Tubarão raposa e sua cauda mortal

1
85524
views

Tubarão raposa e sua cauda mortal, um dos 480 tipos de tubarões dos oceanos

O site pensamento verde assim descreve o animal: “Cientistas e ambientalistas comemoram sempre que avistam um tubarão Alopias vulpinus. Ele é popularmente conhecido como tubarão raposa. Tanta empolgação deve-se à raridade deste evento, já que é bastante difícil ver este animal nadando em mar aberto. Ele está bem perto da extinção”.

 imagem de um tubarão raposa no mar
Foto: Google

Ainda o pensamento verde: “Um dos símbolos do processo de extermínio dos tubarões, o tubarão raposa, que pode chegar aos 5,5 metros de comprimento e é conhecido por sua longa e fina cauda, transformou as águas da remota ilha Malapascua, nas Filipinas, em uma espécie de santuário. Ali, seus remanescentes podem nadar com relativa tranquilidade, longe dos pescadores”.

Já o site da britânica.com vai além. Através dele ficamos sabendo que a ‘família’ do Tubarão raposa (gênero Alopias), tem três espécies. São conhecidas  por suas longas caudas em forma de foice que podem constituir quase a metade de seu comprimento total.

São encontrados em mares tropicais e temperados em todo o mundo. Eles se alimentam de lulas e peixes, atacando após circular e agrupar suas presas em pequenos grupos.

Às vezes, eles usam a cauda para atordoar a presa ou, batendo na água, para assustá-la. Eles geralmente não são considerados perigosos para o homem. A espécie mais conhecida é o debulhador de cauda longa, ou tubarão raposa  (A. vulpinus), um peixe grande e escuro que cresce cerca de 6 m  de comprimento e é encontrado nos oceanos Atlântico e Pacífico oriental.

PUBLICIDADE

A pesca do tubarão raposa nos Estados Unidos

O site da NOAA não ensina mais: O tubarão-raposa comum do Atlântico, capturado na natureza, é uma escolha inteligente de frutos do mar porque é manejado de forma sustentável e colhido de forma responsável de acordo com os regulamentos dos EUA. Apesar disso, diz a NOAA, os tubarões-raposa comuns do Atlântico nunca foram avaliados e o status da população é desconhecido. A taxa de pesca, porém, foi mantida no nível recomendado.

imagem de tubarão raposa
Imagem, https://www.science-rumors.com/.

A Comissão Internacional para a Conservação dos Tunídeos do Atlântico realizou uma avaliação de risco ecológico para tubarões pelágicos capturados na pesca com redes de emalhe e classificou os tubarões-raposa como os menos vulneráveis ​​a essas pescarias e mais produtivos do que as outras espécies incluídas na avaliação de risco.

Biologia do animal

Os tubarões-raposa comuns vivem muito tempo (19 a 50 anos), reproduzem-se tarde e têm apenas alguns filhotes de cada vez. Os machos amadurecem sexualmente quando têm de 2 a 3 metros de comprimento e 3 a 6 anos de idade. As fêmeas são capazes de se reproduzir quando têm de 2 a 3 metros de comprimento e 4 a 5 anos de idade.

Os tubarões raposa comuns acasalam no final do verão. Os ovos são fertilizados internamente e se desenvolvem na mãe. As fêmeas dão à luz filhotes vivos, totalmente desenvolvidos após um longo período de gestação (9 meses), e têm apenas alguns filhotes.

Tubarões raposa comuns são predadores agressivos que se alimentam  de peixes, como arenque e cavala e, ocasionalmente, lulas e aves marinhas.

Eles foram assim nomeados  por sua longa cauda em forma de foice, que é usada para atordoar os peixes antes de atacá-los. Os adultos têm poucos predadores, mas os mais jovens e menores podem ser vítimas de tubarões maiores.

Tubarão raposa no Rio Grande do Sul

Curiosamente, em 17/12/2020, o site gauchazh.clicrbs.com.br informou que um tubarão raposa surgiu na praia do Imbé, no litoral norte gaúcho. Felizmente o animal teve sorte. Um equipe do Comando Ambiental da Brigada Militar foi avisada e conseguiu devolvê-lo ao mar.

Foi a primeira vez que este site tomou ciência da aparição de um deles em praias brasileiras. Pode ter havido outros, mas aparentemente, isso é raro no litoral do País.

Dez fatos interessantes sobre a espécie

Foram tirados do site https://www.science-rumors.com/.

PUBLICIDADE

(1) Estes são os tubarões que realmente têm medo dos humanos, sim, é verdade, eles nadam para longe da área do mar onde encontraram a presença de humanos.

(2) O óleo de fígado de tubarões tem um grande valor no campo médico por ser uma cura para muitas doenças crônicas. Este é o principal motivo para matar tubarões.

(3) Há um fato interessante relacionado à amizade do peixe-espada com o tubarão raposa. Acredita-se que eles caçam as baleias em conjunto com planejamento, mas não há comprovação disso. Parece ser impossível para os tubarões comerem uma baleia.

(4) Eles têm a capacidade de regular a temperatura do sangue como os tubarões brancos. Suas outras propriedades de aparência física também são semelhantes às dos tubarões brancos.

(5) Eles são nadadores realmente rápidos,  podem nadar a uma velocidade de 48,2 km / h aproximadamente.

(6) Seu sangue é 2 graus Celsius mais quente do que a água em que vivem.

(7) Por causa de suas características endotérmicas, eles podem nadar e caçar em alta velocidade.

PUBLICIDADE

(8) A barbatana caudal é tão longa quanto o comprimento de todo o corpo. Este comprimento os ajuda a nadar mais rápido e suavemente.

(9) Eles têm outra característica, a de salto, chamada de violação, que os faz pular da água como golfinhos.

(10) Seu corpo tem a forma de um torpedo que arrasta o fluxo rápido de água contra seu corpo.

Apesar destas informações sobre a pesca aparentemente sustentável, evite comer tubarões, também conhecidos como cações, de qualquer espécie.

E a maior curiosidade é saber como ele utiliza sua cauda. Assista ao vídeo, vale a pena!

Fonte: http://www.pensamentoverde.com.br/animais-em-extincao/tubaroes-extincao-conheca-curioso-tubarao-raposa/; https://gauchazh.clicrbs.com.br/ambiente/noticia/2020/12/video-tubarao-raposo-encalha-e-e-resgatado-no-litoral-norte-ckiteflbx002s017w3ndc2yfv.html.

Tubarão-boca-grande é encontrado nas Filipinas

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. consultei por aqui, pela credibilidade que vejo e aproveito para, quem sabe fazer uma contribuição, tendo sido encontrado nesta semana em Ubatuba, SP, um tubarão morto, provavelmente uma raposa, na praia Dura.

    Espero que contribua para a pesquisa e registro da presença/mapeamento dessa espécime no Brasil e Rotas.

    Talvez o Aquário de Ubatuba tenha mais informações, pois geralmente vão para lá.

    https://www.youtube.com/watch?v=9SIKz_tvY3o

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here