SS Great Eastern, 1854, o maior navio da história até então

0
531
views

SS Great Eastern, 1854, o maior e mais luxuoso navio jamais construído

SS Great Eastern, este vapor  foi um colosso da era vitoriana. O livro ’50 Máquinas que Mudaram o Rumo da História’ , de Eric Chaline (Ed.Sextante), o considera como a nona maior invenção depois de, por ordem: o Tear de Jacquard; Torno Mecânico, de Roberts; Locomotiva Rocket, de Stephenson; Tear de Roberts; Plaina Mecânica, de Witworth; Motor a Vapor, de Carliss; Máquina Diferencial, de Babbage e, finalmente, a Máquina de costura Singer, Turtle Back.

SS Great Eastern, criação de Isambard Kingdom Brunei

“Nenhum navio construído até então se equiparava em tamanho ou complexidade ao SS Great Estern; sua construção, no entanto, foi encomendada a um estaleiro tradicional britânico, e deixada a cargo de um engenheiro naval de reputação extraordinária: John Scott Russel.”

SS Great Eastern, desenho do navio SS Great Eastern
O SS Great Eastern, o colosso a vapor e velas, de 18

SS Great Eastern: e o primeiro cabo telegráfico a cruzar o Atlântico

Apesar de ter sido “atormentado por problemas e contratempos quase desde o dia em foi concebido, o SS Great Eastern com seu casco duplo e sistema de direção mecanizado estabeleceu o padrão para a construção de futuros transatlânticos”.

SS Great Eastern, imagem da construção do SS Great Eastern
O SS Great Eastern sendo construído. (Foto Wikipedia)

“Seu tamanho gigantesco o tornava adequado para a tarefa de instalar o primeiro cabo telegráfico a cruzar o oceano Atlântico”.

SS Great Eastern: viagem inaugural

“O navio teve uma breve carreira como transatlântico de passageiros”. “Na primeira viagem, 1859, uma explosão em uma caldeira matou cinco foguistas e feriu vários outros”.

SS Great Eastern, imagem do salão de jantar do navio SS Great Eastern
O salão de jantar do navio. (Foto: aventurasnahistoria)

Rombo no casco: 60 vezes maior que o do Titanic

“Em outra viagem, em 1862, ele teve o casco perfurado na costa de Long Island. Abriu um rasgo 60 vezes maior do que aquele que levou a pique o Titanic“. “Mas, ao contrário deste, o SS Great Eastern, cujo engenheiro Isambard Kingdon Brunel o apelidou de  ‘Grande Bebê’, permaneceu na superfície graças ao casco duplo, e chegou a Nova York para ser reparado sem nenhum auxílio externo”.

SS Great Eastern, imagem de Isambard Kingdon Brunel
O construtor Isambard Kingdon Brunel, a notar o tamanho da corrente da âncora. Ele morreu um ano depois do navio ser lançado.(Foto Wikipeddia)

Projeto mais ambicioso do século XIX: revolucionou a arte da construção naval

Eric Chaline diz que “…ele manteve o recorde de maior navio em operação durante quatro décadas, e de maior tonelagem até o início do século XX”.

 

 

SS Great Eastern, imagem do navio SS Great Eastern
SS Great Eastern (Foto: wikipedia)

Fatos, e lendas, sobre o navio

O navio, construído em Millwall  no rio Tâmisa, tinha 211 metros de comprimento por 25m de boca (largura). Deslocava 32.680 toneladas. Podia levar até quatro mil passageiros. Ele era o maior, mais moderno e mais luxuoso navio do mundo. Uma das lendas  diz respeito ao possível ‘emparedamento’ de um dos operários, um rebitador. Seu corpo teria ficado dentro das paredes do casco.

SS Great Eastern, imagem da sala de estar do SS Great Eastern
Um das muitas salas de estar. (Foto: BBC.com)

Não havia rota que não cruzasse sem precisar abastecimento. Foi pensado para atravessar da Inglaterra até a Austrália (viagem que nunca aconteceu) sem reabastecimento. Tinha quatro motores a vapor, com dois mil cavalos de força cada um.

SS Great Eastern, imagem do navio SS Great Eastern no porto de Dublin
O SS Great Eastern no porto de Dublin. (Foto: Wikipedia)

Modelo híbrido: seis mastros para velas, quatro motores a caldeiras para duas pás e hélice

“Seus modelos revelam uma estranha mistura de tecnologias, ele tinha seis mastros para velas e chaminés para seus motores a vapor que impulsionavam duas rodas de pás gigantes e uma hélice propulsora”.

SS Great Eastern, imagem do navio SS Great Eastern no seco
SS Great Eastern no seco. (Foto: Wikipedia)

“Contava com porões de carga e acomodações de luxo para passageiros. Foi projetado para fazer a longa viagem entre a Índia e a Austrália sem ser reabastecido.

O Canal de Suez e o SS Great Eastern

Segundo a Wikipedia ” em 1857, durante o planejamento da construção do Canal de Suez, pensou-se que o Great Eastern não conseguiria atravessá-lo já que tinha um calado de 8,5 metros e esperava-se que o canal fosse escavado até uma profundidade de 7,9 m.  Em qualquer caso, quando o canal foi aberto ao transporte em 1869, o Great Eastern já não estava no serviço de passageiros”.

Obrigado a trocar de rota

“Depois da falência de seu engenheiro e de outras percalços foi obrigado a trocar de rota passando a fazer a travessia do Atlântico”. “Em 1865, incapaz de fazer dinheiro como transatlântico, foi convertido para instalar cabos telegráficos transoceânicos, tarefa que realizou até 1878”.

SS Great Eastern, imagem do SS Great Eastern no porto milford heaven
No porto de Milford Haven, 1870. O navio é tão colossal que seu tamanho eclipsa o porto e a cidade. (Foto: Wikipedia)

Final triste: desmantelado e vendido como sucata

Depois de mais de 10 anos como navio de exibição e atração turística na Inglaterra,  “terminou sua carreira como casa de concertos flutuante e outdoor gigante”, sendo finalmente desmontado em Liverpool entre 1889 e 1890. Foi desmantelado e vendido como sucata.

 SS Great Eastern, imagem do SS Great Eastern jogado numa praia de Liverpool
O fim da linha em Liverpool. O colosso da era Vitoriana jogada no praia. (Foto: BBC.com)

Assista o vídeo:

Jacques Cousteau, um surpreendente inventor. Conheça esta faceta

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here