Mexico protege seus corais: agora com seguro contra danos

0
582
views

Mexico protege seus corais: país lança seguro contra danos

Mexico protege seus corais. Esta é apenas mais uma prova da importância dos corais, e das ameaças que eles sofrem com o turismo desordenado, aquecimento dos Oceanos, a acidificação, que matou um terço dos corais da Grande Barreira; tempestades e furacões.

Para amenizar novos acidentes o México mostra pioneirismo ao segurar seus corais. Quem trouxe a notícia foi o the guardian.com.

Mexico protege seus corais: entenda como funciona o seguro

“Um trecho de recifes de corais ao largo da Cidade do México é o campo de testes para uma nova idéia que poderia proteger os ambientes sensíveis ao redor do mundo: o seguro”.

Mexico protege seus corais, imagem de corais de Cancun
Mexico protege seus corais. Foto: The Guardian

“Os recifes, ao largo da costa de Cancun, serão os primeiros a serem protegidos sob um regime de seguro pelos quais o prêmio será pago pelos hotéis locais e o governo. Dinheiro será liberado para pagar danos aos recifes caso sejam atingidos por furacões ou tempestades”.

A proteção à costa oferecida pelos recifes

Os benefícios dos recifes de coral não se restringem à vida marinha. Eles formam uma barreira protetora à costa em caso de tempestades com ondas grandes. Nestes casos, as ondas perdem impacto ao atingirem as barreiras de corais. Mas, se protegem a costa, perdem simultaneamente parte de sua estrutura nos casos de tempestades severas.

The Guardian explica que ” segundo a apólice de seguro de Cancun, feita pela companhia Swiss Re e a ONG The Nature Conservancy, as organizações de turismo locais serão as empresas que pagarão o prêmio. A área protegida pelo seguro tem 40 milhas de extensão, a um custo que vai de US$ 1 milhões de dólares, até US$ 7.5  milhões”.

“Se quaisquer tempestades destrutivas danificarem o sistema de recifes, a seguradora irá pagar um prêmio que pode oscilar entre   US $ 25 milhões, a US$ 70 milhões num dado ano”.

Como ‘curar’ os recifes em caso de tempestades

Sempre é bom lembrar que recifes de corais são animais. Por isso o termo ‘cura-los’ em caso de danos. The Guardian: “Quaisquer pagamentos serão usados para a restauração do recife, por exemplo através da construção de estruturas artificiais que podem aumentar a altura do recife em caso de danos causados por tempestades”.

E como fazer isso? The Guardian explica: “pedaços de corais danificados  podem ser removidos.  Eles descansam numa espécie de ‘UTI’ por um período de semanas ou meses, o que contribui para que os danos  regridam  até o ponto em que possam ser  recolocados no seu habitat natural”.

E quais as vantagens?

“As vantagens de tal restauração vão muito além de contribuir com a economia gerada pelo turismo. Os recifes proporcionam um bom freio natural  contra tempestades destrutivas. Eles são viveiros para peixes quando estão crescendo, e formam uma parte vital do ecossistema marinho. Sua saúde ou declínio  é vista como uma dos principais indicadoras do estado do meio ambiente global”.

O pioneirismo de Cancun pode ser um exemplo para o mundo

“O esquema de Cancun,  a ser executado pela Swiss Re e a Nature Conservancy, com o apoio do governo mexicano, é pensado para ser um dos primeiros no mundo a amarrar os benefícios ambientais e os “serviços ecossistémicos” fornecidos pelo  conjunto de características físicas, químicas e biológicas que influenciam a existência de uma espécie animal ou vegetal, firmando custos monetários e recompensas. Se der certo pode se tornar um modelo para projetos semelhantes no futuro, ligando a proteção e preservação do meio ambiente a pagamentos em caso de desastres”.

Parcerias Público Privadas

“”As parcerias público-privadas são a chave”, disse Mark Tercek, executivo-chefe da Nature Conservancy, em uma entrevista com ao Guardian. “Tercek disse que o esquema Cancun vai dar um exemplo de parceria entre as empresas privadas, governos e empresas de seguros. E seria possível repicar o modelo mundo afora”.

Como se vê, não são apenas os ambientalistas brasileiros que pedem urgência às Parcerias Público Privadas para áreas protegidas. Enquanto no Brasil a ideia causa repulsa aos atrasados mentais (veja as mensagens recebidas pelo Mar Sem Fim ao post acima grifado), o Mexico sai na frente e põe em prática a ideia.

Manguezais, os próximos a receberem seguros

The Guardian diz que “a meta futura pelos produtos de seguro  poderiam ser manguezais, que também  protegem a costa contra  danos causados por tempestades, e estão sob ameaça idêntica aos corais. São destruídos para abrir caminho  ao crescimento de cidades costeiras, ou para agricultura. Para não citar as ameaças em razão das mudanças climáticas”.

Swordfish no Mediterrâneo: sobrepesca provoca estado crítico

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here