Cavalo marinho, conheça este misterioso animal marinho

0
682
views

Cavalo marinho: conheça mais este misterioso animal marinho e sua incríveis habilidades

A sua forma estranha e incomum fascina, e confunde, as pessoas. O cavalo marinho é o quê, afinal? Apesar da aparência, trata-se de mais um tipo de peixe. Embora pareçam ser muito diferentes dos outros peixes, eles pertencem à mesma classe de todos os outros peixes ósseos (Actinopterygii), como o salmão ou o atum.

Cavalo marinho: no mundo existem cerca de 48 espécies

De acordo com o ISeahorse.org

O número de espécies de cavalos-marinhos  é ponto de conflito para os cientistas, com as relações entre as várias espécies não totalmente resolvidas. O Projeto Seahorse reconhece 48 espécies. No entanto, este número é susceptível de aumentar com mais pesquisas taxonômicas.

Já o especialista Patrick Decaluwe do Project Seahorse diz que…

Existem 47 espécies diferentes de cavalos-marinhos e 14 deles foram descobertos nos últimos oito anos, incluindo o cavalo-marinho pigmeu de Pontoh (Hippocampus pontohi), que foi nomeado oficialmente em 2008.

Doze espécies de cavalos marinhos estão na lista dos criticamente ameaçados de extinção (IUCN Red List of Threatened Specie).

Tamanho e forma

Os cavalos marinhos variam em tamanho de 1,5 até 35,5 cm. Eles são nomeados por sua aparência eqüina com pescoços curvados e longas cabeças com focinhos, seguido por seu tronco e cauda distintos. Embora sejam peixes ósseos, eles não têm escamas, mas sim peles finas esticadas sobre uma série de placas ósseas, dispostas em anéis pelo corpo.

imagem de cavalo marinho pigmeu
É preciso olhar cuidadosamente para enxergar-lo. (Foto: Sam Taylor / Guylian Seahorses of the World 2005, courtesy of Project Seahorse)

O cavalo marinho pigmeu (Hippocampus bargibanti), encontrado no Triângulo dos Corais, Indonésia, é uma das menores espécies de cavalos marinhos do mundo. Ele  tem apenas 1,5 cm.

Habitats

Cavalos marinhos vivem em águas rasas, em regiões tropicais e temperadas. Em geral habitam áreas de gramas marinhas, estuários, recifes de corais ou manguezais. Apesar disso, colônias foram encontradas na Europa, uma delas no estuário do rio Tâmisa.E também em águas mais frias como as da Nova Zelândia, Argentina, ou no leste do Canadá.

Três espécies vivem no Mar Mediterrâneo: H. guttulatus (o cavalo marinho de focinho longo), H. hipocampo (o cavalo marinho de focinho curto) e H. fuscus (o pônei marinho).

Tempo de vida

Não se sabe com certeza. É muito difícil acompanhá-los quando na natureza.  A maioria das estimativas vêm de observações em cativeiro. Nestes locais o tempo varia de cerca de um ano, nas espécies menores, a uma média de três a cinco anos para as  maiores.

Presas e predadores

Como todo animal selvagem, os cavalos marinhos têm suas presas, mas também são predados. Os animais não têm estômago ou dentes. Eles sugam suas presas através do focinho tubular. Cada olho se move independentemente, permitindo que  maximize sua área de busca. Ingerem qualquer coisa pequena o suficiente para caber na boca (principalmente crustáceos pequenos, como os anfípodes, mas também  outros invertebrados).

Os cavalos marinhos adultos têm poucos predadores devido à excelente camuflagem, estilo de vida sedentário e placas ósseas e espinhos pouco apetecíveis. Já foram encontrados no estômago de grandes peixes pelágicos, como o atum. Também são comidos por raias, pinguins e outras aves aquáticas. Mas, o maior predador, é o ser humano.

Armas

A mais importante é sua capacidade de mimetização.

imagem de cavalo marinho mimetizado
Imagem: Kalus Stiefil

Ou seja, eles mudam de cor e forma para se misturarem ao ambiente tornando a identificação de espécies individuais desafiadora. Quando no mangue, podem ser verdes…

imagem de cavalo marinho verde

Ou azuis, em mar aberto…

imagem de cavalo marinho azul

Cavalo marinho é um candidato ao título de caçador do ano

À primeira vista, o cavalo marinho é um candidato improvável ao título de caçador do ano. Ele avança nadando verticalmente, com a cauda enrolada, graças a uma nadadeira dorsal que tremula trinta e seis vezes por segundoReagem ao perigo em dois milionésimos de segundo. São capazes de se afastar a uma velocidade de 500 corpos por segundo. Mal comparando, equivaleria a um ser humano deixar para trás 10 campos de futebol de um só salto. Quando se aproxima a cerca de 1 milímetro de seu alvo, o cavalo marinho ataca usando um sistema de tendões similares ao elástico em seu pescoço para mover a cabeça para frente. Ele cobre a distância em menos de um milionésimo de segundo. No entanto, em situações normais, são lerdos. E podem percorrer longas distâncias pelo oceano – mais longe do que podem nadar – ligando-se a algas marinhas flutuantes ou detritos.

Três espécies no Brasil

No Brasil existem três espécies: o Hippocampus reidi, o cavalo marinho do focinho longo; Hippocampus erectus, o cavalo marinho raiado; e Hippocampus patagonicus, o cavalo marinho de focinho curto. A origem do nome vem do grego antigo, hippos (cavalo) e kampos (monstro marinho).

Habitat dos Cavalos marinhos encontrados no Brasil

As três espécies brasileiras estão distribuídas ao logo da costa. Habitam ambientes semelhantes, com a ressalva de que o Hippocampus reidi, a mais comum, ocupa tanto os estuários, quanto o mar. Hippocampus erectus e H. patagonicus ocupam o ambiente marinho, sendo raros os registros em estuários. Infelizmente no Brasil este é mais um peixe ameaçado de extinção.

A reprodução do cavalo-marinho

A reprodução se inicia quando os ovos da espécie são transferidos da bolsa incubadora da fêmea, para a do macho. Eles carregam os embriões  em uma bolsa semelhante a um canguru. Um cavalo marinho macho geralmente gera 100 a 500 filhotes por gestação, dependendo da espécie.  Depois de cerca de duas semanas de desenvolvimento, os filhotes estão prontos para nadar e explorar o oceano.

imagem de cavalo marinho grávido
Os grávidos…

Vale a pena assistir ao vídeo em que eles se alimentam:

Espécies exóticas e seus muitos problemas.

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here