Ecoturismo Marinho conheça o imenso potencial

2
429
views

Ecoturismo Marinho: conheça o imenso potencial

Ecoturismo Marinho: atualizado em junho, 2017

No mundo civilizado o ecoturismo marinho é praticado por milhões de pessoas. Ele gera riqueza e empregos; protege o meio ambiente marinho,  educa, e ajuda a conscientizar as pessoas.

Ecoturismo Marinho, imagem de cabeca-de-baleia-franca
Litoral de Santa Catarina

Ecoturismo marinho no Brasil

Não fossem nossos órgãos do meio ambiente um ‘Everest de Burocracia’, entre os quais o Mar Sem Fim inclui o MMA, ICMBio, e o Ibama, nossos desconhecidos e abandonados Parques Nacionais federais marinhos poderiam ser mais conhecidos. O turismo de observação é uma realidade em países civilizados. A atividade gera milhões de dólares em receitas contribuindo para a manutenção das áreas marinhas protegidas. Mas o pó da administração pública federal impregnou a máquina pública. Ela não admite  qualquer debate sério sobre a única forma de mudar a situação: Parcerias Público Privadas, concessões, e ou privatização das UCs com  potencial turístico.

Governo do Estado de São Paulo propõe concessões

Aos poucos, entretanto, a realidade se impõe. Não há mais dinheiro público capaz de suportar as Unidades de Conservação federais, estaduais ou municipais. O Governo de São Paulo acaba de autorizar a concessão de 25 Unidades de Conservação à iniciativa privada. Entre elas  Ilhabela, Intervales, Serra do Mar, Morro do Diabo, e Ilha do Cardoso. Que o processo seja bem feito para, quem sabe, inspirar as federais. Não há outra solução.

O fracasso da APA da Baleia Franca

A APA da Baleia Franca Foi criada por iniciativa de José Truda Palazzo Jr., no ano 2000, justamente para a proteção das Francas, e o turismo de observação. Mas como o Brasil é o país da mentira, passados 14 anos de sua criação, a UC federal marinha ainda não tem Plano de Manejo, instrumento obrigatório pela Lei do SNUC. Com isso a avistagem foi proibida.

Ecoturismo Marinho, imagem de cauda-de-baleia-franca
APA da Baleia Franca

Austrália fatura R$ 12 bilhões de reais com a Grande Barreira de Corais

Apenas um único exemplo mostra quanto o Brasil perde sem o turismo de observação. O estado de Queensland, onde fica a Grande Barreira de Corais, fatura seis bilhões de dólares australianos (cerca de R$ 12 bilhões de reais) por ano com o turismo de observação!

Atualização

Turismo de mergulho ‘muck’, a nova tendência

A revista Science acaba de publicar um artigo sobre o potencial do turismo de mergulho muck, ou “Muck diving, que concentra-se em encontrar espécies raras e enigmáticas que raramente são vistas nos recifes de corais”.

US $ 150 milhões por ano na Indonésia e Filipinas

Segundo a Science “ os resultados indicam que o turismo de mergulho muck vale mais de US $ 150 milhões por ano na Indonésia e nas Filipinas combinados. Ele emprega mais de 2.200 pessoas e atrai mais de 100 mil mergulhadores por ano. Os mergulhadores que participam do turismo  são experientes, bem-educados, têm altos rendimentos e estão dispostos a pagar pela proteção de espécies cruciais para a indústria”.

Existem problemas com o turismo de mergulho?

Segundo a Sicence, “a superlotação dos locais de mergulho, a poluição e os conflitos com os pescadores são relatados como ameaças potenciais para a indústria, mas o conhecimento limitado sobre esses impactos requer pesquisas adicionais”.

E quais as vantagens?

É a Science quem diz: ” este estudo mostra que o turismo de mergulho é uma forma sustentável de turismo baseado na natureza nos países em desenvolvimento, particularmente em áreas onde existe pouco ou nenhum potencial para o mergulho tradicional em recife de corais”.

Acorda Brasil!

Aqui, nos trópicos, o turismo de aventura ainda engatinha…

Assista este belíssimo vídeo e saiba mais sobre o esoturismo marinho

Conheça a proposta dos ambientalistas ao Governo Federal

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pratico bastante mergulho de observação e fiquei curioso pra saber mais sobre “muck” diving, embora a tradução de muck não faça sentido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here