Torben Grael: Brasil ainda tem de quem se orgulhar

0
326
views

Torben Grael: Brasil ainda tem de quem se orgulhar

Torben Grael, atualizado, Agosto, 2017

Torben Grael em entrevista à Folha de S. Paulo, Julho, 2017, o campeão reclama da poluição na Baía de Guanabara, diminuição de verba à vela, crise política e, sobre a imprensa, afirma:  excesso de futebol na TV, ” a reprise da reprise da reprise”.

Redução do percentual de repasse da Lei Piva

Em tempos de crise política sem precedentes é normal que abaixe o orgulho próprio dos cidadãos. Mas ainda temos de quem nos orgulhar: Torben Grael, excepcional caráter, talento à prova de balas com cinco medalhas Olímpicas: dois ouros, uma prata e dois bronzes, ele abre a boca à Folha: “a gente teve uma redução do percentual de repasse da Lei Piva, apesar do bom resultado nos Jogos do Rio, frente a outros esportes que não ganharam medalha e tiveram um aumento”.

Torben Grael, imagem de Torben Grael
Torben Grael, brasileiro, e motivo de orgulho. (Foto:AquiTem! Niterói)

CBVela

A Folha diz que “a CBVela recebeu 4,6% do total das verbas repassadas pelo COB às confederações em 2016. Em 2017, a fatia será de 4,5%, mesmo após a conquista do ouro nos Jogos do Rio na classe 49er FX”.

O jornal explica:

“Em 2007, Lars Grael -também velejador olímpico e irmão de Torben- deixou a presidência da CBVM (Confederação Brasileira de Vela e Motor) pouco após assumi-la para que ela sofresse intervenção do COB”.

“A entidade estava falida, com dívidas estimadas em cerca de R$ 100 milhões e impossibilitada de receber patrocínios e verbas da Lei Piva devido a bloqueios judiciais”.

“Sem conseguir saldar as dívidas, a solução encontrada pelas federações estaduais foi a fundação de nova entidade. Em 2013, surgiu a CBVela (Confederação Brasileira de Vela)”.

Livre dos débitos

“Livre dos débitos, a vela pôde voltar a receber patrocínios para se reorganizar. A entidade renovou acordo com o Bradesco até Tóquio-2020”.

“A renovação é acompanhada por mudanças no estatuto. A partir de 2020, atletas, técnicos, oficiais de regata e medalhistas olímpicos terão direito a votar na eleição presidencial. A regra foi aprovada em maio deste ano”.

Qual foi o legado deixado após os Jogos do Rio?

Torben Grael – Temos boas notícias e algumas más notícias. Vemos muitos equipamentos abandonados e mal tratados o que é muito ruim para o esporte brasileiro. No caso da vela, acho que o investimento praticamente todo na Marina da Glória foi privado e temos uma marina renovada, o que é um motivo de satisfação…

Poluição da Baía de Guanabara: ‘é possível despoluir, mas precisa de vontade política’

É possível, mas precisa de vontade política, requer recursos, investimentos de um montante grande e pressão da sociedade. Eu não vejo essas coisas acontecerem nesse momento…

Futebol na TV: ‘reprise da reprise da reprise’

O esporte pode ser veículo para esta mudança (situação política atual)?

O esporte trás ensinamentos de comportamento e ética que são importantíssimos. Acho que um país que investe no esporte e na cultura é um país bem melhor que um país que investe só num determinado esporte. E esse não é um problema de política e de governo, mas um problema até da imprensa. Se você abrir o jornal e der uma olhada nos canais de televisão só tem futebol, cara. É reprise da reprise da reprise. Um monte de blá-blá-blá, é ridículo.

Expectativa para os Jogos de Tóquio: ‘Olimpíada do outro lado do mundo’

Qual é a sua expectativa para a vela?

Vai ser uma Olimpíada bem diferente do do Rio para a gente. Aqui a gente estava velejando em casa, com conhecimento da raia de regata e com muito menos despesas. Agora a situação é oposta. A Olimpíada é do outro lado do mundo, é caro ir pra lá, são muitas horas de voo. O único fator positivo é que a gente fez uma parceira com a equipe japonesa. Tratamos eles da melhor forma possível aqui no Rio e a gente tem recebido uma reciprocidade nas visitas ao Japão. Esperamos que continue assim.

Crise política: ‘não tem ninguém satisfeito’

Como você vê a situação política?

Acho que ninguém está satisfeito. Tira esperança das pessoas, a confiança no futuro, isso é muito ruim. Uma crise continuada. Não vemos um novo comportamento das pessoas que deveriam promover essa mudança. Acho que isso é bastante duro de as pessoas digerirem.

O Mar Sem Fim agradece ao Torben Grael

Por você ser quem é Torben: um brasileiro que, a despeito das repetidas crises, só tem feito o bem.

A entrevista é bem maior. Selecionamos os trechos que consideramos mais importantes. Vale cada parágrafo!

Atualização:

Quem trouxe a novidade foi o Almanáutica, e diz respeito ao convite feito à filha do mestre, Martina Grael, que “foi anunciada oficialmente, hoje, terça-feira (1º), pelo Team AkzoNobel – equipe holandesa na disputa da Volvo Ocean Race. A atleta será a primeira brasileira a correr a Volta ao Mundo entre todos os nove representantes do país na história do evento. Martine Grael foi escolhida pelo comandante Simeon Tienpont para formar a tripulação ao lado do também brasileiro Joca Signorini”.

Mais um motivo de orgulho para o Brasil e a família Grael.

Fontes: Folha de S. Paulo, Julho, 2017

Almanáutica

Jacques Cousteau, um surpreendente inventor. Conheça esta faceta

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here