Golfinhos em cativeiro, você acha justo?

0
308
views

Golfinhos em cativeiro, você acha justo?

Matéria do dolphinproject.net de 23 de janeiro de 2017 mostra que estes simpáticos mamíferos marinhos continuam a sofrer especialmente no Japão. A enseada de Taiji ficou tristemente famosa pela matança anual destes animais. Mas eles não são  caçados apenas para serem comidos. São caçados todos os anos também para se tornarem atrações em parques temáticos, aquários e que tais. E tornam-se Golfinhos em cativeiro. Você acha isso justo?

Golfinhos em cativeiro, mapa mostrando a enseada de Taiji, Japão
A enseada de Taijo marcada em vermelho. (Mapa: Google)

Quando vale um golfinho?

A matéria diz que depois de cinco dias de terror cem animais foram capturados. Cada um pode valer até US$ 155 mil dólares no mercado.

Golfinhos em cativeiro, imagem de golfinho sendo sendo capturado em Taiji
Estressado, o golfinho vomita (à direita). Foto: dolphinproject.net

Golfinhos em cativeiro

Durante os cinco dias em que foram encurralados na enseada de Taiji, para a seleção ‘dos melhores animais artistas’, os golfinhos foram vistos ensanguentados, com vômito em suas bocas, feridos, lutando contra seus captores. Muitos juvenis e bebês estavam separados de suas mães.

Golfinhos em cativeiro, imagem de golfinho sendo capturado em taiji
Este não teve sorte. Foi escolhido…(foto: dolphinproject.net)

No final de cada dia, diz o site, os caçadores japoneses ‘fechavam os olhos’ e deixavam ambos os grupos, os escolhidos e os rejeitados, presos na baía sem alimento. Os mais fracos e feridos sucumbiam. Seus corpos eram levados para os açougueiros. Depois de 99 horas de terror os barcos voltam ao mar para levar os sobreviventes. Muitos, diz o dolphinproject.net, não vão sobreviver.

Outros morrerão a caminho de suas novas ‘casas de vidro’, enquanto muitos vão sofrer a humilhação contínua, juntamente com o estresse físico e psicológico, ao se tornarem entretenimento público.

mergulhadores
O frenesi nas águas de Taiji. (Foto: dolphinproject.net)

O Mar Sem Fim, os parques temáticos e aquários, e Golfinhos em cativeiro

Este site entende que há uma grande diferença entre parques temáticos e aquários. Os primeiros são dispensáveis. É realmente humilhante e degradante prender cetáceos para ensinarem-nos a dar cambalhotas, pulos, e piruetas, apenas para divertir os pobres de espírito.

Já os aquários têm outras funções muito importantes. Além de se tornarem centros de pesquisa marinha, ensinam o público sobre a importância dos habitats marinhos (constantemente destruídos por ignorantes), a cadeia de vida marinha, a necessidade do equilíbrio ecológico e da preservação dos ambientes. Eles são a única forma do grande público conhecer, e se apaixonar pela fantástica vida que existe debaixo d’água. Há no mundo dezenas de aquários que são referências para o estudo, e conseqüente, preservação da vida marinha. O do Rio de Janeiro é um deles.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here