Navio esquisito, surpreenda-se: ele é fora dos padrões

0
1020
views

Navio esquisito, surpreenda-se: ele é muito fora dos padrões

O “Floating Instrument Platform” é um navio esquisito, de pesquisa, do Office of Naval Research, e operado pelo Laboratório de Física Marinha do Instituto Scripps de Oceanografia. Ele mede 355 pés (108 metros) de comprimento e tem compartimentos destinados a inundar parcialmente. O navio-plataforma hoje é usado em pesquisas sobre a altura das ondas, sinais acústicos, temperatura e salinidade da água, além de coleta de dados para a meteorologia.

imagem de navio esquisito que se parte em dois

Histórico

O site diz http://ocean.si.edu/ que “Lançado em 22 de junho de 1962, o FLIP foi desenvolvido por Fred Fisher e Fred Spiess, cientistas do Scripps, como uma plataforma excepcionalmente estável para pesquisas relacionadas a um programa de armas submarinas da Marinha dos EUA. O design exclusivo, semelhante a um bastão longo de beisebol, foi inspirado em finas boias flutuantes conhecidas como “boias esparsas”. No início dos anos 60,  era considerado uma inovação no design oceanográfico – e cinquenta anos mais tarde, continua sendo um só. Uma espécie de maravilha.”

Como a tripulação sobrevive ao lançamento da FLIP?

O mesmo site responde: “Com facilidade. Toda a tripulação sobe no convés enquanto usa coletes salva-vidas enquanto o FLIP lentamente começa a mergulhar na água. Todo o processo leva cerca de meia hora, e nos primeiros 20 minutos não parece que muita coisa está acontecendo porque os tanques de lastro são enchidos   lentamente. Mas os últimos cinco minutos são muito empolgantes porque, como o FLIP se torna vertical, todo o navio gira em círculos de 2 a 3 vezes. Depois, o mundo horizontal foi convertido em um mundo vertical a bordo.

O navio esquisito não tem  motor

A plataforma não tem motor. Precisa ser rebocada por um navio até o local escolhido pelos pesquisadores. O navio esquisito é tripulado por cinco pessoas e pode levar até 11 cientistas. Sua autonomia é de cerca de um mês. Dos 108 metros de comprimento, apenas 17 ficam fora dágua enquanto duram as pesquisas.

Quando termina o trabalho injetam ar comprimido nos tanques cheios d’água. Aos poucos a água é expulsa até que todo o corpo do navio venha à tona novamente.

Navio Prof. W. Besnard, destino: fundo do mar ou museu?

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here