Protetor solar: Palau tornou-se o primeiro país a proibi-lo

4
7591
views

Protetor solar: Palau tornou-se o primeiro país a proibi-lo

Palau, arquipélago no Pacífico com mais de 500 ilhas, tornou-se o primeiro país a proibir o protetor solar. A partir de janeiro de 2020, o protetor solar que inclui ingredientes comuns, incluindo oxibenzona, não pode ser usado nem vendido no país. A multa para quem for apanhado com um protetor solar proibido é de mil dólares. A informação é da BBC, mas foi repercutida no mundo inteiro, Brasil inclusive.

image de Palau primeiro país a proibir o protetor solar.
Rock Islands, Palau, o primeiro país a proibir o protetor solar.

Palau é um Patrimônio Mundial da UNESCO

BBC: “O presidente de Palau, Tommy Remengesau, disse: “Temos que viver e respeitar o meio ambiente, porque o meio ambiente é o ninho da vida”. A nação insular se apresenta como um “paraíso primitivo” para mergulhadores. Uma lagoa nas Ilhas Rock de Palau é um Patrimônio Mundial da UNESCO. O país tem uma população de cerca de 20.000 habitantes espalhados por centenas de ilhas. A proibição – anunciada em 2018 – proíbe protetor solar que contenha 10 ingredientes. A lista inclui oxibenzona e octinoxato, que absorvem a luz ultravioleta.”

imagem de Palau, na Micronésia
Palau fica na Micronésia. Imagem,https://www.independent.co.uk/.

Protetor solar

BBC: “O número de cremes solares que contêm substâncias químicas nocivas está diminuindo. Em 2018, especialistas disseram que foi encontrado em cerca de metade dos cremes e loções. Quando o estado do Havaí, nos Estados Unidos, anunciou uma proibição semelhante – que entra em vigor em 2021 – as grandes marcas rapidamente disseram que seus produtos eram “compatíveis com os recifes”.

Frequentemente citado como um “maravilha subaquática do mundo“, o oceano que circunda Palau tem ecossistemas marinhos notavelmente saudáveis. Eles  são o lar de mais de 1.300 espécies de peixes e 700 espécies de coral. O país sobrevive do turismo de observação. Não por outro motivo o presidente adotou a medida contra os protetores solares. Antes disso, o país se tornou uma imensa reserva marinha (quase 80% da nação).

imagem de mergulhador em Palau
Os mergulhos em Palau são dos melhores do mundo. Imagem, independent.co.uk.

Outros lugares que anunciarão proibições incluem as Ilhas Virgens Americanas – onde a lei entra em vigor em março – e a ilha holandesa do Caribe de Bonaire. A International Coral Reef Foundation, organização internacional que se dedica à defesa dos recifes, comentou que “muitos” dos compostos agora banidos são “incrivelmente tóxicos para muitas das espécies marinhas”, especialmente durante o seu crescimento.

Ingredientes do protetor solar banido em Palau

Conheça, a seguir, as dez substâncias contidas em protetores solares que foram banidas do arquipélago de Palau por serem nocivas ao meio ambiente (De acordo com o site greenme.com.br):

Oxybenzona (benzofenona-3); etilparabeno; octinoxato (metoxicinamato de octila); butilparabeno; octocrileno; metilbenzilideno cânfora; benzilparabeno; triclosano; metilparabeno; phenoxyethanol.

O que diz dos protetores a Coral Reef Foundation

“Os recifes de coral são locais de lazer populares, são áreas de alto tráfego para nadadores e mergulhadores, muitos dos quais usam filtro solar. Pesquisadores da Nature Foundation estudam essas áreas de alta concentração há algum tempo, e há um crescente número de evidências científicas apontando para vários ingredientes nos filtros solares que são altamente tóxicos para os corais. Estes incluem oxibenzona, óxido de zinco, dióxido de titânio, octinoxato e parabenos. A maioria dos filtros solares “seguros” evita produtos químicos (oxibenzona) ou minerais (TiO2 / ZnO), mas raramente os dois.”

Na basta o aquecimento global para matar os corais

Na basta o aquecimento global para matar os corais, provocando seu branqueamento e, consequentemente, morte em quase todo o mundo. Segundo a International Coral Reef Foundation,”Os produtos químicos dos protetores solares são poluentes ambientais conhecidos; a maioria deles são desreguladores endócrinos ou são incrivelmente tóxicos para os estágios juvenis de muitas espécies selvagens, incluindo corais, peixes, microalgas e até pessoas. A poluição do filtro solar pode reduzir a resiliência dos ecossistemas a fatores de mudança climática e, por si só, impedir a recuperação de animais e habitats degradados.”

imagem de naufrágio da segunda guerra em Palau
Naufrágios também são atração nos mergulhos em Palau. Imagem,ndependent.co.uk.

A situação é duplamente ruim, especialmente para países em desenvolvimento, como Palau, por exemplo. “Se é verdade que as pessoas revelam seus valores  pela forma como gastam seu dinheiro, os recifes de corais são realmente muito valiosos. De acordo com um novo estudo publicado no Journal Marine Policy, o turismo em recifes de corais gera US$ 36 bilhões (U.S) em valor global a cada ano.”

Fizeram muito bem, pois, tanto Palau, como as ilhas do Havaí, que marcaram data para banir os protetores solares indesejáveis. E que a indústria reaja a tempo, e ponha nas gôndolas de supermercados e farmácias produtos mais amigáveis ao meio ambiente.

Fontes: https://www.bbc.com/news/world-asia-50963080; https://www.publico.pt/2020/01/06/fugas/noticia/defesa-corais-vida-marinha-palau-proibe-protectores-solares-quimicos-1899459; https://www.greenme.com.br/consumir/consumo-consciente/39114-arquipelagos-guerra-aos-protetores-solares/; https://www.icriforum.org/.

Ambientalistas no Brasil, uma visão crítica

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de ver de ambientalistas o mesmo empenho na preservação dos. Rios que permeiam as cidades e são as causas de muitas doenças e trajedias. As florestas são importantes, mas a fauna e flora dos milhões de córregos que são usados como esgotos, recebendo todo tipo de produtos químicos como sabões e detergentes de todo tipo, sem falar de medicamentos, desinfetantes e coisas inimaginaveis, lançados pela população que acaba tendo como destino final os oceanos. Infelizmente não vejo o mesmo empenho nós protestos e manifestações quando as afetam grandes populações e interesses de indústrias. Mas o protetor é o vilão da vez.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here