Conservação do oceano, empresa brasileira lança desafio

1
1892
views

Conservação do oceano, empresa brasileira lança desafio: camp oceano

Esta é mais uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário, em parceria com a Fundação Araucária, na busca de soluções inovadoras para os desafios do oceano. E quais seriam os desafios? São três os temas selecionados: fomentar o turismo responsável, conservando a biodiversidade; reduzir a poluição e incidentes ambientais; e mitigar os efeitos da crise climática nas cidades costeiras. O tema de hoje não poderia ser mais atual: a conservação do oceano.

Infográfico mostra desafia da conservação do oceano

Fundação Grupo Boticário

Já escrevemos por aqui sobre a importância e os incontáveis acertos da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. É um exemplo a ser seguido. Se 10% das grandes empresas brasileiras cuidassem do meio ambiente como faz o Boticário nossa biodiversidade estaria assegurada.

A Fundação nasceu em 1990 para contribuir com a conservação ambiental. Eu conheci as ações do grupo ao longo de minhas viagens pelo litoral. Seja no Sul, Sudeste, Nordeste, ou no litoral Norte, muitas das boas  ações que vi tinham a ‘mão’ da fundação.

Encontrei diversos biólogos desenvolvendo estudos para preservar animais ou ecossistemas ameaçados, com verba da Fundação. Mais tarde visitei uma das RPPNs mantidas pelo grupo, a Reserva Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba, Paraná.

Entre as mais de 60 unidades de conservação federais do bioma marinho, a que mais me impressionou foi justamente a RPPN Salto Morato, um espetáculo que rendeu um dos melhores programas que fiz para a TV Cultura na época.

E o grupo ainda mantém outra RPPN que ajuda a preservar o maltratado Cerrado, a Reserva Natural Serra do Tombador, em Cavalcante, interior do Goiás.

Portanto, é com prazer que o Mar Sem Fim divulga a mais nova ação do grupo.

Conservação do oceano, empresa lança desafio

Seguindo sua tradição de lançar editais, receber e analisar projetos, e depois escolher quais patrocinar, a Fundação Grupo Boticário em parceria com a Fundação Araucária lança nova edição da teia de soluções, processo de cocriação de projetos, capacitação, mentoria e apoio técnico e financeiro.

Infográfico mostra fase 1 do projeto conservação do oceano

Antenados, o tema não poderia ser outro, oceanos. E por que não poderia ser outro? Simplesmente porque no momento em que o mundo finalmente decide enfrentar o que cientistas consideram o maior problema da humanidade, o aquecimento global, os oceanos desempenham um papel fundamental.

O maior sumidouro de gases de efeito estufa são os oceanos. Um estudo publicado na revista Science  mostra que ‘os oceanos absorvem 1/3 de todas as emissões globais de dióxido de carbono’.

Entre 1994 e 2007, os oceanos absorveram 34 gigatoneladas de dióxido de carbono, ou 31 por cento do que os humanos colocaram na atmosfera durante esse tempo. Para não falar na superior capacidade das plantas marinhas em também retirar dióxido de carbono da atmosfera.

As plantas marinhas são mais eficientes que as florestas tropicais como sumidouro de carbono. Entre elas, destacamos o fitoplâncton, os manguezais, as florestas de algas, e prados e gramas marinhas.

Portanto, qualquer ação voltada à proteção dos oceanos em primeiro lugar, mostra estar em acordo com a ciência.

As áreas do desafio de Boticário para a conservação do oceano

Buscam-se propostas inovadoras para fomentar o turismo responsável em favor da biodiversidade marinha, reduzir a poluição no oceano e mitigar os efeitos da crise climática nas cidades costeiras.

Infográfico mostra fase 2 do projeto conservação do oceano

As soluções apresentadas podem ser voltadas a toda costa brasileira – sendo que a Fundação Araucária terá atenção direcionada às soluções para os municípios costeiros do Paraná, especificamente.

Quem pode participar?

A seleção é voltada a pessoas de todo o Brasil com idades a partir de 18 anos e pretende mobilizar profissionais de várias áreas do conhecimento.

Entre elas Tecnologia e Inovação, Engenharia, Biologia, Oceanografia, Ecologia, Comunicação, Marketing, Negócios, Economia, Ciências do Mar, Design, Desenvolvimento, Programação e Sustentabilidade, além de pesquisadores e acadêmicos.

Como fazer as inscrições?

As inscrições estarão abertas até 14 de maio de 2021 e podem ser feitas pelo site  camp.teiadesolucoes.com.br.

Infográfico mostra fase 3 do projeto conservação do oceano

As melhores soluções seguem para o Camp Oceano, um evento de três dias para aprofundar conhecimentos e trocar experiências.

Na sequência, um grupo menor avança para etapa de mentoria com especialistas. Para serem estruturadas, as melhores soluções – com ideias inovadoras, replicáveis e economicamente viáveis – concorrerão a apoios que, somados, podem chegar a até R$ 1,5 milhão.

Camp Oceano, saiba o que é

Quem explica é Emerson Oliveira, gerente de Conservação da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário. “Buscamos soluções que gerem impactos positivos e duradouros para conservação de nossas áreas costeiras e marinhas, promovendo também benefícios para as pessoas e comunidades, inclusive para superar dificuldades impostas pela pandemia que vivemos. Esperamos encontrar soluções multidisciplinares e inovadoras, escaláveis e financeiramente sustentáveis.”

Sobre a teia de soluções

Lançada em 2020, com dois processos seletivos, a teia de soluções estimulou o desenvolvimento de projetos voltados ao turismo responsável em áreas naturais e à Grande Reserva Mata Atlântica – o maior remanescente do bioma no Brasil. Ao longo dos processos, 43 projetos foram acompanhados e estruturados com mentoria e apoio técnico. Ao final, seis foram selecionados para receber apoio financeiro e serem impulsionados.

Participe, e saiba mais em camp.teiadesolucoes.com.br

Imagem de abertura: https://www.parley.tv/

Por que baleias e golfinhos encalham? Saiba porquê

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

1 COMENTÁRIO

  1. AINDA ACHO QUE OS HUMANOS E EM ESPECIAL OS BRASILEIROS APRENDERÃO SOMENTE PELAS DORES EXCRUSCIANTES PORQUE PELA SABEDORIA CUSTARÁ MUITOS MILHARES DE ANOS E ATÉ LÁ O MUNDO FOI PRO BELELÉU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here