BBC exibe primor de programação sobre meio ambiente marinho

0
1678
views

BBC, primor de programação em prol do meio ambiente marinho. Ninguém faz melhor!

A humanidade, pelo menos a Ocidental, desde os anos 20 do século passado, é devedora de duas improbabilidades: um estadista com o caráter,  inteligência e coragem de Winston Churchill, e de outra instituição britânica, a mitológica BBC de Londres. Curiosamente, ambos ingleses. Coincidência? Você responde. Foram estes dois que, durante a Segunda Guerra Mundial, aguentaram sozinhos a força nazista desde 1939, até 1942 quando os USA entraram na guerra. Nessa altura Hitler já dominava totalmente a Europa e tinha garras fincadas na África e Ásia. Londres, debaixo de bombas, aguentava o tranco ouvindo  Churchill discursar na BBC exortando o ânimo britânico. Foi assim que a Inglaterra resistiu. Uma beleza de exemplo.

imagem da bandeira da Inglaterra, de onde vem a BBC

História da mitológica BBC

Segundo a enciclopédia da rede, a wiquipedia, “A British Broadcasting Corporation (Corporação Britânica de Radiodifusão, mais conhecida pela sigla BBC) é uma emissora pública de rádio e televisão do Reino Unido fundada em 1922. Por vezes é chamada afetuosamente pelos britânicos como Beeb, The Corporation ou Auntie (“Titia”).  O seu lema é: “Nation Shall Speak Peace Unto Nation” (” em tradução livre, “A Inglaterra deve transmitir paz para a nação“, ou especula-se que é uma feliz adaptação de Miqueias 4.3 da Bíblia Sagrada: “Nenhuma nação erguerá a espada contra a outra”.  Bonito, não?).

BBC: primeira organização de emissão radiofônica do mundo

Era chamada de British Broadcasting Company Ltd., nome que permaneceu até 1927.”  Foi fundada em 18 de outubro de 1922 como British Broadcasting Company Ltd. pelos Correios Britânicos e um grupo de seis companhias de telecomunicações a fim de difundir serviços experimentais de rádio. A primeira transmissão ocorreu em 14 de novembro de 1922 .”

imagem do prédio da BBC de Londres
Deste prédio saem os melhores documentaristas do mundo. Com apoio do Governo, muita tecnologia, e profissionais de ponta, a BBC é imbatível.

BBC no mundo, fator de respeito e admiração

1927: “Mais de um milhão de lares no Reino Unido havia adquirido a licença radiofônica para acompanharem tão sensacional acontecimento para a época. O mentor intelectual e fundador da BBC foi John Reith, que sonhava com uma emissora que transmitisse ao mesmo tempo educação, informação e entretenimento.” Aspas por que? Porque quem escreveu sobre isso foi outra TV Pública, a DW. A admiração, como se vê, é mundial e vem das próprias TVs Públicas.

BBC World News, contribuindo com cerca de 300 milhões de famílias no mundo!

BBC World News é o canal internacional de televisão de notícias e informações da BBC,  transmitido em inglês 24 horas por dia em muitos países do mundo. A BBC World News está disponível em mais de 200 países e territórios em todo o mundo, atingindo cerca de 300 milhões de famílias no mundo!

BBC o modelo de TV Pública que mais deu certo

Há centenas de emissoras públicas mundo afora. Deutsche Welle, RTP,NHK, PBS, Telesur, TVN, RAI, TPA, SBS, CBC, CCTV, VTV,  SABC, TVE são alguns exemplos. Cada qual com um modelo de arrecadação. Mas, a que deu mais certo é a BBC de Londres. “Ela é financiada por uma taxa anual de 145,50 libras pagas por todos os lares equipados com TV. Para a cobrança desta taxa, a autoridade do Estado é indispensável; é ela que se encarrega da arrecadação. Sem Estado, portanto, a emissora não existiria.

” Apesar disso, não há como um ministro ou parlamentar se intrometer na linha editorial. O arranjo institucional em que a BBC está assentada impede que isso ocorra.”

“Sua fórmula de sucesso vem da independência tanto em relação ao mercado (de publicidade) quanto ao Estado.” Com isso ela tem oferecido programação de qualidade e pode remunerar muito bem dirigentes e funcionários.”

(Eugênio Bucci, ‘O Estado de Narciso- comunicação pública a serviço da vaidade particular’ – numa referência às suas congêneres no Brasil)

Os ingleses amam a BBC. Com justa razão.”

Documentários da BBC

Com a globalização felizmente não só os ingleses podem assistir as emissões da ‘queridinha de Londres‘. Ela hoje chega ‘ao vivo e em cores’ em centenas de países que podem acompanhar sua irresistível programação.  Seus documentários são todos espetaculares mas, um dos gêneros se sobressai ainda mais, aqueles que abordam o desconhecido ecossistema marinho com todas as dificuldades técnicas que ele impõe: forte pressão, pouca ou nenhuma luz abaixo da superfície, a exigência de equipamentos de ponta para mergulhar, e registrar a vida marinha, e o tempo; o tempo necessário que seja para que ela possa gravar. O tempo do animal marinho finalmente se mostrar para um close, com suas cores, textura, e feição registrados com máxima perfeição; ou um cardume decidir se juntar para um inacreditável balet aquático, cena raríssima de se ver. A BBC, pode. E Faz! “Em 2001, o programa The Blue Planet (O Planeta Azul) foi assistido por 12 milhões de pessoas e vendido para 50 países. O documentário tem formato de série, dividida em sete partes.”

David Frederick Attenborough dirigiu a BBC durante sete anos

Foi a sua independência financeira que fez a instituição chamar gente do porte de David Attenborough para dirigir sua programação de 1965 até 1972. Attenborough estudou na Wyggeston Grammar School for Boys, em Leicester, e se formou em ciências naturais na Universidade de Cambridge. Ele continuou seus estudos no London School of Economics, onde se formou em antropologia entre os anos de 1944 e 1946. Serviu à Marinha Real em 1947, em Gales do Norte, durante seus dois anos de serviço. Belo currículo para um diretor de TV, não?

imagem de David Attenborough da BBC
O “Sr.” BBC (Foto: BBC)

BBC: por que seu exemplo é importante para os Oceanos

Porque o que o maior inimigo é a ignorância. Ninguém protege o que não conhece, o que nunca viu, o que não sabe que tem valor. E qual a única grande rede do mundo que não se cansa de fazê-lo, e cada vez com mais beleza, mais qualidade de imagem e informação? A BBC, lógico. A rede inglesa chegou ao top do padrão mundial apostando na qualidade, na inteligência de seu público, e não ao contrário, como se faz no Brasil (me refiro à nossa grande rede…). Seria bom se o ‘plim-plim’ se inspirasse nisso. Qualidade também tem público!

Oceanos e a imprensa brasileira

Infelizmente, ela enfrenta um mau momento. Todos os grupos de comunicação brasileiros, sem exceção, estiveram, ou ainda estão, atravessando séria turbulência. A diminuição de leitores, seduzidos pelas redes sociais; a migração de anunciantes para o virtual, e a crise financeira em que o Lulopetismo nos colocou, deram enorme contribuição. Hoje, TVs, jornais e revistas têm poucos recursos para investir em reportagens. E menos ainda para contratar pessoas de alto nível intelectual. Foi-se o tempo em que nomes como os de Mário de Andrade eram chamados para serem críticos musicais; ou Euclydes da Cunha, como repórter, era enviado para cobrir os sertões…O resultado? Quase nenhuma matéria sobre o mar. Exceção, que me lembre, só a do Herton Escobar, no Estadão. Assim, o público não fica sabendo. Foi o que me levou a dar minha modesta contribuição, ao sair mar afora documentando a costa brasileira para a nossa TV Pública. Problemas de saúde impedem que eu continue, ao menos por enquanto. Por isso passei aos comentários no Band News TV, em 2017. E este ano vamos para a segunda temporada. Estou em busca de patrocínio para voltarmos em março. A população precisa ser informada, e bem informada.

De volta à BBC

Além de seus conhecidos documentários, há o fantástico projeto Our Blue Planet,  um projeto digital para que as pessoas falem sobre os Oceanos. É uma colaboração entre a BBC Earth e Alucia Productions que traz incríveis histórias, vídeos, fotografias e muito mais do mundo inacreditável do planeta azul.

Por falar em qualidade, sabem quem a rede contratou como consultora para o Blue Planet II? Ninguém menos que ‘a primeira heroína do planeta’, a Dr. Sylvia Earle, a maior referência mundial em oceanos. Isso sim é que é poder! Aproveito para mais uma vez informar que o melhor livro dela, The World is Blue, acaba de ser traduzido, e será lançado em Março pela editora do SESI, da Fiesp. Em breve nas lojas, “A Terra é Azul – Por que o destino dos oceanos e o nosso é um só.”

Pra finalizar, ponha em tela inteira mais essa ‘obra da BBC’. Só não se emocionam com isso as pedras de sua rua.

Fontes virtuais:

http://www.bbc.com/; https://www.google.com.br/search?q=historia+da+bbc+de+londres&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwigp5eeoZXZAhVIl5AKHaAAAUEQ_AUIDCgD&biw=1424&bih=676#imgdii=hIYMHhS9GW-ESM:&imgrc=MpN3LafsKwPIUM; https://pt.wikipedia.org/wiki/British_Broadcasting_Corporation; http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37846960; http://www.bbc.co.uk/aboutthebbc/insidethebbc/whatwedo/aroundtheworld.

Livro: O Estado de Narciso- A Comunicação pública a serviço da vaidade particular, de Eugênio Bucci, Cia das Letras.

Mares e oceanos, quer ajudar? Mire-se nestes exemplos

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here