Conservação do Cerrado, edital tem inscrições prorrogadas

0
852
views

Conservação do Cerrado, edital tem inscrições prorrogadas

A Conservação da Natureza no Nordeste Goiano é uma parceria da Fundação Grupo Boticário e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) em busca de propostas de soluções para o desenvolvimento socioeconômico do Cerrado, com base na proteção da biodiversidade. Se você tem algo a oferecer, não perca a oportunidade. A iniciativa destinará soma de até R$ 1 milhão para as melhores propostas. As inscrições seguem até 12 de novembro. Conservação do Cerrado é o tema de hoje.

Imagem do bioma Cerrado
O Cerrado. Imagem, Fundação Grupo Boticário.

O bioma Cerrado, algumas informações

De acordo com o site do Ministério do Meio Ambiente, ‘o Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, ocupando uma área de 2.036.448 km2, cerca de 22% do território nacional. A sua área contínua incide sobre os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além dos encraves no Amapá, Roraima e Amazonas’.

Virtudes e problemas

‘Considerado como um dos hotspots mundiais de biodiversidade, o Cerrado apresenta extrema abundância de espécies endêmicas e sofre uma excepcional perda de habitat’.

‘Do ponto de vista da diversidade biológica, o Cerrado brasileiro é reconhecido como a savana mais rica do mundo, abrigando 11.627 espécies de plantas nativas já catalogadas. Cerca de 199 espécies de mamíferos são conhecidas, e a rica avifauna compreende cerca de 837 espécies’.

Importância social

‘Além dos aspectos ambientais, o Cerrado tem grande importância social. Muitas populações sobrevivem de seus recursos naturais, incluindo etnias indígenas, quilombolas, geraizeiros, ribeirinhos, babaçueiras, vazanteiros e comunidades quilombolas que, juntas, fazem parte do patrimônio histórico e cultural brasileiro, e detêm um conhecimento tradicional de sua biodiversidade’.

PUBLICIDADE

Alteração humana

Ainda segundo o MMA, ‘Depois da Mata Atlântica, o Cerrado é o bioma brasileiro que mais sofreu alterações com a ocupação humana’.

Cerrado abriga nascentes de seis bacias hidrográficas

Uma das mais importantes características do bioma, como lembrou o ex-ministro do Meio Ambiente, Zequinha Sarney, em recente artigo para a Folha de S. Paulo, é o fato de que ‘o Cerrado abriga as nascentes que abastecem seis de nossas oito principais bacias hidrográficas’.

No momento em que o mundo começa a enfrentar cada vez mais secas intensas e prolongadas, fruto dos eventos extremos desencadeados pelo aquecimento global, isso já seria mais que suficiente para preservá-lo com todo o cuidado.

Ameaças ao Cerrado

Segundo o WWF, ‘Um dos impactos ambientais mais graves na região foi causado por garimpos, que contaminaram os rios com mercúrio e provocaram o assoreamento dos cursos de água (bloqueio por terra)’.

‘A erosão causada pela atividade mineradora tem sido tão intensa que, em alguns casos, chegou até mesmo a impossibilitar a própria extração do ouro rio abaixo. Nos últimos anos, contudo, a expansão da agricultura e da pecuária representa o maior fator de risco para o Cerrado’.

Imagem do Cerrado
Imagem, Marcelo Camargo/Agência Brasil.

E prossegue o WWF: ‘As duas principais ameaças à biodiversidade do Cerrado estão relacionadas a duas atividades econômicas: a monocultura intensiva de grãos e a pecuária extensiva de baixa tecnologia’.

Desmatamento no Cerrado

Segundo a Deutsche Welle, ‘Depois de uma leve queda em 2019, o desmatamento no Cerrado, o segundo maior bioma brasileiro, segue a tendência da Floresta Amazônica e registrou aumento em 2020’.

imagem de cultura de soja no Cerrado
Soja no Mato Grosso. Imagem,https://fernandonogueiracosta.wordpress.com/.

‘Segundo o monitoramento anual feito pelo sistema Prodes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre agosto de 2019 e julho de 2020 a destruição foi de cerca de 7,3 mil km², um aumento de 12,3% em relação ao mesmo período do ano anterior’.

Entre 1985 e 2020 o Cerrado perdeu 20% da vegetação nativa

De acordo com o site Poder 360,’o Cerrado perdeu 26,5 milhões de hectares de vegetação nativa de 1985 a 2020. O número representa queda de 20%. Quase toda a área perdida (99%) foi destinada à agropecuária. O dado é do projeto MapBiomas, divulgado em setembro de 2021′.

Conservação do Cerrado: reação da Fundação Grupo Boticário e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG)

Entre as muitas ações para inverter este quadro surgiu a união entre os dois gigantes, Fundação Boticário, que não cansamos de elogiar como a mais importante atividade empresarial voltada ao meio ambiente, e a FAPEG.

PUBLICIDADE

Para onde mandar sua proposta

Os interessados devem submeter suas propostas para a Fundação Grupo Boticário ou FAPEG, sendo vedada a submissão da mesma solução para ambas as instituições. A participação é gratuita e a inscrição deve ser feita em formulários específicos, disponíveis neste link.

Confira o regulamento completo

Ao final do processo, que seguirá até os primeiros meses de 2022, as melhores soluções poderão receber apoios financeiros para serem alavancadas. Ao todo, serão destinados R$ 1 milhão. Confira o regulamento completo aqui.

A união de forças entre diferentes atores, única solução

“A união de forças entre diferentes atores é elemento essencial para a conservação da natureza. É essa sinergia que faz a Fundação Grupo Boticário e a FAPEG caminharem juntas em busca de projetos que contribuam com a proteção e o desenvolvimento socioeconômico sustentável da savana mais rica do planeta. O Cerrado é um dos biomas mais ameaçados do Brasil, que sofre constantemente com incêndios de grandes proporções e com o desmatamento”, afirma o presidente da FAPEG, Robson Domingos Vieira.

O Mar Sem Fim aplaude mais esta ação e deseja sorte a você que pretende inscrever sua sugestão!

Imagem de abertura: Fundação Grupo Boticário

Fontes: https://antigo.mma.gov.br/biomas/cerrado.html; https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/questoes_ambientais/biomas/bioma_cerrado/bioma_cerrado_ameacas/; https://www.dw.com/pt-br/desmatamento-no-cerrado-volta-a-crescer-em-2020/a-56016083.

Tamara Klink, velejadora solitária, volta ao Brasil

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here