Águas-vivas raras e belas são filmadas

0
2296
views

Águas-vivas raras e belas em filme pela primeira vez

Elas estão entre alguns dos animais mais antigos do planeta. Para começar, já vagavam pelos oceanos entre 500 e 700 milhões de anos atrás. A dificuldade dos cientistas em serem mais precisos se deve ao fato de que são invertebrados. Ou seja, não têm ossos. Deste modo, é muito raro acharem fósseis e, com eles, datarem a espécie com precisão. Estamos falando das medusas ou águas-vivas, conhecidas pela ciência como Cnidaria. Para os leigos, quase tudo nestas criaturas é surpreendente. Para começar sua vida é de apenas três a  seis meses. Além disso, são cerca de 11 mil espécies, a maioria marinha. Entretanto, algumas poucas vivem na água doce. O Mar Sem Fim selecionou duas raras espécies de águas-vivas neste post. Além disso, uma delas tornou-se estrela nas redes sociais depois de ser filmada pela primeira vez.

Agua viva Chirodectes maculatus 
A estreante Chirodectes maculatus. Imagem, You Tube.

Estreia em grande estilo da Chirodectes maculatus 

Esta criatura, cujo nome significa ‘manchado’ em latim, é tão rara que só teve dois registros até hoje. O filme abaixo, que a catapultou para a fama, é o primeiro já registrado.

Segundo o oceanicinsight.com,Cientistas australianos que trabalham sob a direção de Paul Cornelius descreveram  a  C. maculatus  em 2005. O espécime foi preservado em 1997. Entretanto, eles afirmam que “resistiram” a decompô-lo. Desse modo, conduziram apenas observações de superfície’.

O filme da estreante

Ele foi feito por acaso. Um mergulhador na costa de Papua Nova Guiné gravou uma enorme água-viva nadando ao lado de um grupo de turistas submarinos. Em seguida,  postou o vídeo em sua página no Facebook, Scuba Ventures – Kavieng. Contudo, mesmo apesar do ineditismo a empresa de turismo foi contida. A legenda do filme dizia apenas, ‘Vi um novo tipo de água-viva enquanto mergulhava hoje. Tem marcações legais, é um pouco maior que uma bola de futebol e além disso nada bem rápido’.

PUBLICIDADE

As novas e fantásticas águas vivas descobertas

Esta outra espécie de medusa é resultado do trabalho excepcional do Monterey Bay Aquarium. Antes de mais nada, foram eles que desvendaram o mistério do peixe com cabeça transparente, ou peixe olho-de-barril, que já mostramos.

Quase todas estas excepcionais criaturas marinhas são fruto dos avanços da tecnologia recente que criou novas e mais baratas formas de explorar as profundezas. Desse modo, quase toda semana alguma novidade surge para demonstrar o quão pouco ainda sabemos sobre a vida marinha.

Do mesmo modo aconteceu com a água viva imortal, uma fantástica novidade e, mais uma vez, obra do acaso. Foi descoberta em 1988 quando um estudante alemão de biologia marinha  passava férias na Riviera Italiana. Contudo, este não foi o caso da…

Água-viva fantasma gigante

Os pesquisadores do Monterey Bay Aquarium, ou MABRI, fazem milhares de mergulhos, seja para estudar alguns animais marinhos, seja para descobrir novos. Foi assim que, em 2021, conseguiram o registro abaixo.

Água-viva fantasma gigante
Imagem, You Tube.

Os pesquisadores confirmaram a raridade: ‘os ROVs do MBARI registraram milhares de mergulhos, mas só vimos essa espécie espetacular nove vezes’. Na descrição do filme eles explicam que ‘esta água-viva foi coletada pela primeira vez em 1899. Desde então, os cientistas só encontraram esse animal cerca de 100 vezes’.

Descrição do corpo

A ‘cabeça’, comumente chamada de ‘sino’, tem um metro de diâmetro. Entretanto, os braços ou tentáculos, podem ter até 10 metros, o que torna esta uma das grandes espécies de água-viva.

Água-viva fantasma gigante
Imagem, You Tube.

A distribuição da medusa

Parece ter uma distribuição mundial e foi registrada em todas as bacias oceânicas, exceto no Ártico. Os desafios de acessar seu habitat em águas profundas contribuem para a relativa escassez de avistamentos para uma espécie tão grande e amplamente distribuída.

Assista ao vídeo do Monterey Bay Aquarium

An extraordinary deep-sea sighting: The giant phantom jelly

Praias de São Sebastião mais uma vez ameaçadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here