Baleia negra, nova espécie de cetáceo é descoberta

3
9364
views

Baleia negra, nova espécie de cetáceo é descoberta

É uma ótima notícia! Por uma destas ironias do destino, ela foi descoberta em águas do Japão, um dos poucos países, ao lado de Dinamarca e Islândia, que ainda caçam cetáceos (Saiba mais). A baleia negra é o novo membro dos cetáceos. Ela já tem nome científico, Berardius minimus. “Só de olhar para elas, poderíamos dizer que  têm um tamanho corporal notavelmente menor. Com um corpo em forma de eixo, um bico mais curto e uma cor mais escura em comparação com as espécies conhecidas de Berardius”, explica o comissário emérito Tadasu K Yamada da equipe de pesquisa do Museu Nacional da Natureza e Ciência em Tóquio.

desenha de nova espécie de cetáceo, a baleia negra
A baleia identifica com a letra A é a nova espécie, Berardius minimus, ou baleia negra. A outra, identificada pela letra B, é a espécieBerardius bairdii.

 Baleia negra, descoberta em Hokkaido, Japão

O site https://www.forbes.com/ disse que “Durante anos, os baleeiros em Hokkaido, no Japão, descreveram os locais de uma baleia não identificada. Era conhecida localmente como ‘kuro-tsuchi’ ou a ‘baleia-de-bico-preto’, devido à sua semelhança com a baleia-de-bico encontrada na mesma área do Pacífico Norte. Agora, usando sequenciamento de DNA e comparações físicas, os cientistas confirmaram que a ‘baleia-de-bico-preto’ , ou baleia negra, é, de fato, uma nova espécie. O animal é do tronco Ziphiidae, uma família de cetáceos dentados. São animais discretos, raramente observados no mar. E têm dimensões apreciáveis. Podem também ser chamadas de baleias-bicudas, zífios, baleias-nariz-de-garrafa e baleias-de-bico, por terem um focinho pronunciado.”

A pesquisa no Japão

O site https://www.publico.es/ explicou que “A pesquisa, cujos resultados foram publicados no Scientific Reports, é uma colaboração entre o Museu Nacional da Natureza e Ciência em Tóquio, a Universidade de Hokkaido, a Universidade de Iwate e o Museu Nacional de História Natural dos Estados Unidos. Os Zifios preferem águas profundas do oceano. Eles têm uma grande capacidade de mergulho, o que os torna difíceis de ver. Mas a Stranding Network Hokkaido, um grupo de pesquisa fundado e gerenciado pelo professor Takashi F. Matsuishi, da Universidade de Hokkaido, coletou seis zifios não identificados ao longo das margens do mar de Okhotsk.”

Cetáceos parecidos

“Esses cetáceos compartilhavam características de Berardius bairdii (berardio de Baird). Foram classificados como pertencentes ao mesmo gênero Berardius. No entanto, uma série de características externas distinguíveis, como proporções corporais e cores, levou os cientistas a investigar se essas baleias de bico pertenciam a uma espécie atualmente não classificada.” Assim surgiu para o mundo a baleia negra.

As boas novas sobre as baleias

Estes leviatãs dos oceanos foram quase levados à extinção pela caça que sempre houve, mas que passou para escala de  ‘perigo de extinção’ durante o século 19. A sociedade daquele tempo  dependia do óleo da baleia, como a nossa ainda depende do petróleo. Aos poucos, a descoberta e refino do óleo  limitou, e quase acabou com a caça aos cetáceos no mundo. Mais recentemente, com  o aprimoramento dos estudos sobre a vida marinha, descobriu-se a importância das baleias para o ecossistema marinho. Com a moratória da caça, varias espécies reagiram, e seu número aumentou consideravelmente. Podemos provar no litoral brasileiro. Recentemente, Ilhabela emergiu como local visitado pelas jubartes. Hoje, há até mesmo estudos que mostram a importância das baleias para mitigar o aquecimento global. A novidade da baleia negra é muito bem-vinda.

Baleia negra, alguma características

O site https://www.forbes.com/ detalha:” elas são conhecidas por sua impressionantes capacidades de mergulho profundo. Sua respiração foi documentada e é de mais de uma vez por hora. Dada a preferência da baleia de bico pela profundidade, elas não são tão bem compreendidas quanto as outras espécies.” Já o site https://www.publico.es/ diz que “as baleias negras medem entre 6,2 e 6,9 ​​metros.” Segundo o pesquisador Takashi F. Matsuishi, “ainda não sabemos como são as fêmeas adultas. E  existem muitas questões relacionadas à distribuição de espécies, por exemplo, que também não conhecemos.”

Baleia ‘karasu’ ou ‘corvo’

A baleia negra pode não ser a única novidade no reino dos cetáceos. Segundo o site da Forbes, “Os baleeiros japoneses de Hokkaido também descrevem lugares onde encontram a  baleia ‘karasu’ ou ‘corvo’. Mas os pesquisadores não têm certeza se essa baleia é a mesma que a baleia-de-bico-preto recém-descrita, ou se é outra baleia-de-bico que permanece nas águas profundas da costa do Japão, esperando para ser oficialmente identificada.”

Fontes: https://www.publico.es/ciencias/nueva-especie-animal-descubierta-ballena-negra-nueva-especie-cetaceo.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=web&fbclid=IwAR0f93St1M03Bwyw-Y4UmZb01srm3TUpMz4loXFs3XRQ5nPBP20RljSkC2k; https://www.forbes.com/sites/allenelizabeth/2019/09/09/new-species-of-beaked-whale-discovered-in-japan/#34477ac87f91; https://www.nature.com/articles/s41598-019-46703-w.

Guarás voltam a Florianópolis depois de mais de 100 anos

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here