Praias do Nordeste poluídas por lixo hospitalar

4
2470
views

Praias do Nordeste poluídas por lixo hospitalar

Estava demorando para acontecer. Mas era questão de tempo para a ‘ressaca’ da pandemia atingir o litoral brasileiro. Desde o dia 20 de abril algumas praias do Nordeste, especialmente no Rio Grande do Norte e Paraíba, foram atingidas por grande quantidade de lixo hospitalar e urbano. Em meio a muito material plástico como chinelos, pedaços de eletrodomésticos, e garrafas, foram encontradas seringas e outros materiais usados em hospitais. Ninguém sabe de onde veio o lixo.

Imagem de tubo de coleta de sangue encontrado em praias do Nordeste
Tubo de coleta de sangue encontrado em praia do Rio Grande do Norte. Imagem, https://g1.globo.com/.

Praias do Nordeste poluídas por lixo hospitalar

No Rio Grande do Norte algumas das praias mais famosas como a descaracterizada pelo turismo desordenado, a Pipa, e Barra do Cunhaú, desfigurada pela carcinicultura, receberam toneladas de lixo, diz o jornal O Estado de S. Paulo.

Imagem de lixo em praias do Nordeste
O lixo acumulado em Barra do Cunhaú. Imagem, Divulgação.

Já na Paraíba, diz o jornal, as mais atingidas foram as praias da capital João Pessoa, além das que ficam nos municípios de Conde e Cabedelo. Só nas praias do Bessa e Manaíra foram coletadas 12 toneladas de lixo, inclusive material de campanha eleitoral, nos informa José Maria Tomazela, autor da matéria.

É lamentável acontecer também na Paraíba, único dos 17 Estados costeiros capaz de manter a integridade de seu litoral.

E esta não foi a única ‘contribuição’ da pandemia para a poluição mundial dos oceanos. Em 2020 estima-se em 1,56 bilhão o número de máscaras faciais que acabaram nos oceanos.

Dúvidas sobre a origem do lixo persistem

Segundo o G1 ao menos 13,5 toneladas de lixo foram retiradas das praias da Paraíba e Rio Grande do Norte nesta semana.

O lixo começou a chegar às praias na terça-feira, 20 de abril. A primeira a ser atingida teria sido a praia do Bessa, em João Pessoa. No dia seguinte mais dois municípios foram atingidos, Conde e Cabedelo. Já na quarta começaram as reclamações dos moradores do litoral sul  do Rio Grande do Norte.

Imagem de limpeza de praia
Imagem, Prefeitura de João Pessoa/Divulgação.

Mas, segundo O Estado, até a tarde desta sexta-feira, 23, não havia confirmação sobre a origem do lixo. O jornal ouviu o secretário de Meio Ambiente de João Pessoa, Welison de Araújo, que disse não haver indicação que o lixo tenha vindo de rios e galerias pluviais da capital. O secretário declarou:

“De acordo com as vistorias, os resíduos podem ter sido trazidos de outros estados por uma corrente de vento sazonal. Mas uma coisa é certa: é lixo que alguém jogou e poluiu o meio ambiente e acabou voltando.”

Ponto de desova de tartarugas é atingido no Rio Grande do Norte

Segundo a Folha de S. Paulo, voluntários e servidores da prefeitura de Tibau do Sul recolheram meia tonelada de resíduos do local. Um dos pontos atingidos é uma importante região de desova de tartarugas.

Este ponto de desova não identificado pela Folha é a praia das Minas, em Tibau do Sul. O lixo plástico é confundido como alimento por tartarugas-marinhas, e também é absorvido por organismos filtrantes como ostras, e outros.

A Folha diz que o órgão ambiental do Estado, o Idema, Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente, confirmou que não há informações sobre a origem do material.

A Folha acrescentou que o órgão entrou em contato com os Estados de Pernambuco e Paraíba para saber sobre um possível incidente ambiental.

Imagem de lixo em praia da Paraíba
Praia do Bessa, João Pessoa. Imagem, reprodução TV Cabo Branco.

As cidades mais atingidas foram Baía Formosa, Canguaretama, Tibau do Sul e Nísia Floresta. Mas, segundo o diretor-geral do Idema, Leon Aguar, foi possível identificar no material recolhido nomes de municípios de Pernambuco e também Alagoas.

Prefeitura de Tibau do Sul conclui estudo sobre o lixo

Na segunda-feira, 26 de abril, o jornal Tribuna do Norte informou que ‘a Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Mobilidade Urbana conclui um relatório técnico, que evidencia prejuízos para o bioma local. Além disso, o relatório da equipe de biologia da secretaria categoriza o lixo achado nas orlas a fim de auxiliar na descoberta origem deste crime ambiental’.

O relatório será encaminha para o Ibama, Ministério Público Federal e para a Capitania dos Portos, para a investigação.

Isso parece o início do fenômeno do derramamento de óleo no Nordeste em 2019, até hoje sem resposta por parte do poder público. Ninguém sabe dizer de onde veio o óleo que atingiu em cheio o litoral do Nordeste.

O Ibama abriu uma investigação na sexta-feira, 23 de abril. A ver se será tão eficiente como a do vazamento de óleo de 2019.

Assista ao vídeo da Band e saiba mais

Imagem de abertura: Reprodução TV Cabo Branco.

Fontes: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2021/04/23/lixo-praias-nordeste-o-que-se-sabe.ghtml; https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2021/04/lixo-hospitalar-atinge-litoral-do-rio-grande-do-norte.shtml?utm_source=mail&utm_medium=social&utm_campaign=comphomemail&fbclid=IwAR3R-1GTfpDUVC7dJ90z15wYFo9RT9HFDQ7f-8Wm4g7QojpemLYQ8NsYmNw;https://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,lixo-urbano-levado-pelo-mar-polui-praias-limpas-no-rio-grande-do-norte-e-paraiba,70003691292; http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/prefeitura-de-tibau-do-sul-conclui-estudo-sobre-lixo-na-praia-das-minas-e-vai-enviar-relata-rio-para-ibama-minista-rio-paoblico-e-capitania-dos-portos/508486.

Submarino da Indonésia, naufragou, 53 tripulantes mortos

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

4 COMENTÁRIOS

  1. É inaceitável o mixto de perplexidade e surpresa das prefeituras, enquanto não forem declaradas culpadas nunca procederão a investigações profundas e conclusivas.

  2. Certeza que é o clássico caso de empresa que trabalha com destinação de lixo e ganha uma grana na “destinação ecológica” e ao invés de gastar e colocar em um aterro “ecologicamente correto” ou incinerar simplesmente despeja no mar.
    Essa é a parte que se vê, a que boiou, o que foi para o fundo …
    Vez por outra acham inclusive contêiner de lixo internacional que empresas dão um jeitinho para receber de outros países e lucrar para garantir aposentadoria de toda a geração …

  3. Como é explícito o total desrespeito com o meio ambiente neste país, onde até lixo hospitalar com amostra de tubo de sangue de pacientes vai parar nas praias brasileiras , no caso , estados do Rio Grande do Norte e Paraíba, que praticamente tem grande parte da sua economia na indústria do turismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here