Peixe-boi, nova espécie descoberta em Rondônia

0
14
views

Peixe-boi, nova espécie descoberta em Rondônia

Eles são sobreviventes. Os peixes-bois da Amazônia, em suas três espécies até então conhecidas, vêm sendo dizimados há séculos. É um espanto que ainda não tenham sido extintos. Antes da chegada dos europeus, eram os índios que os matavam. O animal é dócil, se aproxima das pessoas sem medo. Eram presa fácil por sua enorme quantidade de carne. Depois da chegada dos europeus, a situação piorou. Mais pessoas precisavam alimentos fáceis para sobreviver na nova terra. E a matança aumentou. Cartas de José de Anchieta, do século 16, descrevem aspectos do animal sempre abatido como comida. Agora,  em Rondônia, nova espécie de peixe-boi foi encontrada. Infelizmente, os pesquisadores encontraram fósseis da nova espécie.

imagem de peixe-boi
Peixe-boi se alimenta na ARIE e APA do Mamanguape.

A espécie é interessante, e ameaçada onde existe, inclusive nos Estados Unidos.

Sirênios, de onde nasceu o mito da sereia

Os peixes-bois, vacas-marinhas, manatins ou lamantins, constituem uma espécie de mamíferos aquáticos, os sirênios. Têm um grande corpo arredondado, são imensos, mansos, e têm uma cauda peculiar. Navegadores antigos, ao cruzarem com esse animal achavam-no tão estranho e fora dos padrões, que nasceu o mito da sereia. Daí o nome da espécie, ‘sirênios’.

Peixe-boi, nova espécie descoberta em Rondônia

O site da https://amazonia.org. explica que “Existiam, até então, três espécies de peixe-boi: Trichechus senegalensis (peixe-boi-africano), o Trichechus manatus (peixe-boi-marinho), e o Trichechus inunguis (peixe-boi-da-amazônia). No Brasil estimativas indicam que há apenas 1.000 peixes-bois. Um estudo mostrou que existem na área do litoral piauiense apenas 16 animais. Isso porque o habitat natural, especialmente o mangue,  está desaparecendo.

mapa da área onde forma encontrados nova espécie de peixe-boi
A área da descoberta. Imagem, https://amazonia.org.

A Amazonia.org trouxe a notícia: “O fóssil de um mamífero marinho com mais de 45 mil anos, encontrado em áreas de garimpo de Rondônia, foi reconhecido como uma nova espécie de peixe-boi: o Trichechus hesperamazonicus.”

Vestígios do peixe-boi foram encontrados na década de 1990 por garimpeiros

“Os vestígios do peixe-boi foram encontrados na década de 1990 por garimpeiros que trabalhavam no distrito de Araras, nas proximidades de Nova Mamoré (RO).” A mesma fonte esclarece que “A região atualmente não comporta mais peixes-bois, por ser um ambiente de corredeiras e águas rápidas, que não é propício para a espécie. “Apesar disso, a descoberta é auspiciosa. “Apresenta mais uma peça do quebra-cabeça que pesquisadores locais tentam montar para conhecer o cenário amazônico de milhares de anos atrás.”

imagem de fósseis de peixe-boi
Os fósseis. Imagem, https://amazonia.org.

Trabalho publicado na revista acadêmica Journal of Vertebrate Paleontology

A descoberta é de tamanha importância que foi feito um estudo publicado ‘na revista acadêmica Journal of Vertebrate Paleontology. Ele ‘descreve que a nova espécie de peixe-boi existia na bacia amazônica, mais precisamente no Rio Madeira, em Rondônia.’

Saiba como aconteceu.

Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Os garimpeiros entregaram os fósseis a pesquisadores do Museu da Memória Rondoniense (Mero) e Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). “O da Unisinos era de um garimpeiro que trabalhou por muito tempo em Rondônia, ele voltou pro Rio Grande do Sul e levou o material com ele. Depois que ele morreu, a família doou a peça à universidade”, comenta Ednair Nascimento, diretora do Mero.”

imagem de pesquisadora com fóssil de peixe-boi
Ednair Nascimento no Museu da Memória Rondoniense, em Porto Velho — Foto: Ana Kézia Gomes/G1.

“Mario Alberto Cozzuol e Fernando Perini, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), também se interessaram pela descoberta. O primeiro é especialista em mamíferos fósseis aquáticos e o outro atua na área de descrição de mamíferos. Ednair se juntou a eles e começaram a pesquisa, que conta com análise estatística, descrição anatômica e informações geológicas.”

“Durante os estudos, a equipe descobriu que os fósseis se tratavam de nova espécie – já extinta – de peixe-boi. O animal vivia no bioma amazônico brasileiro no período pleistoceno tardio.”

O mar é a origem dos peixes-bois

“Uma das hipóteses levantadas na pesquisa é que o mar é a origem do peixe-boi amazônico. “Há aproximadamente 5 milhões de anos, o Oceano Pacífico entrava na Amazônia. Com o soerguimento das Cordilheiras dos Andes muitos animais ficaram presos aqui, como por exemplo, esses Trichechus”, explica Ednair Nascimento.”

Projeto Peixe-Boi no Brasil

O site do ICMBio explica: “Em 1980 o Governo Federal passou a se preocupar com a situação do peixe-boi marinho, pois praticamente não havia dados mais recentes sobre a espécie no Brasil. Foi aí que o Governo criou o Projeto Peixe-Boi, vinculado ao IBDF, que depois foi extinto, passando o Projeto aos cuidados do IBAMA. O objetivo do Projeto era avaliar o estado de conservação do peixe-boi no litoral brasileiro.”

“Em 1990, o IBAMA, ao verificar a necessidade de expandir a proteção do peixe-boi para a espécie da Amazônia, criou o Centro Nacional de Conservação e Manejo de Sirênios – Centro Peixe-Boi, sediado na Ilha de Itamaracá/PE – uma unidade especializada do IBAMA, passando a executar ações também na bacia Amazônica.”

Em nossas viagens pela costa brasileira visitamos diversos centros do peixe-boi. inclusive o que fica na ARIE e APA do Mamanguape, na Paraíba.

Assista ao vídeo e saiba mais sobre o animal

Fontes:http://www.icmbio.gov.br/cma/quem-somos/historico.html; https://amazonia.org.br/2020/01/com-mais-de-45-mil-anos-nova-especie-de-peixe-boi-amazonico-e-registrada-em-rondonia/.

Ilhas artificiais na Amazônia são descobertas

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here