São Francisco, USA, proíbe garrafas de plástico de água

2
1206
views

Garrafas de plástico são proibidas em São Francisco, USA

Aos poucos as sociedades, ao menos aquelas mais avançadas, começam a grande batalha pela diminuição do plástico, o maior inimigo dos oceanos. Cerca de dez países trabalham para banir o material. Agora temos novidades. São Francisco, uma das mais atuantes cidades a adotarem políticas ambientais limpas, acaba de proibir garrafas de plástico de água.

ilustração de garrafas de plástico com símbolo de proibição

Garrafas de plástico de água: São Francisco sai na frente

São Francisco é líder na política ambiental do país de Tio Sam. No início de março o Conselho de Supervisores da cidade votou por unanimidade a  proibição de garrafas de plástico de água  menores que 600 ml.   A proibição exclui as maratonas da cidade e outros eventos esportivos. O presidente do conselho, David Chiu, declarou:

Todos sabemos das mudanças climáticas e a importância de combatê-las. São Francisco liderou o caminho para o nosso meio ambiente

O autor da proposta foi além:

É por isso que eu peço que você apoie esta regulamentação para reduzir e desencorajar garrafas de água plásticas de uso único em serviço em São Francisco

Surpresas na reunião do Conselho de São Francisco

Francisco Alvarado, autor de matéria do site sfbgarchive.48hills.org informou: “Chiu levantou uma garrafa de água na reunião do conselho, um quarto dela cheia com óleo, para ilustrar a quantidade de petróleo usado na produção e transporte de garrafas plásticas de água. Ele também lembrou a  que a moda atual de comprar água engarrafada só começou na década de 1990 quando a indústria da água engarrafada montou uma enorme campanha publicitária que levou os americanos a comprar água engarrafada. De alguma forma, Chiu observou, “durante séculos, todos conseguiram se manter hidratados”.

Petróleo é usado na fabricação de plástico

Não restam dúvidas de que o material é importante. Mas nem todos conhecem o ciclo da indústria do plástico. Muito menos as brutais dificuldades de sua reciclagem. Por isso, a decisão da cidade californiana é exemplar. Segundo o jornal The Guardian, os americanos compram tantas garrafas de plástico de água, que seria possível  circular o globo duas vezes com elas ao redor. O Guardian informa que “a cidade liberal da Califórnia já havia liderado a proibição de sacolas de plástico, mas agora adotou um regulamento ambiental progressivo que nenhuma outra grande cidade dos EUA se atreveu – a proibição da água engarrafada.”

Novo estudo diz que água em garrafas plásticas contém microplásticos

A matéria saiu na Folha de S. Paulo, em março 2018. O texto informa que “uma nova pesquisa da Orb Media, organização jornalística sem fins lucrativos sediada em Washington, mostra que uma única garrafa de água pode conter dezenas ou até milhares de partículas microscópicas de plástico.”

“Testes em mais de 250 garrafas de 11 marcas líderes de mercado, incluindo a Minalba, no Brasil, revelaram contaminação por plásticos variados inclusive polipropileno, náilon e tereftalato de polietileno (PET). As amostram vieram de 19 locais, em nove países de cinco continentes. Algumas garrafas tinham teor zero de plástico. Uma delas acusou mais de 10 mil partículas por litro. Havia presença de plástico em 93% das amostras.”

“A Minalba informou que o processo de extração e envase da água da fonte mineral Água Santa, Campos do Jordão, segue todos os padrões de qualidade e segurança exigidos pela legislação brasileira.”

‘Mercado de água em garrafas é o que mais cresce no mundo’

A informação é da Folha de S. Paulo: “A produção de água engarrafada atinge cerca de 300 bilhões de litros por ano. Avaliado em US$ 147 bilhões por ano, este é o mercado que cresce mais rápido no mundo no setor de bebidas.”

E as grandes cidades brasileiras, estão dormindo?

Fica o recado para cidades como São Paulo,  e outras. Está mais que na hora de nossos governantes deixarem seus interesses particulares e picuinhas e fazerem sua parte. Os exemplos de quem pensa ‘além das próximas eleições’ estão aí. Qual o problema de não termos mais garrafinhas particulares (as pequenas) de água, como São Francisco? Alguém ficará desidratado? Ou adotar medidas semelhantes às tomadas pelo estado da Califórnia, que tem projeto para proibir que bares e restaurantes ofereçam os infantis, e letais (para a vida marinha), canudinhos de plástico?

Sem falar, óbvio, em medidas como investir em transporte público; penalizar automóveis; banir o diesel,etc. A França anunciou que proibirá veículos movidos a gasolina e derivados de petróleo até 2040. Londres também já anunciou medidas semelhantes. Oportuno lembrar que, segundo a OMS, cerca de 3 milhões de mortes todos os anos estão vinculadas à poluição do ar.

E, então, governantes, vamos acordar?

Ilustração e abertura: www.zmescience.com

Fontes:  http://sfbgarchive.48hills.org/sfbgarchive/2014/03/11/sf-bans-water-bottles/?page=0,0; https://www.theguardian.com/environment/2017/jun/28/how-san-francisco-is-leading-the-way-out-of-bottled-water-culture; https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2018/03/agua-em-garrafa-contem-microplasticos-diz-estudo.shtml.

Saiba como melhorar a saúde dos oceanos

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

2 COMENTÁRIOS

  1. Tem plástico na água mineral… e daí? Melhor que os coliformes fecais comumente encontrados na água da torneira. E a solução então seriam as garrafas de vidro? E as toneladas de diesel necessárias para transportar esse peso extra? Plástico em partículas não prejudica a saúde humana… sejamos mais práticos e realistas para não perdermos credibilidade?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here