Riscos ao Lagamar Iguape- Cananéia- Paranaguá

0
571
views

Canal do Valo Grande impõe severos riscos ao Lagamar Iguape- Cananéia- Paranaguá

Riscos ao Lagamar: o Lagamar é um gigantesco estuário cercado pelo maior trecho contínuo de Mata Atlântica do Brasil. Ligando os dois extremos, Paraná e São Paulo, há uma série de canais que serpenteiam por um belíssimo manguezal; eles começam em Iguape, sul de São Paulo, e seguem até Paranaguá, no norte do Paraná. Estes canais recebem a água do mar por várias “aberturas”, ou barras. Do norte para o sul, a primeira é barra de Icapara, em Iguape; depois Cananéia, mais ao sul; em seguida existe a barra do Ararapira; a de Superagui e, finalmente, a barra do porto de Paranaguá.
A água do mar, que penetra pelos canais, recebe água doce de centenas de rios que nascem na Serra do Mar circundando todo o conjunto, e formando a água salobra, ou “estuário”, propício à criação da vida marinha. Ainda por cima, toda a área é belíssima, com paisagens de tirar o fôlego, e uma biodiversidade espetacular.

Riscos ao Lagamar, imagem da paisagem da APA Cananéia - Iguape- Peruíbe
Riscos ao Lagamar: vista do alto do farol de Bom Abrigo. As praias do litoral sul de São Paulo permanecem milagrosamente desertas.

APA federal marinha Cananéia – Iguape- Peruíbe

APA significa “Área de Proteção Ambiental”. Em termos das Unidades de Conservação, é a mais permissiva entre os 12 tipos existentes no Brasil. Na opinião deste site, que visitou todas as APAs federais marinhas, elas não protegem coisa nenhuma. É apenas mais um equívoco da Lei do SNUC. A Unidade de Conservação foi criada em 1985, portanto, há 31 anos. E ainda convive com os mesmos problemas! Além da ausência quase total de fiscalização, resultado da mixórdia que é o orçamento do ICMBio, há outro problema gravíssimo, para o qual os gestores da Unidade fingem não ver: o despejo de água doce em excesso, resultado da desastrada abertura do Canal do Valo Grande.

Riscos ao Lagamar, imagem de um papagaio-de- cara-roxa em voo
Papagaio-de-cara-roxa, endêmico, e ameaçado de extinção. Além desta espécie, existem milhares de outras, também ameaçadas, entre elas Bugios, Tartarugas- verdes, Botos- cinza, Aguias- cinzentas, e muito mais.

O desmatamento é outra ameaça que só o ICMBIo não vê

Riscos ao Lagamar, imagem de desmatamento na APA federal marinha Cananéia - Iguape- Peruíbe
Riscos ao Lagamar: Abílio, nosso amigo, mostrou o que o gestor do ICMBio não vê

Canal do Valo Grande: um desastre ambiental ignorado pelo ICMBio

O grande vilão do Lagamar é o Canal do Valo Grande, espécie de “atalho” feito pelo homem em 1852, no rio Ribeira de Iguape. Naquele tempo o porto de Iguape era um dos mais importantes do Sul do Brasil, e ficava defronte a cidade. Por ele era escoada a produção agrícola da região, especialmente o arroz. O rio Ribeira serpenteava por trás da cidade até atingir sua barra, alguns quilômetros ao norte de Iguape. Para economizar tempo, decidiu-se abrir este canal ligando o Ribeira diretamente ao “Mar Pequeno”, onde ficava o porto. Veja no mapa:

Riscos ao Lagamar, imagem do mapa-do-canal-do-valo-grande
Preste atenção no ‘atalho’ que liga o Ribeira de Iguape ao Mar Pequeno

O Valo Grande e o naufrágio de Iguape

Desde então a cidade de Iguape literalmente naufragou. O canal, que deveria ter no máximo 40 metros, sofreu os efeitos da erosão provocada pela vazão do rio. Hoje tem mais de 300 metros de largura. Grande parte da cidade foi tragada. Ruas, avenidas, e até o cemitério ficaram debaixo dágua. Pior: junto com a enorme vazão, vieram toneladas de sedimentos e excesso água doce. Os sedimentos assorearam o Mar Pequeno e a barra de Icapara, por onde entravam os barcos e pequenos navios, inviabilizando o porto. E a água doce, que continua a fluir livremente até hoje, está matando o manguezal da região e provocando o fechamento de bocas de rios com capim. Além disso, quando chove a água desce barrenta, escura, o que impede a entrada de peixes. A solução? Basta fechar o canal. Uma barreira foi construída, com o dinheiro público, mas continua aberta por omissão do órgão federal: o ICMBio.

Riscos ao Lagamar , imagem da barragem do Valo Grande, Cananéia, SP
Riscos ao Lagamar: a barragem está pronta. Basta fecha-la. Mas o povo do ICMBio não está nem aí. O gestor passa o dia em seu gabinete refrigerado. Diz ele, que estudando. O quê, não se sabe…

Só o ICMBio não enxerga os estragos do Canal do Valo Grande. Assista o vídeo e comprove.

Gostou? O local é tão fantástico que fizemos dois programas sobre ele. A parte I, e a parte II

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here