Golfinhos em cativeiro, você acha justo?

2
2661
views

Golfinhos em cativeiro, você acha justo?

Estes simpáticos mamíferos marinhos continuam a sofrer, especialmente no Japão. A enseada de Taiji ficou tristemente famosa pela matança anual destes animais. Mas eles não são  caçados apenas para serem comidos. São caçados todos os anos também para se tornarem atrações em parques temáticos, e que tais. E tornam-se golfinhos em cativeiro. Você acha isso justo?

Golfinhos em cativeiro, mapa mostrando a enseada de Taiji, Japão
A enseada de Taijo marcada em vermelho. (Mapa: Google)

O início da prática de colocar golfinhos em cativeiro

O site dolphins-world.com diz que “a prática remonta ao século XIX, quando em 1860 um par de baleias belugas (Delphinapterus leucas) foram detidos para o Museu de Nova York. Embora Belugas não sejam precisamente golfinhos, o evento ficou marcado como antes, e  depois, nesta indústria. Vários anos se passaram até que em 1938 os estúdios da Marinha abriram um ‘dolphinarium’ na Flórida, com o modelo de negócios como conhecemos hoje, isto é, aquele em que uma platéia paga para ver golfinhos fazendo manobras. Nessa época eles começaram com um golfinho-nariz-de-garrafa. (Tursiops truncatus). Felizmente, hoje, já há quem se negue a transporá-los.

Quanto vale um golfinho?

A matéria diz que depois de cinco dias de terror cem animais foram capturados. Cada um pode valer até US$ 155 mil dólares no mercado.

Golfinhos em cativeiro, imagem de golfinho sendo sendo capturado em Taiji
Estressado, o golfinho vomita (à direita). Foto: dolphinproject.net

Golfinhos em cativeiro

Durante os cinco dias em que foram encurralados na enseada de Taiji, para a seleção ‘dos melhores animais artistas’, os golfinhos foram vistos ensanguentados, com vômito em suas bocas, feridos, lutando contra seus captores. Muitos juvenis e bebês estavam separados de suas mães.

Golfinhos em cativeiro, imagem de golfinho sendo capturado em taiji
Este não teve sorte. Foi escolhido…(foto: dolphinproject.net)

No final de cada dia, diz o site, os caçadores japoneses ‘fechavam os olhos’ e deixavam ambos os grupos, os escolhidos e os rejeitados, presos na baía sem alimento. Os mais fracos e feridos sucumbiam. Seus corpos eram levados para os açougueiros. Depois de 99 horas de terror os barcos voltam ao mar para levar os sobreviventes. Muitos não vão sobreviver.

mergulhadores
O frenesi nas águas de Taiji. (Foto: dolphinproject.net)

Parques temáticos

Este site entende que há uma grande diferença entre parques temáticos e aquários. Os primeiros são dispensáveis. É  humilhante e degradante prender cetáceos para ensinarem-nos a dar cambalhotas, pulos, e piruetas, apenas para divertir.

Os aquários

Já os aquários têm outras funções muito importantes. Além de se tornarem centros de pesquisa marinha, ensinam o público sobre a importância dos habitats marinhos, a cadeia de vida marinha, a necessidade do equilíbrio ecológico e da preservação dos ambientes. Eles são a única forma do grande público conhecer, e se apaixonar pela fantástica vida que existe debaixo d’água. Há no mundo dezenas de aquários que são referências para o estudo e, conseqüentemente, preservação da vida marinha. O do Rio de Janeiro é um deles.

Fontes: dolphinproject.net;http://www.dolphins-world.com/dolphins-in-captivity/.

Mergulhador bate recorde descendo a 139 metros

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

2 COMENTÁRIOS

  1. Se você for assitir shows com golfinhos nos parques marinhos, saiba como eles são capturados numa enseada de Taiji no Japão, na temporada de migração de varias espécies entre Set a Fev.
    Em cativeiro os golfinhos passarão a viver o resto das vidas em pequenos tanque, comentando comida marinha morta e tomando remédios contra depressão.
    A maioria destes golfinhos de cativeiro tiveram suas famílias destruídas ou inteiramente exterminadas para consumo humano, ração de Pet e peixe ou fertilizantes.
    Quer ver golfinhos, vá vê-los nadando livres na natureza. Não vá assistir ou compre ingresso para estes shows pois você estará fomentando está barbárie continue contra os golfinhos em Taiji.
    Acompanhe os grupos contra esta barbárie no Face ou Twitter
    #DoNotBuyATicket

  2. Uma barbaridade que deveria ser absolutamente proibida com aplicacão de multas pesadas para os transgressoes. Tambem, se o povo não prestigia-se não haveria mercado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here