Costa brasileira, os dez maiores absurdos

17
3764
views

Costa brasileira, os dez maiores absurdos

Costa brasileira, os dez maiores absurdos:

Pense num absurdo bem grande, na Bahia já teve precedente

Esta frase, que imortalizou Otávio Mangabeira, governador da Bahia entre 1947 e 1951, pode ser usada em relação ao Brasil e sua relação edipiana, hedonista, e esclerosada, com o mar, e tudo que diz respeito a ele. O site Mar Sem Fim não se conforma com as bobagens que vê na costa brasileira. Esta matéria dá apenas uma breve passada sobre algumas delas. E não se iluda: para cada uma aqui citada, existem outras ‘trocentas’ espalhadas pelo litoral. Senão, vejamos:

Tiros de canhão em Alcatrazes

1- Apesar da Ilha de Alcatrazes ser um dos maiores ninhais de aves marinhas da costa brasileira, ter uma esplêndida vida marinha, frequentada por tartarugas, baleias, e um sem – número de outras espécies, inclusive algumas endêmicas (da flora), a Marinha do Brasil a escolheu como alvo para tiros de canhão. A atividade já rendeu um incêndio que quase acaba com a sua vegetação.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem da ilha de alcatrazes, SP
A espetacular ilha de Alcatrazes, litoral Norte de São Paulo, por mais de 20 anos foi alvo de tiros de canhão dos navios da Marinha do Brasil

Mau gosto nas construções do litoral

2- Por sua extrema beleza, a vocação da costa brasileira, com seus mais de oito mil quilômetros, é o turismo. Ninguém discute. Mas, apesar disso, empreendimentos nascidos da especulação imobiliária continuam a estraçalhar sua beleza quase diariamente, sem que ninguém proteste. O exemplo abaixo, de um condomínio em Ubatuba, é apenas mais uma prova do descalabro.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem de condomínio em Ubatuba
O autor desta medonha obra merece o Prêmio Príncipe Charles de Excelência em Mau Gosto.

O Brasil, a pesca, e mais uma mentira petista: o Ministério da Pesca!

3- O Brasil é fraco na pesca devido ao fato de que 70% de suas águas territoriais estão em regiões tropicais, de águas quentes, pobres em nutrientes. Mesmo assim, sempre teve estatísticas anuais da quantidade pescada. Bastou o megalômano Lula da Silva criar o Ministério da Pesca para nunca mais termos estatísticas do que é retirado anualmente de nosso mar territorial. Pra que serviu este esdrúxulo ministério?

Costa brasileira, os dez maiores absurdos
País rico é país sem pobreza, ladroagem, e burrice extrema!

Especulação imobiliária destrói a beleza cênica

4- A especulação imobiliária, quase sempre atrelada a grandes grupos empresariais, e a muitos prefeitos dos municípios costeiros, costuma ‘fechar praias’ que são uso de bem comum, portanto, proibidas de serem privatizadas. Mas agora, mesmo estando dentro de uma Unidade de Conservação, a APA de Cairuçu, donos de mansões estão privatizando a lâmina d’água, sem que qualquer medida seja tomada pelos órgãos públicos. Veja o exemplo abaixo.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos,
O dono da mansão não ‘privatizou’ apenas a praia, mas também a lâmina d’água, e ninguém fala nada!

Unidades de Conservação federais marinhas: engodo total!

5- Por falar em Unidade de Conservação, e na APA de Cairuçu, vale lembrar o absurdo sem precedentes de que esta UC tem 63 ilhas em sua jurisdição. Mesmo assim, a equipe da APA não conta sequer com um único barco. Ponto para o inoperante governo federal.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, mapa da apa de cairuçu
No mapa as 63 ilhas cujo gestor da unidade não tem acesso por falta de barcos!!!

Explorando petróleo entre corais!!

6- O banco de corais de Abrolhos é a única formação de corais do Atlântico Sul, ou seja, da costa brasileira. E os corais são habitat de um, em cada quatro tipos de peixes. Mesmo assim a ANP, Agência Nacional de Petróleo, liberou a área para ser explorada para extração de petróleo.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem da ilha siriba, arquipélago dos abrolhos
Os corais de Abrolhos ameaçados pela extração de petróleo

Hotéis destroem beleza do litoral

7- Os hotéis são atraídos para o litoral pela grande beleza de sua fisionomia. Mas a primeira coisa que fazem, ao se instalarem, é destruir a beleza cênica com monstruosas construções que nada têm a ver com nossa beleza tropical. Os exemplos pipocam por toda a costa brasileira. Este, abaixo, é apenas um, entre dezenas.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, image de hotel em construção, praia do Forte
O que este caixotão de concreto, na Praia do Forte, tem a ver com uma praia tropical?

Torres eólicas e estupidez humana

8- Ninguém tem dúvida da importância da energia eólica mas, as torres para captar vento com suas imensas pás, são erguidas  nos lugares mais bonitos da costa brasileira, destruindo mais uma vez a bela paisagem. Veja este exemplo de Mundaú, no Ceará, que era assim:

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem do rio mundaú, litoral do ceará
Mundaú era assim…

Depois da instalação das torres, Mundaú ficou assim:

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagens de torres eólicas em mundaú, litoral do ceará
Costa brasileira, os dez maiores absurdos. Mundaú, descaracterizada, ficou assim…

Morticínio de tubarões em Fernando de Noronha, área “protegida”!?

9- Apesar do estúpido morticínio de tubarões mundo afora (anualmente cem milhões são mortos para terem suas barbatanas arrancadas e servidas como sopa em países asiáticos), um restaurante de Fernando de Noronha, que é um Parque Nacional Marinho, portanto “protegido”, apresenta em seu cardápio ‘hambúrguer’ de tubarão, sem que nossas ótóridades tomem qualquer providência.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem de anúncio de hambúrguer de tubarão em restaurante de fernando de noronha
Costa brasileira, os dez maiores absurdos. A estupidez tem até avaliação pelo TripAdvisor. Só mesmo no país do Macunaíma!!

Rio de Janeiro e a merda na baía de Guanabara, nosso maior cartão postal!!!

10- Apesar do Rio de Janeiro ser nosso principal cartão postal, a baía de Guanabara está morta, fétida, apodrecendo. Todos os dias, 15 mil litros de esgotos não tratados são despejados em suas águas. E o povo do Rio de Janeiro não protesta, ou protesta pouco o suficiente para o poder público continuar com sua eterna omissão.

Costa brasileira, os dez maiores absurdos, imagem da baía de guanabara
Costa brasileira, os dez maiores absurdos. Baía de Guanabara. Fétida, podre. Quinze mil litros de esgotos por segundo, é mole?

Gigante dos mares pode ter sido descoberto nas profundezas do oceano

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

17 COMENTÁRIOS

  1. Como bem disse João Lara, trata-se de um país sem um projeto de nação, sem governo, sem rumo e totalmente a deriva. Lamentavelmente estamos a mais de 4 décadas em um regime “democrático”, e o que vemos é um país corrupto e a cada dia mais ignorante, vivemos um total retrocesso em todos os setores deste país. Somos um país do futuro, que vive no passado. Um país que não preza suas riquezas naturais, sua fauna, sua flora, seus rios, seus mares e seu povo, será sempre o país do futuro. LAMENTÁVEL.

  2. A irresponsabilidade é dos órgãos e autoridades omissos, mas também é do povo sim, por omissão ou por ação. Chega de culpar “os outros”.
    Afinal, quem elege e reelege sucessivamente políticos corruptos, quando já não faltam informações sobre a ficha corrida suja dos politicos meliantes?
    E quem é que compra ou consome aquilo que sabidamente destrói o ambiente?
    Em Recife, um sujeito saiu bêbado de uma festa na madrugada e entrou no mar, no Pina, onde há tubarões. O amigo tirou-o da água duas vezes e ele voltou. Morreu afogado (ou seria devorado). O povo fechou uma grande avenida com pneus queimados, em protesto pela morte do sujeito, como se “os outros” fossem os culpados. Todo dia fecham ruas de Recife, em protestos políticos. Mas não por razões ambientais.
    R$Bilhões foram destinados à limpeza da Bahia da Guanabara, que continua suja como sempre. Olimpíada e Copa não deixaram quaisquer legados para o Brasil – apenas deixaram elefantes brancos, obras inúteis que sugarão muito dinheiro público nas próximas décadas -, ao contrário de Barcelona e Londres, p.ex. Mas ninguém protestou, ao contrário, forneceu audiência aos jogos, num país quebrado pela irresponsabilidade do PT e megalomania de Lula.
    A Transposição do desidratado Rio São Francisco – promessa de campanha de Lula do PT – não foi concluída – mas deixou os impactos ambientais das obras -, “faltou” dinheiro, mas não faltaram muito mais R$ Bilhões que esses mesmos políticos desviaram para a corrupção do sistema politico. E ainda se vê gente protestando por “Lula livre”.
    Nunca vi protestos contra a destruição do ambiente, que causa desemprego, pobreza em massa, redução do potencial econômico do país, doenças e epidemias na população e destruição da nossa única morada, a Terra. Falta consciência cidadã.
    Se não mudarmos, continuaremos uma sociedade doente, pobre e seremos obrigados a viver no lixo, ou a nos mudarmos.

  3. João Lara Mesquita alguma falha minha ou “inscrição ou coisa parecida” que deixei de fazer? Faço meus comentários mas parece que “desaparece” facilmente.

  4. É de cortar o coração o que a ganância e a estupidez humana estão fazendo com o planeta e em especial com o litoral brasileiro. Revoltante. E intrigante ver a cegueira, a imbecilidade de quem compactua com esses absurdos, comprando um imóvel desses, ou frequentando um hotel desses. Se não houvesse público para essas porcarias os especuladores bandidos procurariam outra forma de ganhar dinheiro. Mas há público. Isso é que dói mais. Como conscientizar esses idiotas? Até onde vai a cretinice humana?

  5. João Lara Mesquita eu leio todas a suas publicações e apesar de sua “luta” verbal eu diria que é tudo natimorto porque brasileiros não gostam de leituras e quando o fazem é sobre futebol ou mulheres sedutoras. Os testes ou demonstrações de burrices dos dirigentes brasileiros você nem precisa ir tão longe como nosso litoral, mas veja todas as coisas ridículas em cada metro de qualquer cidade; tente se imaginar um cego e caminhe pelas nossas ruas usando os raros pisos táteis. Certa vez o ator Geraldo Magela que é cego numa reportagem em BH me fez rir adoidadamente. Neste processo eleitoral mostramos ao mundo como o Zé Brasileiro é burrinho e tolerante afinal nos chamam de idiotas e sequer replicamos.
    Entendo e apoio sua conduta, mas você está quase como o cavaleiro armado com uma lança querendo lutar contra moinhos de vento afinal, protestar deveria gerar consequências ou efeitos modificadores, mas aqui os efeitos sempre são para pior; lamento por não ter espírito guerreiro terrorista violento.

  6. Já tenho observado o descarte de plásticos efetuado por banhistas em muitas praias, a descarga de esgoto, e algumas outras agressões ao mar. Esta reportagem traz ao conhecimento de todos os outros absurdos que acontecem nesta área. Sem dúvida, fomos aquinhoados com um território maravilhoso, mas infelizmente não merecemos tal dádiva. Parabéns pelo trabalho de esclarecimento que direciona à conscientização que tanto nos falta. João Lara Mesquita, muito obrigado, por isto vale à pena lutar.

  7. Os problemas da Baía da Guanabara não são culpa do “povo do Rio de Janeiro” que “não protesta, ou protesta pouco o suficiente”. Anualmente promessas de despoluição são feitas, inclusive garantiram que a Baía estaria despoluída para as Olimpíadas de 2016.
    Sem obras de saneamento básico nos municípios da Baixada Fluminense não tem como falar em despoluição da Baía, que ainda resiste, na área atrás da ilha de Paquetá até a APA de Guapimirim.

  8. Acredito que seriam muito mais do que 10 e muito difícil listar todos os crimes cometidos contra a costa brasileira. Cito, do meu conhecimento, pela passagem constante, Balneário Camboriú em Santa Catarina, como exemplo flagrante da especulação imobiliária consentida e a tristeza em ver que cidades adjacentes estão no mesmo caminho!

  9. João Lara seu tendencioso, será mesmo um ambientalista? criticando o Ministério da Pesca? A lei do Defeso? O mísero salário dado a pescadores quase artesanais para que não pesquem em período de desova? Que não só salva vidas mas salva cardumes, mantém um equilíbrio futuro para novas gerações? Não! tem que falar do Lula, poruqe se o Estadão não falar mau do Lula não estará satisfeito, a mentira contada mil vezes…. Péssimo jornalismo, vão falir.

  10. Parabéns João Lara Mesquita pelo seu trabalho denunciando tudo que tem sido feito de errado na conservação da costa brasileira e apresentando para muitos brasileiros, lugares que eles nem sabiam que existiam. Desde os anos 70 eu percorro o litoral do Brasil e hoje quando volto a alguns lugares que estive a 10 ou 20 ou até 40 anos atrás, chego a ficar deprimido com a destruição e falta de respeito que houve durante todo este tempo, não só com a natureza e o meio ambiente mas também com as pessoas e as culturas que habitavam estes locais. Hoje eu evito ir para alguns lugares para não ter uma surpresa desagradável, é uma pena. Parabéns e continue assim, o seu trabalho é importante principalmente para a conscientização das pessoas, que é a parte mais difícil nesta luta para a preservação do nosso planeta. Obrigado pela sua dedicação e boa sorte !!!

    • Muito obrigado, Marcelo, a ideia é exatamente esta: conscientizar. Sem isso não há pressão. E sem pressão não se muda nada. Também fico deprimido quando vejo a destruição que estamos impondo. Como contrapartida, peço que compartilhe as matérias nas redes suas sociais. Quando mais pessoas souberem, melhor. É isso. Grande abraço e volte sempre!

  11. É desta forma que estamos destruindo nossa casa.
    Muitos destes casos se dá pela omissão das pessoas e consequentemente do poder público!
    O nosso brasil, não funciona!!

    • Olá, André, bem- vindo a bordo do Mar Sem Fim! Obrigado pela mensagem. De fato, estamos destruindo nosso litoral numa velocidade impressionante. Muitos destes casos se dão, não pelo omissão, mas pela ação egoísta das pessoas, especialmente as mais ricas. São elas que fecham praias, espaço público que pertence a todos os brasileiros; são elas, ainda, que lideram a especulação imobiliária, constroem em locais proibidos, detonam a paisagem, e sempre contam com a omissão das autoridades. Nesta parte concordamos. Bem, fica aí sua opinião registrada,abraços e volte sempre!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here