Baleia azul, boa notícia. Saiba por quê

3
2921
views

Baleia azul, boa notícia

Baleia azul, boa notícia: estudo publicado pela Australian Geographic traz alento para a reduzida população de baleias- azuis. Elas foram quase aniquiladas durante o período de caça ao cetáceo no início do século 20, com os navios fábrica. Felizmente foi abolida da mundo civilizado, excluindo Japão, Noruega, e Islândia, nos anos 80 deste mesmo século. De acordo com pesquisadores brasileiros, restaram cerca de 3.000 mil indivíduos no mundo.

Baleia azul, boa notícia, imagem de uma baleia azul
Baleia azul, boa notícia .Foto: australian geographic

A baleia azul e seu trágico destino

Especialistas da USP que entrevistamos, antes e depois das viagens para a Antártica, dizem que a baleia azul caminhava célere para o desaparecimento. Com uma população extremamente reduzida, e um ciclo de reprodução bastante demorado, o mais provável seria a extinção.

Alento para a baleia azul

O novo estudo de pesquisadores australianos pode contribuir para salvar a espécie. Depois de analisarem o DNA  de baleias- azuis, ficou claro que existem  três grupos distintos. Eles se juntam para se alimentarem na Antártica durante os verões. Mas são geneticamente distintos, o que significa que se reproduzem em locais diferentes. Possivelmente até em oceanos diferentes.

Se pudermos descobrir para onde  vão, e os riscos que enfrentam no caminho, estaremos um passo mais perto de ajudá-las a recuperar-se de sua quase aniquilação por baleeiros durante o século 20.

Baleia azul, boa notícia, imagem da antártica vista do espaço
Foto: Nasa

Tarefa difícil entender a ecologia das baleias azuis

Compreender a ecologia das baleias-azuis antárticas não é tarefa fácil. Apesar de seus 30 metros de comprimento e mais de 160 toneladas, achá-las nos mares, para realizar mais exames de DNA, é como procurar uma agulha no palheiro. Ainda assim depois de encontrá-las é preciso atirar um dardo que retira um pequeno pedaço do animal para ser analisado.

Antes dos estudos australianos a Comissão Baleeira Internacional patrocinou pesquisas com o DNA dos cetáceos. Essa é a base dos estudos australianos que descobriram os três grupos distintos. Suspeita-se que elas sigam caminhos distintos no inverno quando sobem em direção aos trópicos para se reproduzirem.

Presumivelmente elas se dirigem às três principais bacias oceânicas do hemisfério Sul:no Pacífico Sul, Atlântico Sul, e Índico.

Baleia azul, boa notícia, ilustração mostra tamanho da baleia azul, elefantes e dinossauros
Ilustração: minhasdicas.com.br

Baleia azul: população atual

Os números do morticínio, durante o período de caça sugeridos pelos australianos, são ainda mais trágicos que os dos pesquisadores brasileiros. A prática da caça teria reduzido sua população de 239.000 mil indivíduos para apenas 360. Como se estivessem montando um quebra-cabeças os australianos dizem que é preciso conhecer as rotas de migração da baleia-azul com o objetivo de minimizar os riscos. E eles são muitos. Vão do tráfego de navios, até pesquisas sísmicas de petróleo e gás que produzem ruídos que se espalham por centenas de quilômetros. E as baleias-azuis se comunicam através do som, de modo que a poluição sonora pode prejudicar sua comunicação e, em casos extremos, tornar algumas áreas inabitáveis.

Nossas últimas descobertas, juntamente com o nosso trabalho anterior sobre a hibridação, conectividade e história da população de baleias-azuis, fornecem peças importantes do quebra-cabeça da espécie. Mas ainda estamos na ponta do iceberg em nossa compreensão do maior animal do mundo para, posteriormente, contribuir com a sua recuperação.

Baleia azul, últimas notícias

Antes dessa, a última notícia sobre baleias-azuis a que este site teve acesso dava conta da descoberta de um novo grupo, no Sri Lanka.

Fantástico, e raro, vídeo de uma baleia-azul com seu filhote.

Fonte: http://www.australiangeographic.com.au/news/2016/03/antarctic-blue-whales-split-into-three-populations?adbsc=social_20160309_59118266&adbid=10153447734098339&adbpl=fb&adbpr=100614418338;

Conheça o peixe que injeta morfina em predadores

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

3 COMENTÁRIOS

  1. Animais Fantásticos e Maravilhosos!
    Muito feliz por saber que estão aumentando em número. Temos de proteger os Oceanos e Mares de todas as formas para perpetuar essas maravilhas da Natureza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here