Havaí, entupido por poluição de plástico

0
1148
views

Havaí, entupido por poluição de plástico, o estado adota novas leis para preservar a indústria do turismo e a vida marinha

O Havaí, um estado com uma indústria de turismo de US $ 17 bilhões e um persistente problema de poluição plástica, está adotando uma proibição inovadora de recipientes de poliestireno para alimentos.

imagem de plástico em praias do Havaí
Praia de Kamilo, Havaí (Foto:Algalita.org)

Nos últimos anos,  esforços de limpeza  ocorreram na praia de Kamilo. Antes, os destroços tinham de 8 a 10 pés de altura em alguns lugares. Voluntários removem entre 15 e 20 toneladas de lixo novo a cada ano de Kamilo e outras praias que se estendem nove milhas até a costa.

Embora centenas de cidades e condados tenham aprovado leis  que eliminam o poliestireno em contêineres de alimentos ou outros usos, nenhuma legislação  foi bem-sucedida em nível estadual nos Estados Unidos. Um esforço similar fracassou recentemente na Califórnia.

Internacionalmente, algumas nações impuseram fortes regulamentações contra a importação e o uso de poliestireno, incluindo o Zimbábue e as Seychelles. Eles proibiram o uso de todos os itens plásticos descartáveis.

O plástico  e a vida marinha

Todo entulho plástico é uma preocupação para a saúde marinha e costeira. Porque não se biodegrada e pode  poluir  praias e o oceano. O plástico se fragmenta em minúsculos pedaços que são comidos pela vida marinha. Espuma de poliestireno  é ​​particularmente preocupante em um estado insular como o Havaí, porque é facilmente expelido de latas de lixo e, eventualmente, para o mar.

O plástico no Havaí

Mark Manuel, coordenador regional do Programa de Detritos Marinhos das Ilhas do Pacífico, na Administração Nacional Oceânica e Atmosférica de Honolulu, declarou:

A proibição seria um passo positivo para evitar que mais detritos plásticos afetassem as costas e as águas do Havaí

imagem de mapa das correntes marinhas próximas ao havaí
Correntes marinhas ajudam a levar o plástico da China, e Estados Unidos, para as ilhas do Havaí. (ilustração:http://www.amusingplanet.com/)

Espectadores lotaram a pequena sala no Capitólio do Estado do Havaí. Ali eles viram cinco senadores lerem depoimentos públicos de apoiadores e opositores da nova lei. Esta é a primeira vez em 10 anos que uma lei estadual de proibição de espuma de poliestireno passa no Havaí. Após a audiência, os membros do comitê de Comércio, Proteção ao Consumidor e Saúde do Senado votaram por unanimidade para levar o projeto adiante. Se aprovada pelo plenário do Senado e a Câmara aprovar sua  versão, a disposição entrará em vigor em 1º de janeiro de 2019. O estado já conseguiu banir as sacolas de plástico.

imagem de anúncio informando que Havaí baniu sacolas de plástico

Plástico, problema mundial não se resolve apenas com leis

O problema é muito sério e envolve três atores: a indústria, os cidadãos, e os governos. Apenas leis para proibir este ou aquele tipo de plástico, não bastam. É preciso que cada um faça sua parte inclusive, e especialmente, a indústria. É urgente que ela também seja  pressionada para mudar seus processos, e se responsabilizar pelo descarte ao menos das embalagens.

Assista vídeo sobre o lixo plástico no Havaí:

Fontes: http://www.amusingplanet.com/2016/05/kamilo-hawaiis-plastic-beach.html; https://www.globalcitizen.org/en/content/hawaii-ban-pollution-take-out-containers/?utm_source=email&utm_medium=social&utm_campaign=share; http://www.amusingplanet.com/2016/05/kamilo-hawaiis-plastic-beach.html.

Escola de Sagres, hora do mito atravessar o Atlântico

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here