Governo dá mau exemplo: cortar 350 mil hectares de floresta no Pará

0
218
views

Governo dá mau exemplo: cortar 350 mil hectares de floresta no Pará

Governo dá mau exemplo. Quem alertou foi Claudio Angelo, do Observatório do Clima em matéria de O Eco:

Governo dá mau exemplo, imagem de desmatamento na amazônia
Olha o tamanho da encrenca!

Governo Federal cede às pressões da bancada ruralista

O Eco: “o governo federal cedeu às pressões da bancada ruralista. Enviou quinta-feira (12) ao Congresso Nacional um projeto de lei propondo o corte de 349.085 hectares da Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará. O PL substitui a polêmica Medida Provisória 756, que tiraria 486 mil hectares da unidade de conservação e foi vetada no mês passado pelo presidente Michel Temer”.

Putz, vamos ter que dormir com mais esta? O Temer não tinha vetado as MPs 756 e 758? 

MPs 756 e 758. Sim, ele tinha. Pretérito imperfeito do indicativo, note o tempo do verbo.  Eu disse, pretérito! E por que ele tinha mas agora ‘destihnou’? Ah, porque ele viajou pra Noruega e não queria dar baixaria internacional. Mas deu! Aliás, cá entre nós, a Noruega não tem tanta moral assim…

APA? Como Pode?

O Eco: “o PL propõe a transformação da área recortada em APA (Área de Proteção Ambiental), categoria de unidade de conservação que admite propriedade privada, produção agropecuária e mineração. A Flona ficará com uma área total de 953.613 hectares – hoje ela tem 1,3 milhão de hectares”.

E o que é uma APA?

O Mar Sem Fim corre pra responder: APA não é nada, um determinado território onde pode tudo. Isso  é APA. Apesar do ICMBio dizer  “que  as APAs têm como objetivo proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais”.

Verdade? Nem o Tiririca acredita, pior não fica! Veja aqui o que rola numa APA! Se nem as mais restritivas Unidades de Conservação têm fiscalização, imagina numa APA.

E o site O Eco vai mais além e diz que…

‘A perda é maior do que o que havia sido proposto na MP 756’

Como assim? Veja:

O Eco: “é uma perda maior do que o que havia sido proposto na MP 756 original, de 2016. O texto de então retirava 304 mil hectares da unidade de conservação e acrescentava outros 438 mil hectares ao Parque Nacional de Rio Novo. E dez vezes maior do que o parecer inicial do Instituto Chico Mendes, o órgão federal de unidades de conservação. Em 2009,  o ICMBio admitia o corte de 35 mil hectares da Flona para atender a demandas justas de posse”.

Governo dá mau exemplo: e perdoa quem desmatou, fato corriqueiro no país de Macunaíma

País de quem? Do Mario de Andrade, amigo. O Mario foi quem profetizou nossa sina: Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, será possível que você nunca ouviu falar? Não é a síntese do Brasil?

Agora chega de divagação e de volta ao O Eco:

“A justificativa apresentada no texto do PL pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, para reduzir a Floresta Nacional é justamente o fato de ela ter sido grilada e desmatada: “A área onde se localiza a Floresta Nacional do Jamanxim tem sido palco de recorrentes conflitos fundiários e de atividades ilegais de extração de madeira e de garimpo associados a grilagem de terra e a ausência de regramento ambiental. Com reflexos na escalada da criminalidade e da violência contra agentes públicos, sendo necessária a implantação de políticas de governo adequadas para enfrentar essas questões”.

E chega por hoje. O Mar Sem Fim ta com preguiça…Se quiser saber mais que vá pro Eco.

Por estas, e outras, um grupo de ambientalistas fez uma proposta ao Governo Federal.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here