Amazônia e litoral do Nordeste, amadorismo no MMA

17
586
views

Amazônia e litoral do Nordeste, é hora de mudar. Chega de amadorismo no Ministério do Meio Ambiente

“Estamos pagando hoje o preço com os desastres de Mariana e Brumadinho. E o governo Bolsonaro não ajudou nada, até agora, a resolver os problemas reais do setor ao reduzir o status do Ministério do Meio Ambiente (que até cogitou de extinguir) e tolerar entrevistas e declarações de membros de sua administração desqualificando a defesa do meio ambiente.” A frase é de José Goldenberg, professor emérito da USP, e ex-ministro do Meio Ambiente, em artigo publicado no Estadão (18/02/2019 ) sob o título Licenciamento e desastres ambientais‘. Foi no início do governo. Menos de dois meses depois da posse. O desastre de Brumadinho era considerado, até o derramamento de óleo no Nordeste,  o maior desastre ambiental brasileiro. E é considerado o pior acidente de mineração do mundo, com 252 mortos e 18 pessoas desaparecidas até hoje. Depois vieram os desastres na Amazônia e litoral do Nordeste.

ilustração de bandeira brasileira desfigurada na região da Amazônia e litoral do nordeste

Outubro de 2018 – Campanha presidencial

“Isso vai nos colocar em uma saia-justa enorme no mundo. Enchem a boca, como se apenas nós exportássemos soja, carne. Mas temos muitos concorrentes. A União Europeia já não tem boa vontade nenhuma em nos fazer concessões. Imagine em um governo que confirme seus piores temores. Seremos marginalizados. Vão dizer que é carne e soja produzidas à base da destruição da Amazônia.” Vaticínio de de Rubens Ricupero, ex-ministro do Meio Ambiente ao O Estado de S. Paulo, na matéria ‘Absurdo falar em desmatamento zero’ que repercutia os disparates da campanha de Bolsonaro que ameaçava transformar o MMA em apêndice do Ministério da Agricultura.  Menos de um ano depois do alerta, o Acordo da União Europeia com o Mercosul está ameaçado.

Multas do Ibama

“Não vou mais admitir o Ibama sair multando a torto e a direito por aí, bem como o ICMbio. Essa festa vai acabar”, disse reiteradas vezes o presidente ainda em campanha. Foi copiado pelo ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles que, seguindo diretrizes, afrouxou multas e fiscalização (o número de operações do Ibama na Amazônia caiu 70% de janeiro a abril de 2019 em relação ao mesmo período de 2018). Aí estão, Amazônia e litoral do Nordeste, dois desastres ambientais a escancarar o amadorismo do Ministério do Meio Ambiente.

Sinal verde aos desmatadores ilegais

Ao demonizar a academia, multas, e o ministério do Meio Ambiente, Bolsonaro e Salles deram sinal verde aos desmatadores ilegais. Quando começaram as queimadas, como esperado no período seco, o Ibama já havia sido decepado de 21, de seus 27 superintendentes regionais. Salles, sempre disposto ao confronto, mandou para casa  a ‘memória do ICMBio’ (fevereiro, 2019) e, com eles, a eficiência. Deu no que deu.

Perda de tempo acusando ONGs

Enquanto o presidente perdia tempo acusando ONGs, inimigos do agro aproveitaram. Começou a pressão internacional. Só então veio a reação. Bolsonaro despachou o Exército para conter as queimadas. Era tarde. O estrago na imagem do País, e ao agronegócio, estava feito (Dados do Prodes, do Inpe, ainda não disponíveis, devem confirmar até o final do ano a porcentagem de floresta perdida. Os do Deter, também do Inpe, e motivo da exoneração de Ricardo Galvão, apontam aumento da área desmatada de 45% em comparação com os três anos anteriores.).

Outubro de 2019 – calamidade pública no litoral do Nordeste

“Não obstante a extrema gravidade do desastre ambiental, com todos os dados e impactos demonstrados, e ainda a decretação de emergência pelos Estados de Sergipe e da Bahia, fato é que a União se mantém omissa, inerte, ineficiente e ineficaz. Não há, pois, razão plausível mínima para não se implementar, de imediato, o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional. É, pela legislação e pelos fatos reais, que se impõe.” O trecho entre aspas é parte da ação que Procuradores de nove Estados do Nordeste ajuizaram para obrigar o governo federal a acionar em 24 horas o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por óleo em Água, cujos conselhos Executivo e de Suporte, foram destituídos por Bolsonaro.

Desgoverno ambiental

O governo não sabe o que fazer. Perdido, dispara acusações como fez o presidente sugerindo que foi ação criminosa da Venezuela. O governo não age, quando muito, reage. E, às pressas na última hora, despacha funcionários da Petrobrás para limparem as praias.  Passados 50 dias do acidente, já considerado o maior acidente ambiental do Brasil, o governo ainda não decretou emergência ambiental. Espera o quê? “Um alarme nacional deveria ter sido dado. Não entendo por que não foi. Investigar a causa é preciso, mas conter danos é essencial. Prevenir custa mais do que remediar. Agora a conta será cara”, declaração de Miguel Accioly, especialista em gerenciamento costeiro, da Universidade Federal da Bahia em declaração ao jornal O Globo (15/10/2019).

Amazônia e litoral do Nordeste e os erros do Ministro do Meio Ambiente

O primeiro, a falta de humildade. Negligência, e disposição ao confronto, em segundo e terceiro lugares respectivamente. Ricardo Salles, que não compreende a complexidade da pasta que assumiu, demonizou técnicos, cientistas, ONGs e que tais desde que assumiu o ministério. Como se fosse fácil comandar a pasta do Meio Ambiente num país como o Brasil, com seus muitos e emaranhados biomas, e suas enormes diferenças sociais.

Salles Perdeu seu braço direito

Tanto fez que perdeu seu braço direito meses depois de assumir. O único ambientalista na cúpula do Ministério do Meio Ambiente, Adalberto Eberhard então presidente do ICMBiopediu demissão depois de agressiva investida de Salles contra servidores do órgão em evento público registrado em TVs e redes sociais. O ministro ficou sozinho no MMA. Registre-se que servidores  do Ibama que atuam em seis Estados e no Distrito Federal enviaram representação ao Ministério Público Federal (DF) em que pedem que o órgão apure a conduta do ministro do Meio Ambiente. Eles acusam o ministro de adotar práticas de “assédio moral coletivo”.

Litoral do Brasil entregue ao deus-dará

Há muito que o Mar Sem Fim alerta que o litoral está ao deus-dará.  O mar e o litoral não chamam a atenção como a Amazônia. Não há escândalo internacional. Ninguém vê o que está debaixo d’água, só o que aparece acima das praias. E praias são apenas um dos ecossistemas marinhos atingidos. Talvez o menos importante. Mas recifes de corais e mangues, os dois mais importantes, estão comprometidos no Nordeste por décadas!

Ricardo Salles não tomou qualquer providência eficaz

Quase dois meses depois do início dos derrames o ministério de Ricardo Salles não tomou qualquer providência eficaz. Especialistas da academia alertam e membros do MPF ajuízam ações para obrigar o governo a agir. Mas ele mesmo não faz senão retirar óleo de praias, para colocar onde?  Até hoje foram retiradas da praias, e somente delas, mais de 900 toneladas de petróleo em forma de piche. O material é extremamente perigoso e poluente.

Limpeza de praias na raça

E a limpeza das praias está sendo feita com ajuda de voluntários já que as equipes oficiais são insuficientes. Foi preciso o vice assumir para mais uma vez o Exército ser despachado. Tardiamente. Cidadãos, pescadores, surfistas e outros, tentam evitar mais estragos, quase sozinhos, e sem equipamentos e instrução. A reação beira improvisação de leigo. Nada de mais se fosse obra de um dono de casa de segunda residência. Mas não é aceitável vinda do ministro de Meio Ambiente sob pena de comprometer o País, em especial, mas não apenas, os nordestinos.

É no que dá “reduzir o status do Ministério do Meio Ambiente”. O Brasil paga mais uma conta pelo descaso do governo federal, e por um alheio ministro do Meio Ambiente.

Amazônia e litoral do Nordeste e o óleo chegando em Abrolhos, único banco de corais do Atlântico Sul

Agora, na rota das manchas de óleo está o arquipélago de Abrolhos, um parque nacional marinho, único em biodiversidade em todo o Atlântico Sul. E até agora Ricardo Salles não tomou qualquer providência para proteger este ‘hot spot’ da costa brasileira. Ao contrário, ignorante como demonstra desde que assumiu, agiu contra parecer de técnicos do Ibama e colocou sete blocos de perfuração de petróleo no primeiro leilão da ANP que aconteceu em 2019. Foi mais uma derrota em sua trajetória ministerial. Apesar de ter sido um leilão recorde, os blocos de Abrolhos não receberam qualquer lance. Se o óleo realmente chegar em Abrolhos, aguardem reação internacional igual, ou superior, à das queimadas na Amazônia.

Ilustração de abertura: http://negociosecarreiras.com.br/o-renascimento-do-brasil/

Fontes: https://oglobo.globo.com/sociedade/estrago-causado-por-oleo-manguezais-corais-levara-decadas-para-ser-recuperado-1-24020406?fbclid=IwAR1JrBU6UiGg6jUbTPgwQJfWIR1U0x9fs-d6iaMrDoqKm0FMUjQUnbVYWRo; https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/nordeste-vai-a-justica-para-obrigar-governo-a-acionar-estrategias-contra-avanco-do-oleo/; https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/10/governo-bolsonaro-extinguiu-comites-do-plano-de-acao-de-incidentes-com-oleo.shtml; https://opiniao.estadao.com.br/noticias/espaco-aberto,licenciamento-e-desastres-ambientais,70002725558; https://oglobo.globo.com/sociedade/estrago-causado-por-oleo-manguezais-corais-levara-decadas-para-ser-recuperado-1-24020406?fbclid=IwAR1JrBU6UiGg6jUbTPgwQJfWIR1U0x9fs-d6iaMrDoqKm0FMUjQUnbVYWRo; https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/10/governo-bolsonaro-extinguiu-comites-do-plano-de-acao-de-incidentes-com-oleo.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR0Dn7lmdMFcFE19OhTuw59NsQwWMlmb4C8_hSHt4ogR1JA6D7xn3xo8g8I.

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

17 COMENTÁRIOS

  1. Muito triste a situação
    Dum lado ecoterroristas+oportunistas e asseclas tacando o louco
    Do outro um governo digamos assim novato demais inventando mil desculpinhas.

    E no meio.
    O pessoal de perfil tecnico
    A população
    O ambiente as praias o ecossistema

    A polarização da luta serve a ambos os extremos aos jornais. Midia. Redes sociais. Todos crescendo. Dane se o resto.

  2. Temos um presidente e ministro do MMA mal intencionados com o meio ambiente. Já era esperado que a Amazonia e o meio ambiente em geral iriam pro esgoto com Bolsonaro como presidente. Quando o Bolsotonto falou que só nomearia pessoas técnicas pro governo dele, eu dei gargalhadas. É um ministro mais burro que o outro. Até o Guedes é burro. Fala demais e não faz nada. É apenas um falador e não sabe nada de economia. A vida toda dele foi um especulador no mercado financeiro e até investigações da PF sobre calotes que ele deu em investidores, quando tinha o fundo financeiro picareta dele. Já o Moro virou uma piada e covarde quando fechou os olhos do acordão do Bolsotonto com o STF Maia e Davi Acolumbre. A Dilma foi um lixo como presidente. Mas, provavelmente, o Bolsotonto será pior que ela. O cara é burro demais e ele sabe que é burro.

  3. Pelo nível dos comentários nota-se a infelicidade da matéria. Beira ao ridículo, tendenciosa e acima de tudo anti patriótica. Ambientalistas de escritório tentando defender seus cargos ideológicos a qualquer preço. Querem mesmo é “matar a galinha dos ovos de ouro”. Tolos aqueles que são induzidos por textos desconexos da realidade brasileira. Parabéns ao Ministro e aí Governo. Sigam em frente.

  4. Quais as propostas apresentadas para evitar o derrame do óleo nas praias? Não ouvi e nem li nenhuma propostas dos ambientalistas críticos do Ministro Salles. Muito mimimi, blá blá´bla mas nada de soluções diferentes das adotadas pelo governo. Sobre os responsáveis pelo derrame, alguma propostas dos ambientalista ? Também não li nem ouvi nada, inclusive dos “ambientalista” da Globo, agora sem jornalistas e cheia de “experts” em barragens, incêndios e derrame de petróleo. No entanto li e ouvi muitos oportunistas atacarem de forma leviana o governo Bolsonaro. Salles parabéns pelo apoio dado à limpeza das praias atingidas pelo óleo.

  5. Mete o pau é fácil vamos contribuir? Que tal procurar soluções? Que tal levantar donativos para ajudar os voluntários? Enfim vamos contribuir com soluções ficar só criticando não leva a nada.

  6. Melhor ministro do meio ambiente depois da redemocratização, está cuidado do meio ambiente e não das interesses de quem se diz preocupado com o meio ambiente, simples assim.

    • 100% de acordo com você. Hoje estão atacando Ministro por conta das mentiras plantadas pela imprensa SUJA depois do showzinho do green peace. Esta ONG é um mar poluído de dinheiro, onde há altos executivos pagos a preço de ouro e com luxuosos escritórios e muitos benefícios indiretos. Conheço gente que trabalha lá e são da elite brasileira. Coincidência o navio deles passar no litoral brasileiro. Ainda, é verdade, eles não fizeram nada, apenas seguiram o roteiro da grande conspiração da esquerda global contra o atual governo, com ampla cobertura e apoio da imprensa.

  7. O Ministério do Meio Ambiente atual é realmente a cara do ministro Salles: Muita imagem, muito blá e uma incompetência descomunal. Parabéns Mar Sem Fim!!!

  8. Kkkk tudo que está aí está como antes no quartel de Abrantes…esses esquerdistas e ecologistas de iPhone nunca fizeram nada para melhorar pelo contrário permitiram o saque e o contrabando de nossas riquezas..não entendo essas publicações falando nada do mesmo ,ninguém de bem quer ouvir essas baboseiras.

  9. Cara, quando vi as “fontes” Rede Globo e Folha de São Paulo tive a certeza que a matéria realmente não presta pra nada, inclusive o ex-ministro citado falando que a União Européia pode fechar portas se passou por ridículo, nunca abriu mercado algum para o Brasil e este governo em menos de um ano já abriu e continua em processo de abertura de outros.
    Evidentemente temos que ser um pouco críticos em relação a algumas coisas, mas esse terrorismo PeTralha realmente merece ser ignorado, a única coisa que funcionou vindo desses marxistas foi a criação de mais pobreza extrema da população, começam sendo bonzinhos com todo mundo e depois tiram tudo que as pessoas tem, Maduro que o diga.

    • Concordo em grau, gênero e número. Fontes, no mínimo, duvidosas péssimas para se fazer uso. Mas uma coisa é certa, ministérios como MMA, Ciência e Tecnologia, Saúde e da Educação, sempre foram cabides para afiliados políticos ou como manter a mão na verba destinada a pasta. Então que há amadorismo nas questões “cerne” das pastas, isso há mesmo, mas ocorre em praticamente todos os ministérios, não é exclusivo do MMA não.

  10. Ecoterroristas em ação. O ministro fez bem em acabar com multas que ninguém paga e punições, e mandar embora estes engajados políticos, vai demorar um pouco, mas vai acabar este mimimi.

  11. 1- . Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, …vc foi lá, Mesquita?
    2 – As “fontes” são altamente suspeitas. Mais um ranger de dentes de esquerda. Apenas verrina inútil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here