Gramas marinhas da Califórnia, detonadas pelo aquecimento

0
65
views

Gramas marinhas da Califórnia, detonadas pelo aquecimento

Em setembro de 2019 publicamos um post que mostrava os serviços prestados pelas gramas marinhas (ou florestas de algas, ou ainda macroalgas) e as ameaças que pairam sobre o importante ecossistema marinho. Como sempre a fonte era das mais confiáveis, o New York Times, um ícone do jornalismo. Um ano depois outro ícone do jornalismo mundial, a National Geographic, publicou California’s critical kelp forests are disappearing in a warming world. Can they be saved? (As florestas de algas marinhas da Califórnia estão desaparecendo em um mundo cada vez mais quente. Elas podem ser salvas?). O tema de hoje não poderia ser outro, Gramas marinhas da Califórnia, detonadas pelo aquecimento.

imagem de gramas marinhas da Califórnia
Um dos muitos tipos. Imagem, National Geographic.

Gramas marinhas da Califórnia, detonadas pelo aquecimento

As gramas marinhas  desempenham um papel enorme na saúde dos oceanos. Abrigam importantes espécies de peixes, filtram poluentes da água do mar e armazenam enormes quantidades de carbono que aquece a atmosfera. Agora a National Geographic escreve: “A costa da Califórnia sem algas é como a Amazônia sem árvores”, diz Tom Ford, diretor executivo da Bay Foundation, uma organização sem fins lucrativos dedicada a restaurar a baía de Santa Monica e suas águas costeiras.”

“Sequoias do mar”

A NG diz que “os cientistas chamam essas florestas subaquáticas de rápido crescimento de “sequoias do mar”. Isso acontece por sua capacidade de armazenar grandes quantidades de dióxido de carbono. Ao absorver CO2 na água circundante, as algas reduzem a acidificação que pode matar a vida marinha. Por meio da fotossíntese, as florestas de algas aumentam os níveis de oxigênio no oceano. Mas, além disso, ajudam a proteger a costa da erosão, reduzindo a velocidade e o tamanho das ondas.”

imagem de gramas marinhas
Esquerda: As florestas de Kelp fornecem cobertura para espécies como baleias cinzentas, lontras marinhas e abalone. À direita: cerca de 90% das florestas de algas marinhas da Califórnia foram mortas por uma onda de calor marinha entre 2014-2016. National Geographic.

Os efeitos do aquecimento são dramáticos para todos que não se entupiram de cloroquina, substância aparentemente alucinógena tão danosa ao cérebro que algumas pessoas juram que a terra é plana como uma folha de papel.

Seja no mar ou na terra, seus efeitos são dramáticos. E vamos senti-los por muitos e muitos anos.

Um pouco mais sobre as florestas de algas

NG: “As florestas de kelp não desempenham apenas um papel fundamental na contenção das mudanças climáticas. Lontras marinhas e cerca de 800 outras espécies marinhas dependem delas. Assim como os pescadores nas indústrias de abalones e ouriços-do-mar do estado, agora devastadas por uma explosão populacional de ouriços-do-mar.”

tipo de grama marinha ou macroalga
National Geographic.

“As baleias cinzentas abrigam seus filhotes em florestas de algas. As algas também podem ser usadas como biocombustível. Na Califórnia, as florestas de algas marinhas moldam ondas absorvendo parte de sua energia para produzir as condições ideais para o surfe, um negócio multimilionário.”

Onda de calor entre 2014 e 2016

Segundo a NG, “entre 2014 e 2016, uma onda de calor marinho destruiu mais de 90 por cento da cobertura de algas ao longo de um trecho de 320 quilômetros da costa norte da Califórnia. As algas em algumas áreas do sul da Califórnia já haviam sido reduzidas em 75% no século passado. Aconteceu em razão da poluição e à pesca excessiva de espécies que protegem os ecossistemas de algas.”

imagem de gramas marinhas vermelhas
Outro dos muitos tipos. National Geographic.

“Assim como o coronavírus está exigindo um ataque interdisciplinar e multifacetado usando toda a nossa inteligência, acho que essa mesma mentalidade vai ajudar a lidar com os impactos das mudanças climáticas. E, neste caso, o declínio da floresta de algas”, diz Laura Rogers-Bennett, cientista da Universidade da Califórnia, e do Departamento de Pesca e Vida Selvagem da Califórnia. Suas pesquisas documentaram a morte das algas.”

Tentativas de recuperação na Califórnia

Segundo a NG, “Kevin Whilden, diretor executivo do Surf Sustentável, está trabalhando para conseguir que surfistas, fãs do surfe e as marcas de consumo que eles patrocinam financiem a restauração de florestas de algas por meio de seu programa SeaTrees.”

“O cultivo de algas marinhas em grande escala pode ampliar uma função crucial dos ecossistemas de algas: o sequestro de carbono. Em um estudo de 2019, os cientistas descobriram que cultivar apenas 3,8% das águas federais na costa da Califórnia poderia compensar as emissões da indústria agrícola de US$ 50 bilhões do estado.

imagem de grama marinha
National Geographic.

“Enquanto isso, o novo plano estratégico do Conselho de Proteção do Oceano da Califórnia (OPC) para restaurar as algas em todo o estado está planejado para começar no verão, embora o COVID-19 possa desacelerar as coisas. O objetivo é criar uma rede de refúgios de algas que possam semear outras áreas e começar a monitorar o litoral para verificar se há mudanças na cobertura das algas. “Prevenir a extinção local é a chave para o sucesso futuro”, diz Rogers-Bennett.”

Desejamos sucesso às iniciativas californianas. E torcemos para que boçais em posição de destaque no mundo, infelizmente capazes de influenciar outras pessoas, como  Donald Trump, e um certo presidente que insiste ‘não ser coveiro’, sejam as derradeiras cavalgaduras a alcançarem tais posições.

Imagem de abertura: National Geographic

Fonte: https://www.nationalgeographic.com/science/2020/04/california-critical-kelp-forests-disappearing-warming-world-can-they-be-saved/?fbclid=IwAR0LmTRFVC5dz03UizQC_6IUhIyr3tN408EalvQKDQQIoV2XQBc7vcOTYLY# .

Amazônia e as curiosidades, conheça sua importância

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here