Presos em navios de cruzeiro, os ‘degredados da pandemia’

2
5329
views

Presos em navios de cruzeiro durante a pandemia, quer coisa pior?

A pandemia é assustadora. Invisível, aparentemente incurável, as pessoas precisam sorte para escaparem às suas terríveis consequências. Com o alerta da Organização Mundial da saúde, OMS, quem pode se isolou. Mas, e os que entraram de gaiatos e hoje estão presos em de navios de cruzeiro  contaminados mundo afora?

Desde o início da pandemia temos dedicado nossos pensamentos a estas milhares de pessoas que sonhavam uma viagem de sonhos, para descobrir que embarcaram num pesadelo flutuante: encerrados em pequenas cabines em navios  de cruzeiro, presos durante a pandemia. A National Geographic foi um dos veículos que abordou a questão.

imagem de navio de cruzeiro
Imagem, National Geographic.

Os últimos 3.500 ‘degredados da pandemia’ em navios de cruzeiro

“O Pacific Princess e o MSC Magnifica (a notar, os nomes das embarcações em plena pandemia…) estão programados para atracar na Califórnia e na França com 1.880 passageiros, que serão transferidos para isolamento doméstico. O Costa Deliziosa (Costa o quê?) teve que evacuar um passageiro com problemas de saúde na semana passada no porto de Marsala, Itália. Os quase 2.000 passageiros ficaram em quarentena até que um teste de coronavírus retornasse negativo, e o navio estaria desembarcando a maioria em Barcelona antes de retornar a Gênova, com seus 453 cidadãos italianos restantes.”

imagem de passageiros em cânones de navios
Enjaulados, como animais, em plena pandemia. Imagem, National Geographic.

Ainda existem 124 navios adicionais nas águas dos EUA

“Ainda existem 124 navios adicionais nas águas dos EUA, com 95.000 tripulantes de várias nacionalidades a bordo, sem cronograma claro para quando e como todos eles voltarão aos seus países de origem, alguns dos quais fecharam suas fronteiras.”

É um empurra-empurra em quase todos os portos do mundo. Quem haveria de querer os ‘degredados da pandemia’?

Mas, o que fazem os infelizes para suportar o tédio em ambiente hostil, longe de suas famílias, sem TV no quarto, sem livros, com acesso restrito ao computador, é o que mais me intriga. E singrando os mares sem destino, a espera de um porto complacente num mundo indecente.

Ordem de não embarque de 14 de março de 2020

Nos Estados Unidos a restrição chegou tarde demais. A NG diz que “Desde a ordem de não embarque de 14 de março emitida pelos Centros de Controle de Doenças dos EUA (CDC), a agência ajudou a trazer mais de 12.000 cidadãos e cidadãos estrangeiros para o isolamento doméstico. Pelo menos 17 cruzeiros tiveram passageiros com teste positivo para COVID-19. “Tivemos até pessoas voltando positivas dos cruzeiros no rio Nilo”, diz Cindy Friedman,  médica que lidera a equipe de navios de cruzeiro do CDC.”

imagem de protestos contra embarques em portos norte americanos
O povo está com medo. Quem não estaria? Image, NG.

Não há como se proteger a bordo de navios

Não por outro motivo, uma das atividades mais insustentáveis deste mundo maluco e moderno, a pesca industrial está com sua frota semi-paralisada. E até navios de guerra desta vez perderam a batalha. Vide o caso dos imensos porta-aviões. Em 14 de março o G1 informava que “Subiu para 1.081 o número de marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle que apresentaram positivo para o teste de Covid-19, segundo o Ministério da Defesa da França.”

E não foi o único.

imagem de passageiro com máscara em navio
Uma máscara em meio ao inferno. NG.

Um porta-voz da USS Navy declarou ao UOL que “Até 3 de abril  mais de 10% dos 4.800 tripulantes do USS Theodore Roosevelt tinham sido diagnosticados com o novo coronavírus. “92% da tripulação do TR foi avaliada. Até o momento, 550 deram positivo, outros 3.673 negativo”.

imagem do porta-aviões USS Theodore Roosevelt
Imagem do porta-aviões USS Theodore Roosevelt. Imagem, https://www.businessinsider.com/.

Por denunciar os casos da doença a bordo do super-navio, o capitão Brett Crozier perdeu o posto, e gerou no seu rastro polêmica no país de Tio Sam. Agora, passado o susto, o New York Times informa que ‘Líderes da Marinha recomendam restabelecer o capitão do USS Roosevelt demitido por aviso de vírus’.

Passageiros não são necessariamente protegidos em navios

NG: “Mesmo em quarentena dentro da cabine, os passageiros não são necessariamente protegidos contra infecções, diz Joacim Rocklöv, epidemiologista da Universidade de Umeå, na Suécia.”

“Rocklöv estima que uma única pessoa a bordo do navio Diamond Princess em janeiro infectou outras 15 pessoas, uma taxa quatro vezes maior do que a observada em Wuhan. Ele sugere que isso poderia ter ocorrido em parte devido a um evento de “super propagação”, como um engajamento social a bordo, onde o primeiro passageiro infectado ou passageiros se misturavam com os não infectados.”

E, então, o que fazer numa situação destas. Rezar?

Presos em navios de cruzeiro ou os ‘degredados’: evacuação é faina perigosa

NG: “A evacuação em 8 de março da Grand Princess, que começou a 80 quilômetros da costa da Califórnia, provou ser ainda mais angustiante para os trabalhadores de resgate. Em meio a águas agitadas, a equipe médica teve que pular de uma pequena embarcação da Guarda Costeira para um barco salva-vidas. Depois subir para uma escada pendurada no navio de cruzeiro – enquanto usava roupas desajeitadas de bio-contenção”.

Imagem de resgate a navio por helicóptero
Imagem, National Geograhic.

“Um erro resultaria em ferimentos graves ou morte por afogamento ou esmagamento entre os dois navios”, diz uma carta de recomendação do governo dada a um enfermeiro dessa missão.”

‘Não está claro quando viagens em navios serão seguras’

A NG sinaliza que, “Com uma vacina que não é esperada até o próximo ano, ainda não está claro quando os cruzeiros serão seguros. Em 15 de abril, o pedido de não-embarque do CDC foi prorrogado por 100 dias ou até a agência rescindir o pedido. “Com esta pandemia, não é realmente aconselhável fazer um cruzeiro”, diz Friedman, do CDC.”

“A Princess Cruises, a Holland America e a Carnival Cruises cancelaram todas as suas reservas até o meio do verão, apesar de as reservas aumentarem até 2021.”

Assista ao pronunciamento do presidente norte-americano, sem saber o que fazer com os passageiros confinados em navios no início da pandemia. Ele lava as mãos, mas deixa escapar que ‘seria melhor que ficassem a bordo’.

Assim aconteceu em todo mundo. Só agora os últimos ‘degredados da pandemia’ estão desembarcando de cruzeiros que jamais serão esquecidos.

Imagem de abertura para Presos em de navios de cruzeiro: National Geographic

Fontes: https://www.nationalgeographic.com/travel/2020/04/when-a-cruise-ship-becomes-a-hot-zone-coronavirus/?cmpid=org=ngp::mc=crm-email::src=ngp::cmp=editorial::add=SpecialEdition_20200424&rid=B71B4A33397786AAA2444AAD1304EA43; https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/04/13/tripulante-de-porta-avioes-dos-eua-morre-vitima-do-novo-coronavirus.htm; https://edition.cnn.com/2020/04/24/politics/navy-recommend-reinstating-roosevelt-commander/index.html; https://www.nytimes.com/2020/04/24/us/politics/coronavirus-navy-roosevelt-brett-crozier.html.

Conheça os organismos do mar e suas ações antivirais

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here