Descontrole na Amazônia persiste, até quando?

2
845
views

Descontrole na Amazônia persiste, até quando?

Mesmo com os olhos do mundo fixos na Amazônia o  governo demonstra que perdeu o controle da região. O desmatamento continua a crescer, o garimpo ilegal desafia as autoridades, e invasores de terras em Rondônia estimulados pela inação federal loteiam a floresta e criam até um canal no You Tube. O descontrole na Amazônia persiste, post de opinião.

Descontrole na Amazônia: invasores de Flona em Rondônia abrem canal no YouTube

Escárnio número um.

Em seis de junho a Folha de S.Paulo publicou ‘Invasores loteiam floresta em RO e criam até canal no YouTube’.

O jornal mostra que apesar de ser crime grilar terras e provocar danos dentro de uma unidade de conservação, ‘invasores da Floresta Nacional (Flona) de Jacundá, em Rondônia, não temem em se expor em um canal do YouTube, discutem distribuição de terras em WhatsApp e até recebem ajuda de uma prefeitura’.

É incrível que isto aconteça no momento em que o mundo decide combater pra valer o aquecimento global. Mas o descaso do governo brasileiro continua absoluto. A Folha informa que ‘a invasão começou em 15 de fevereiro, mas, passados quatro meses, não houve sequer uma notificação judicial’.

PUBLICIDADE

Imagem de invasão de terras na Amazônia
Invasores participam de ato evangélico dentro da Flona. Imagem, Divulgação 2,maio, 2021.

A Folha teve acesso ao grupo de WhatsApp e relata imagens compartilhadas que ‘mostram máquinas da prefeitura de Candeias do Jamari (a 28km de Porto Velho) arrumando a estrada de acesso ao acampamento’.

Segundo o jornal, no canal do YouTube Jacundá – a terra Prometida, os vídeos são protagonizados pelo aparente líder da invasão, Humberto Ferreira. Em um deles, Como conseguir seu lote no assentamento Jacundá, ele orienta pessoas interessadas’.

O jornal informa que enviou perguntas ao ICMBio e ao Ministério do Meio Ambiente sobre quais as providências tomadas. Como sempre, desde que a atual gestão assumiu, não houve respostas.

Enquanto persiste a omissão o chefe da invasão, Humberto Ferreira, conversou com o jornal e com muita tranquilidade explicou que não teme uma ação de reintegração de posse. Ferreira discorre sobre a ocupação de áreas proibidas, e os constantes perdões através de regularizações de invasões.

Imagem de Humberto Ferreira
O chefe da invasão Humberto Ferreira age livre, leve e solto. Certo da impunidade. Imagem, Arquivo Pessoal/mai.2021

A certeza da impunidade é tão grande que ele não se acanha em dizer ‘que a invasão está começando uma nova fase, e que a meta é atrair 30 mil pessoas para dentro da Flona de 221 hectares, dos quais apenas 1,7% está desmatado, segundo o sistema Prodes, do Inpe’.

Recorde de desmatamento em Março, Abril e Maio

Escárnio dois.

Março, 810 km2 desmatados

Depois dos dois primeiros anos com recordes de desmatamento, o País passou a ser visto como pária no concerto das nações. Era de se esperar alguma reação. Mas as tentativas foram um fracasso como demonstramos no post Operação Verde Brasil 2 é encerrada. Valeu a pena?

Enquanto esta operação era liderada pelo vice-presidente, responsável pelo Conselho da Amazônia, o ‘ministro’ do Meio Ambiente atuava para impedir as multas do Ibama. Elas  caíram em mais de 37% no período de maio a dezembro de 2020.

Imagem de desmatamento na Amazônia
Getty Images.

O resultado da Operação Verde Brasil 2, que se encerrou em 30 de abril, foi um fiasco. Em 2020, a devastação na Amazônia foi de 11 mil km2, 10% a mais que no primeiro ano desta administração.

Para não falar na devastação do Pantanal, que  sofre os efeitos  de uma brutal seca também em consequência do desmatamento da floresta amazônica.

Então entramos em 2021 e voltaram os recordes de desmatamento mensais. O desmatamento em março na Amazônia atingiu o pior índice para o mês dos últimos dez anos, segundo levantamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, Imazon.

PUBLICIDADE

Nada menos que 810 Km2 foram desmatados na Amazônia Legal. Esta área equivale à cidade de Goiânia. Um aumento de 216% em relação à área desmatada em março de 2020.

Abril, 778 km2 desmatados

O Imazon mostrou que o desmatamento atingiu 778 km2 na Amazônia em abril, o maior valor para o mês em 10 anos.

De acordo com o site da ONG ‘as informações são do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), que monitora a região via satélites.

imagem de desmatamento na Amazônia
Imagem,https://cn1.com.br/.

O número também representa um aumento de 45% em relação a abril de 2020, quando o desmatamento somou 536 km²’.

Maio 1.180 km2 desmatados

Pelo terceiro mês consecutivo o desmatamento bate recorde na Amazônia. Segundo o jornal O Globo, ‘com dados de 28 dias, a área desmatada foi de 1.180 km2, um aumento de 41% em relação ao mesmo mês em 2020’.

O jornal informa que maio de 2021 atingiu o pior índice desde o início da série histórica, em 2016, segundo dados do Inpe.

Junho: garimpeiros ilegais atacam base do ICMBio em Roraima

E assim, de delito em delito, chegamos ao mês de junho. Depois de tanta omissão, os garimpeiros ilegais que atuam na terra Yanomami não se acanharam em atacar a base do ICMBio em Maracá, Roraima. Este foi o escárnio número três, nesta pequena série que apresentamos.

Uma base do ICMBio em Roraima foi atacada por homens armados. Os criminosos não se conformaram em ter seu material apreendido dias antes e resolveram que era hora de tê-lo de volta.

PUBLICIDADE

No domingo, 30 de maio, homens encapuzados renderam três brigadistas que estavam na base da Estação Ecológica de Maracá, às margens do rio Uraricoera.

Segundo a Folha de S. Paulo, ‘os criminosos obrigaram os brigadistas, indígenas da região contratados pelo ICMBio, a carregar o material roubado até o porto, a cerca de dois quilômetros da base. Em seguida deixaram o local de barco’.

Presidente fica do lado do pessoal não muito chegado ao ICMBio

A Folha lembra que ‘o ataque ocorre dias depois de o presidente Jair Bolsonaro ter atacado diretamente o órgão. Em live na quinta-feira (27) disse: “Fico do lado do pessoal que não é muito chegado no ICMBio, para deixar bem claro’.

Imagem do rio Uraricoera
A base de Maracá, às margens do rio Uraricoera. Imagem, ago.20/Arquivo pessoal.

A transmissão de mais esta pérola presidencial, o escárnio número quatro, foi feita dentro da terra Yanomami  durante uma visita a um pelotão de fronteira.

Até quando vamos tolerar este descontrole na Amazônia, fruto de um comportamento irresponsável, leniente, e tremendamente prejudicial aos interesses do Brasil?

Imagem de abertura: Getty Images

Fontes: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2021/06/dias-apos-ataque-de-bolsonaro-base-do-icmbio-e-assaltada-em-roraima.shtml; https://imazon.org.br/imprensa/desmatamento-atinge-778-km%C2%B2-na-amazonia-em-abril-maior-valor-para-o-mes-em-10-anos-aponta-imazon/; https://oglobo.globo.com/sociedade/um-so-planeta/desmatamento-recorde-amazonia-tem-piores-numeros-para-mes-de-maio-da-serie-historica-aponta-inpe-25047123; https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2021/06/sem-repressao-invasores-loteiam-e-ate-criam-canal-no-youtube-em-floresta-nacional-de-rondonia.shtml?origin=folha.

Descarbonização da navegação na Noruega

Comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto tivermos um (des)governo apoiando e negligenciando bagunças, arruaças , desmatamentos, invasões em terras indígenas etc…. , e uma (in)justiça sempre parcial, não vislumbraremos melhoras. Cabe a nós, brasileiros, por um basta nisso, somente através do voto consciente (2022), buscando uma terceira via (nada do que está aí), poderemos “sonhar” com um país melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here