Ernest Shackleton, uma lenda viva

0
4166
views

Ernest Shackleton, lenda viva, um dos maiores exploradores do período heroico da descoberta da Antártica

Ele foi um dos mais importantes exploradores da Antártica do chamado período heroico. Ernest Shackleton liderou três expedições que entraram para a história. Numa delas, cujo objetivo era atravessar o polo Sul a pé, seu navio, o Endurance, acabou preso no gelo no mar de Weddel. Era julho de 1915. O navio foi esmagado pela pressão.

Shackleton e a  corrida entre ingleses e noruegueses

O ano era 1914, e os ingleses recentemente haviam perdido uma corrida contra os noruegueses para serem os primeiros a chegarem no ponto mais extremo do Polo Sul, fincando pé na maior latitude desse hemisfério. Restava, porém, o desafio de  atravessar o polo a pé, cruzando o continente antárctico de um extremo ao outro.

Duas viagens ao Polo Sul

Longe de ser um calouro na região, Sir Ernest Shackleton já havia chefiado duas missões ao Polo Sul onde reuniu experiência e reputação necessárias para sua terceira e derradeira epopéia. Um dos refúgios por ele usado está de pé até hoje.

Shackleton, lendária expedição à Antártica

Nessa nova empreitada Shackleton reuniu uma equipe de 27 homens com as mais diversas habilidades, formações, caráteres, temperamentos, ambições. Uma equipe que partira com um objetivo de fazer história com seu pioneirismo, mas que ficou conhecida para sempre por sua bravura, coragem, tenacidade, companheirismo e uma incrível vontade de sobreviver.

O wikipedia diz que “para prosseguir com este projeto, Shackleton preparou a Expedição Transantártica Imperial (1914–17). A expedição não correu bem,  o navio, Endurance ficou preso no gelo e, posteriormente,  foi lentamente esmagado mesmo antes da tripulação conseguir desembarcar”. Um acidente bem parecido com o do Mar Sem Fim quase cem anos depois.

Shackleton não se abalou

Shackleton não se abalou. Liderou sua equipe numa saga impressionante, sem paralelo na história moderna, até encontrarem abrigo na Ilha Elephant. De lá nosso herói seguiu num escaler até a Georgia do Sul, numa travessia de 800 milhas pelo pior pedaço de mar que existe. Sofreu o pão que o diabo amassou, mas conseguiu chegar. Esta travessia é considerada um dos maiores feitos náuticos de todos os tempos.

Ernest Shackleton: da Geórgia do Sul para Punta Arenas

Da Geórgia do Sul Shackleton tentou resgatar seus homens em Elephant, mas não conseguiu se aproximar devido ao congelamento do mar. Rumou em seguida para Punta Arenas, no Chile. Lá conseguiu ajuda. O rebocador Yelcho foi emprestado. Com ele, em agosto de 1916, resgatou toda a sua tripulação.

Ernest Shackleton, imagem do mapa da viagem de Shackleton
A saga de Shackleton (mapa: Wekipedia)

Este filme é o melhor já feito sobre a saga de Shackleton. Com imagens sensacionais, o filme utiliza material gravado na época. Shackleton levou na expedição um extraordinário fotógrafo e cinegrafista.   O filme reconstitui a histórica viagem em cada um de seus  muitos detalhes. Vale a pena assistir.

(Foto de abertura: Wekipedia)

Fontes: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ilha_Elefante.

Navegador usa a mão como sextante

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here