Balneário Perequê (SC), outro Balneário Camboriú?

43
17126
views

Balneário Perequê (SC) segue rota de Balneário Camboriú

É inacreditável como insistimos em não aprender com os erros do passado. A ignorância crescente sinaliza as falhas eternas da educação básica em Pindorama. Estamos na ‘vanguarda’ da ignorância, como demonstra estudo da Ipsos – líder global de pesquisas de opinião. Desde 2012 a empresa realiza o estudo Perils of Perception, explorando a lacuna entre as percepções das pessoas e a realidade. Invariavelmente, o Brasil ocupa os primeiros lugares. Isso ‘justifica’ a bola da vez no maltratado litoral de Santa Catarina onde a especulação imobiliária bate sucessivos recordes: Balneário Perequê, o próximo Balneário Camboriú?

Balneário Perequê SC.
Balneário Perequê quer se tornar outra ‘Dubai’ brasileira.

Litoral de Santa Catarina ‘paraíso’ da especulação

Quando finalmente conheci o litoral de Santa Catarina fiquei abismado. Antes, só ouvia falar em um suposto ‘paraíso’ tropical. Ao estudá-lo, fiquei horrorizado com a especulação imobiliária detonando quase todas as praias.

Fiquei ainda mais estupefato porque o IDH de Floripa, por exemplo, é o terceiro maior do País, 0,847. Contudo, o que dizer de Jurerê Internacional, onde a especulação deu as mãos para a ostentação?

E como justificar a aberração do litoral, Balneário Camboriú, o quarto maior IDH, 0,845? Mas o rastro de destruição da especulação também pode ser analisado em Garopaba, outra praia vendida como ‘paraíso’.

Garopaba
O ‘paraíso’ Garopaba. Acervo MSF.

E não pense que ficamos por aqui. Ainda na contramão do bom senso seguem as praias do Campeche, Canasvieiras, Cachoeira do Bom Jesus, praia dos Ingleses, e até mesmo o Cabo de Santa Marta. Todas barbarizadas pela especulação.

Cabo de Santa Marta
A especulação não poupou o Cabo de Santa Marta. Acervo MSF.

Do mesmo modo, Itajaí seguia a trilha de Balneário Camboriú. Neste caso, o prefeito Volnei Morastoni (MDB) comandava o esquema especulativo que  imitava o campeão em ignorância com seus prédios que impedem a insolação.

PUBLICIDADE

Veranistas nadam em meio às próprias fezes

Não é incomum nestes ‘paraísos’ que os veranistas nadem em meio às próprias fezes. Verão sim, outro também, explodem surtos de diarreia, como neste ano em Florianópolis.

Praia dos Ingleses
Praia dos Ingleses e esgoto a céu aberto. Acervo MSF.

Ainda em 5 de janeiro, com a estação do sol mal começando e milhares de argentinos lotando hotéis e pousadas, o Estado enfrentava um surto de diarreia sem precedentes no litoral. Segundo a gauchazh.clicrbs.com.br, o caso mais grave é verificado em Florianópolis, onde a prefeitura classificou a situação como uma epidemia.’

Curiosamente, o turismo representa 12% do PIB estadual. Só mesmo a pandemia da ignorância para justificar a impiedosa destruição cênica que atrai o turismo.

Entretanto, agora a bola da vez é o…

Balneário Perequê

Pesquisando em busca de temas dei com a matéria Motivos para investir agora em Balneário Perequê, Porto Belo.

‘Localizado a apenas 4 quilômetros do centro de Porto Belo, conhecida como a capital catarinense dos transatlânticos, Balneário Perequê vem se destacando cada vez mais no mercado imobiliário. Com belezas naturais incríveis e muita qualidade de vida, a região atrai muitas pessoas a fim de investir e até mesmo morar nesse pequeno e belíssimo paraíso (lá vem ele de novo…). Inclusive, o local se tornou referência de investimento imobiliário, tanto no cenário regional quanto nacional, principalmente devido ao desenvolvimento da economia de maneira sólida e contínua, que vem transformando toda a região.’

Pelo menos o redator evitou a expressão ‘sustentável’. Menos mal. Desconfiei de um ardil. Comecei a pesquisar ‘Balneário Perequê’. Encontrei mais de dez páginas seguidas de ofertas de imóveis para uma região carente de infraestrutura. Eu disse mais de dez páginas consecutivas de venda de imóveis!

O balneário é um bairro de Porto Belo, a 72 km de Florianópolis, com população estimada pelo IBGE, em 2022, de 27.726 mil hab. Encontrei dezenas de matérias fomentando a especulação. Todas  muito parecidas, apesar de estarem em sites diferentes.

PUBLICIDADE

‘Valorização dos imóveis comprados’

Entre outras, os textos destacam que ‘o mercado imobiliário, cuja valorização de imóveis comprados na planta chega de 12% a 15% ao ano, podendo ser ainda maior caso o imóvel esteja localizado de frente para o mar.’

Ah, as casas pé na areia, os brasileiros adoram este equívoco. Depois o mar leva embora e ninguém sabe o motivo. Mais uma prova da ilimitada babaquice que bombardeia o litoral.

Assim, percebe-se que o ‘setor imobiliário aliado ao do turismo’, em ambos os casos alienados, não se cansarão enquanto não destruírem o litoral de Pindorama tal qual aconteceu na Espanha.

Balneabilidade em Porto Belo vai mal

As chamadas para investimento imobiliário, no entanto, esquecem de informar que as praias de Porto Belo e do Perequê estão impróprias para banho por falta de saneamento básico, segundo o IMA – Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina.

Além deste ‘detalhe’ A Famap (Fundação do Meio Ambiente de Porto Belo) também se manifestou, por nota, e explicou que “Estudos para implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto estão sendo realizados e assim que concluídos o município fará a concessão do serviço a exemplo de boa parte dos municípios brasileiros a partir do recente marco regulatório aprovado pelo governo federal”.

Coleta e tratamento de esgotos no papel

Enquanto os ‘estudos para implantação de coleta e tratamento de esgotos estão sendo realizados‘, os sites que instigam a especulação não param de alardear  que ‘O desenvolvimento trazido pelo mercado imobiliário tem unido as belezas naturais de suas praias com qualidade de vida. Balneário Perequê tem se tornado referência de investimento imobiliário no cenário regional e nacional…’

Ou ainda, ‘Balneário Perequê é uma das grandes apostas de construtoras e demais empreendimentos econômicos, promovendo assim o crescimento do bairro e o aumento das possibilidades para quem escolhe morar em uma das regiões que mais cresce em Santa Catarina.’

PUBLICIDADE

Indiretamente, contudo, eles confirmam que a especulação corre solta, ‘A alta do mercado imobiliário no litoral de Santa Catarina, em especial na região de Porto Belo, tem atraído novas empresas de diversos setores para a região.’

Ou, ‘Especialista em mercado imobiliário aponta que valorização recorde do Balneário Perequê, somada a investimentos por parte das construtoras, tornará o local a melhor praia do litoral catarinense.’

Balneário Camboriú
Balneário Camboriú, ‘paraíso’ dos Jecas ricos e muito ricos. Assim quer tronar-se Perequê. Imagem, Diorgenes Pandini.

Se você está preocupado com a possível falta de insolação, como aconteceu em Camboriú, não se preocupe. Muitos informam que ‘associado ao projeto dos molhes (no rio Perequê) está o de engordamento da faixa de areia do Balneário Perequê.

Corrupção na coleta e tratamento de lixo em Porto Belo

Já, digamos, os assuntos mais espinhosos não são revelados pelos sites  das empresas que promovem o caos no litoral.

Balneário Perequê
Balneário Perequê, a ‘nova’ Dubai brasileira, onde o céu é o limite.

Por exemplo, nenhum deles mencionou a Operação Mensageiro ‘que apura fraudes em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro no setor de coleta e destinação de lixo em diversas regiões de Santa Catarina, inclusive Porto Belo, segundo informou o ndmais.com.br.

Portanto, não falta apenas saneamento. Coleta e tratamento de lixo, também.

Por último, por quê o poder público deve investir em saneamento básico, coleta e tratamento de lixo, e serviço de água, se mesmo sem estes ‘atrativos’ milhares de néscios adoram ficar espremidos, tal qual sardinhas dentro de uma lata, nos ‘paraísos’ da costa de Santa Catarina?

A revolução industrial nos oceanos e seus perigos

Comentários

43 COMENTÁRIOS

  1. Os paraisos ficam cada vez mais raros no Brasil. Por isso acabam ficando bem caro. Santa Catarina não tem arrastão nas praias, roubo de celulares por ciclistas nas ruas, milhares de mendigos na rua te importunando, além da beleza de suas praias. Só peca no saneamento.

  2. O que falar em tão de Itapema, onde a administração pública virou um setor das indústria de construção civil, e não satisfeitos com a muralha de cimento armado na frente do mar, agora estão invadindo o oceano com um molhe absurdo e sem sentido, no meio da praia central, numa tentativa esdrúxula se disfarçar a poluição lançada nas águas. Obra já apelidada pela população de cocô “molhe”.

  3. Sou do Paraná e fui a famosa praia de Bombinhas recentemente no litoral catarinense, infelizmente nao conseguimos aproveitar a praia.. no terceiro dia pegamos uma virose muito forte que perdemos todos os dias restante…
    Enquanto a situacao nao melhor, nao devemos voltar para Santa Catarina… cada ano tem piorado a situacao lá com todo esse crescimento sem preocupacao com o Turista!

  4. João, de forma geral você tem razão, a especulação imobiliária trouxe e trás problemas, especialmente das coisas não resolvidas do passado como a mobilidade e o saneamento. O litoral catarinense, na parte Norte foi “desenhado”, a partir da década de 60, por topografos, e assim é o litoral do Brasil em geral. Se é verdade que o litoral catarinense tem problemas de saneamento, ele se iguala a todos os demais estados do Brasil, sem excessões. Em 1969 a construção da BR 101 acelerou o processo de ocupação do litoral, da mesma forma que ocorreu no litoral Sul e Norte do Rio e São Paulo, respectivamente. Com a duplicação entre São Paulo e Porto Alegre, o a busca pelas parias catarineneses se acelerou e, certamente nem tudo é tão ruim como você faz crer. Balneário Camboriú tem probelmas que estão sendo paulatinamente resolvidos com recurso de outorgas vindos do segmenteo imobiliário e, tem 100% de rede de esgoto implantada. Itapema tem 60%, outros muicípios estão em processo de implantação e, praticamente 80% dos empreendimentos multifamiliares de todas as praias que vc citou tem sistemas individuais de tratamento como obrigação legal de aprovação. Uma informação importante é que Santa Catarina é o estado com masior numero de praias certificadas como Bandeira Azul e para isto cada um segue protocolos revistos anualmente, sõa 16 praias e 4 marinas. E tem mais, embora a especulação esteja presente, o mercado e a economia catarinense foi a que mais cresceu na e pós pandemia a ponto de estarmos com pleno emprego, enquanto boa parte do Brasil navega em águas turbulentas. Então, acredito que exista algo de bom por aqui que talvez você não tenha conseguido visualizar.

    • Prezado Sérgio: meu foco é o bioma marinho, não os Estados brasileiros. Faço críticas a todos indistintamente. Ainda esta semana publiquei um post que viralizou mostrando a corrupção endêmica no litoral norte de SP, e os estragos da especulação comandada por prefeitos (https://marsemfim.com.br/litoral-norte-pobres-morrem-de-novo-e-dai/), e assim por diante em outros Estados. Porque a cadeia de vida marinha começa no litoral. Se o ocupamos de maneira desordenada, estamos contribuindo para o fim da vida marinha. Este é o ponto. Balneário Camboriú é uma aberração. Não há defesa possível. Basta ver a muralha de concreto que conseguiu impedir a insolação. Então, milhões conseguidos com SEUS impostos, tiverem que ser gastos numa obra questionável de alargamento da praia. Se Santa Catarina tivesse o bom saneamento que vc cita, não haveria este ano uma ‘epidemia’e diarreia em Florianópolis conforme a mídia local denunciou. E isto se repete ano após ano, em quase todos os verões. O que dizer da foto de Garopaba? Como justificar a especulação no Cabo de Santa Marta? O Estado de Santa Catarina tem muita coisa boa, sem dúvida, mas a ocupação de seu litoral vai entrar para a história como exemplo de tudo que não se deve fazer. Além disso, seus filhos e netos hão de cobrá-lo, no futuro, quando tiverem a vossa idade e começarem a frequentar o concreto armado que se apossou de seu litoral, não tenha dúvidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here