Biomassa de peixes no oceano pode ser 10 vezes maior

0
2760
views

Biomassa de peixes no oceano pode ser 10 vezes maior

A biomassa de peixes no oceano pode ser dez vezes maior que o estimado. Um estudo descobriu que as espécies mesopelágicas (que habitam águas profundas) podem perfazer 10 bilhões de toneladas, e não 1 bilhão.

Peixes mesopelágicos dominam o total da biomassa das espécies

Com o estoque até agora avaliado, os peixes mesopelágicos dominam o total da biomassa das espécies nos mares. Cientistas descobriram que sua abundância pode ser dez vezes maior.

Os resultados do trabalho, feito por uma equipe de pesquisadores com a participação do Conselho Nacional de Pesquisa da Espanha, são baseados em observações acústicas. Elas foram conduzidas durante a circunavegação da expedição Malaspina. O estudo foi publicado no Nature Communications.

biomassa de peixes, imagem de Peixe lanterna
Peixe lanterna

Os peixes mesopelágicos

Os peixes mesopelágicos, como os lanterna (Myctophidae) e os ciclotônidas (Gonostomatidae), vivem na zona crepuscular do oceano. Entre 200 e 1000 metros de profundidade. São os vertebrados mais numerosos da biosfera. Mas também os grandes desconhecidos dos mares abertos por lacunas no conhecimento de sua biologia, ecologia, adaptação e biomassa global.

Segundo Carlos Duarte, pesquisador do Conselho, a expedição forneceu uma oportunidade única de avaliar as populações mesopelágicas, afinando técnicas que consistiam basicamente em seu peso em redes de arrasto. Elas podem ser percebidas pelos peixes que fogem e distorcem resultados.

A mudança no tamanho da população tem implicações importantes para a compreensão dos fluxos de carbono no oceano e na mudança do que considerávamos, até agora, mares desertos. É o que explica o cientista Xabier Irigoien, líder do estudo, segundo a Nature World News.

Oceano, ainda um desconhecido

Na verdade o fundo dos oceanos foi muito pouco explorado. Acredita-se que conhecemos menos de 2% das profundidades marinhas. Por isso, com as novas tecnologias não passa semana sem que uma espécie nova seja descoberta, enquanto dezenas de outras seguem inexoravelmente para a extinção. O ser humano é egoísta e egocêntrico. Acha que pode tudo. Até quando?

Bióloga nada com tubarões brancos

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here