriram que a prática deslocou 5.400 toneladas de sedimento em apenas 136 dias monitorados.


Os cientistas explicaram em artigo publicado na Nature:

 

Ambientes de encostas continentais com redes de arrasto são o equivalente submarino de uma encosta de morros, parte da qual foi transformada em campos de cultivo que são arados regularmente, substituindo o padrão natural de contorno normal por áreas niveladas

imagem de barco de pesca de arrasto
Redes, de qualquer tipo, deveriam ser banidas dos oceanos. Foto:http://www.ticotimes.net.

Impacto no arrasto de fundo é visível do espaço

Resultados de estudos científicos mostram que o arrasto de fundo mata  grande número de corais, esponjas, peixes e outros animais. Por isso foi banido em um número crescente de lugares nos últimos anos. Agora, imagens de satélite mostram que nuvens de lama se espalham e permanecem suspensas no mar muito depois que a traineira passou.

imagem de golfinho morto
Golfinhos, outra das vítimas das redes…

Isso é só a ponta do iceberg

Mas o que os satélites podem ver é apenas a “ponta do iceberg”, porque a maioria das redes de arrasto acontece em águas profundas demais para detectar plumas de sedimentos na superfície, dizem cientistas falando em uma sessão de simpósio chamada Dragnet: Bottom Trawling, the World’s Most Severe and Extensive Seafloor Disturbance at the American Association for the Advancement of Science 2008 Annual Meeting. A sessão foi organizada pelo Marine Conservation Biology Institute. Dr. Les Watling, Professor de Zoologia na Universidade do Havaí, declarou:

O arrasto de fundo é a ação mais destrutiva que os seres humanos realizam no oceano

imagem de tubarão morto pela Pesca de arrasto
Os tubarões já sofrem demais por suas barbatanas apreciadas na Ásia mas, além disso, milhares são mortos pelas redes.

Captura acidental ou fauna acompanhante

A ONG Oceana informa que  a morte de vida marinha, não intencional, chega até 40% da captura global (estimada hoje em 90 milhões de toneladas), segundo algumas estimativas.” Milhões de toneladas de peixes, moluscos, mamíferos, tartarugas, e aves marinhas morrem em artes de pesca (especialmente redes, mas não apenas) destinadas a capturar outras espécies. Todo esse dano colateral é chamado de “bycatch“, ‘um problema monstruoso’.

imagemde tartaruga presa pela pesca de arrasto
Milhares de tartarugas marinhas são mortas inutilmente

A seguir nossa matéria original

Vídeo não deixa dúvidas dos malefícios da pesca de arrasto

O vídeo que apresentamos (com legendas) mostra o dano causado pelas redes de arrasto ao assoalho marinho. Ele conta que em 2006 alguns países, entre eles o Brasil, pediram na ONU uma moratória da pesca de arrasto profundo em águas internacionais sem, no entanto, atingirem seu objetivo. O recado é claro: “o tempo está se esgotando”. Os governos devem agir enquanto ainda há tempo. Uma rede de arrasto pode varrer uma área equivalente a cinco mil campos de futebol numa única pescaria.

imagem de desperdício da pesca de arrasto
Para cada quilo de camarão as redes chegam a trazer até 80% e’fauna acompanhante.

Protestos mundiais contra o arrasto

Cientistas encabeçam a lista. Ambientalistas vêm em seguida, e até artistas de renome internacional protestam. Em vão! Mas até os próprios pescadores sabem do crime que cometem. Em minhas andanças pelo litoral brasileiro sempre converso com pescadores sobre isso. Todos, quase sem exceção, reconhecem os problemas das redes e, em especial, do arrasto. Mas dizem, com razão, “que não têm outra opção, o governo não ajuda, não propõe outros métodos de pesca”, o que também é verdade.

Pesca de arrasto no Brasil

Infelizmente esta modalidade é praticada no Brasil sem qualquer fiscalização. Aqui, cada um dos 17 estados costeiros tem uma regra a respeito de como deve ser praticada, sempre em relação à distância da costa. Em alguns estados a distância é de uma milha náutica, em outros, três milhas. Mas, como não existe nenhuma fiscalização, é comum ver barcos pesqueiros passando o arrasto na zona de arrebentação.

Pesca de arrasto no mundo

Os cientistas provaram o mal que este tipo de pesca provoca. O que falta é força aos governos para proibirem de vez a modalidade. Com medo do desemprego muitos governos fingem não ver o mal que o arrasto provoca, e adiam uma solução. Recentemente, até Portugal que tem forte tradição pesqueira proibiu o arrasto. O Governo português aboliu por decreto todas as pescas de fundo, exceto a pesca  com espinhel, autorizada sob certas condições. A proibição vale para uma área de 2.280.000 km2 , cerca de quatro vezes o tamanho da Península Ibérica. O objetivo  é promover a pesca de forma sustentável, procurando garantir a conservação dos ecossistemas marinhos profundos.

Pesca de arrasto, imagem de barco de pesca passando rede de arrasto
O Mar Sem Fim cansou de flagrar a pesca de arrasto na zona de arrebentação

Outros problemas do arrasto além da destruição de habitats

A destruição de habitats, maior causa de perda de biodiversidade marinha mundial, não é o único problema do arrasto, antes fosse.

Fontes:https://phys.org/news/2014-05-intense-deep-sea-trawling-ocean.html#nRlv; https://phys.org/news/2012-09-trawling-seafloor-habitats.html#nRlv; https://phys.org/news/2008-02-bottom-trawling-impacts-visible-space.html#nRlv; https://oceana.org/blog/we-waste-almost-half-what-we-catch-5-reasons-%E2%80%99s-disastrous-oceans;

Você come camarão? Então é pra você…

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

11 COMENTÁRIOS

  1. Apesar dos esforços eles continuam fazendo o mesmo serviço, já vi e continuo vendo dezenas deles diariamente acabando com o fundo do mar muito próximo a arrebentação, valídos de que a fiscalização é inexistente ou deficiente, uma triste realidade.

  2. Prezado João,
    Parabens mais uma vez pela sua sensibilidade, clareza e precisão nessa sua incessante luta para concientizar as pessoas, instituicōes e governos sobre a urgência de acabarmos com a destruiçāo do nosso patrimônio marinho, É sempre com grande satisfaçāo que aprecio e compartilho as sua materias. Grande abraço

    Mauro Maida
    Oceanografia-UFPE

    • Querido Mauro, uma glória pra mim receber um correio estimulante como o seu. Muito obrigado, amigo, e boa sorte em seu projeto na APA Costa Dos Corais.
      Abraçao

  3. Parabéns, João, por abordar de forma tão clara essa catástrofe cotidiana. A rede de arrasto tem no mar o efeito destrutivo que os correntões têm na derrubada de florestas … só que é ainda maior e o pior, é legal. Nosso estado, Santa Catarina, se orgulha de ser o maior produtor pesqueiro do País, mas a realidade destrutiva dessa atividade não é conhecida da maioria da população, que ainda vê na pesca industrial algo romântico e digno de admiração. A falta de Educação é inimiga da conservação ambiental.
    Forte abraço!

  4. Somente agora tomei conhecimento desta pagina. Parabéns, Mesquita. Moro em Itajaí/SC, um dos maiores portos pesqueiros do Brasil. Os barcos de arrasto, especialmente aqueles que pescavam no sistema de parelhas, dizimaram o litoral catarinense e gaúcho. Vi muitos destes matadores implacáveis, conheci seus mestres e armadores, todos eles, no passado, homens que enriqueceram. Igual aos peixes, também maioria deles está morta. O primeiro passo é tomar consciência de que a vida acaba para todos e que homem não é a medida e nem a finalidade de todas as coisas.

  5. Meus Deus! Eu não sabia que faziam isso nesta profundidade. Eu moro na ilha de Florianópolis e estou sempre me perguntando: pra que os barcos ficam pescando dia e noite? aqui devem fazer essa pesca de arrastão também. Sou um defensor do ma de hoje em diante.

    • Carlos, obrigado pela mensagem. Nossa intenção é exatamente esta: mostrar para o leigo o estado deplorável do mais importante ecossistema marinho. Ou nós nos juntamos, e forçamos os governos, municipais, estudais, e federal, a agirem; ou vamos morrer junto com os oceanos. Estamos umbilicalmente ligado a ele. Entre outras, os oceanos produzem mais da metade do oxigênio que respiramos. Portanto, mensagens como a sua nos enchem de alegria: conseguimos conquistar mais um soldado. Que maravilha! Abraços e volte sempre!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here