William Fife, construtor dos mais lindos veleiros do mundo

2
264
views

William Fife, construtor dos mais lindos veleiros do mundo

Ele fez parte da terceira geração de uma família de construtores navais. Nasceu em uma pequena aldeia escocesa, Fairlie, em 1857, filho e neto de designers e construtores navais. O estaleiro da família ficava numa pequena praia da aldeia natal, inaugurado pelo avô em 1790. Rapidamente passou a ser conhecido como William Fife III, superando a reputação do pai, e do avô. Era um excelente artesão, interessado em construir os mais  refinados barcos à vela. As ‘obras de arte’  de William Fife, de tão belos e perfeitos, navegam até hoje, formando uma confraria dos mais lindos veleiros jamais projetados e construídos.

Imagem de William Fife
William Fife III. Imagem, http://www.america-scoop.com.

William Fife, construtor dos mais lindos veleiros do mundo

O velejador francês, Eric Tabarly, uma lenda da vela mundial, ele mesmo dono de um William Fife, o Pen Duick (de 1898), assim o definiu:

Os grandes designers do período foram Herreshoff , George Lennox Watson, Charles E. Nicholson e William Fife. Entre estes, Fife adquiriu uma reputação particular graças à arte e ao equilíbrio dos seus designs. Além disso, os seus projetos, que tomaram forma em seu quintal, eram de construção incomparável.

A reputação de Fife como construtor de veleiros se agigantou de tal forma que poucos sabem que ele também construiu barcos maiores.

veleiros antigos em regata
Algumas das obras de Fife em regata. Imagem, www-fiferegatta-com.

Mas, sua fama mundial deriva da qualidade notável, e da incomparável beleza de seus cerca de 600 iates construídos.

PUBLICIDADE

Imagem do veleiro Rosemary III
O Rosemary III (1924) é mais uma joia a levar a assinatura de William Fife III. Imagem, https://www.sandemanyachtcompany.co.uk/.

Atualmente, acredita-se que ainda existam menos de 100 designs de Fife. Destes, há cerca de cinquenta ainda navegando pelo mundo.

Breve biografia

Em 1881, aos 24 anos, assumiu a gerência do Culzean Ship Building and Engineering, estaleiro que existe até hoje com o nome Alisa Shipbuilding Co. então de um de seus clientes, o  Marquês de Ailsa. Em seu pequeno estaleiro familiar Fife não poderia construir barcos maiores. No estaleiro Culzean foram lançados cascos de até 50 m de comprimento.

Imagem da dinastia Fife
A dinastia Fife. Imagem, www-fiferegatta-com.

Foi ali que nasceu a reputação mundial de Fife. No Culzean ele lançou um clássico da vela que o tornou famoso, Clara, um cutter (tipo de armação de veleiro de um mastro com vela grande e uma ou mais velas de proa) de 21m de comprimento por 3 m de largura. Pouco depois Fife lançava n’água outro pequeno cutter, Vagrant que, aparentemente, é o mais antigo barco de Fife ainda a navegar.

imagem do veleiro Mariquita
O Mariquita é um legítimo William Fife III, que participou da regata Panerai em 2014. Imagem, arquivo MSF.

Em 1886, Fife deixa o Culzean para se dedicar totalmente ao estaleiro da família. Logo ele entraria no ramo dos barcos de regata.

Aconteceu em 1887, durante a America’s Cup (o ápice do iatismo mundial, disputado pela primeira vez em 1851, que se tornou o troféu mais antigo e cobiçado da vela internacional. Em 2021 ocorreu a 36a edição da competição), quando Fife acompanha George Watson, arquiteto do barco desafiante, o britânico Thistle, derrotado pelo norte-americano Volunteer. Fife fez amigos e clientes entre os espectadores.

Imagem de veleiros clássicos
O Mariquita está na frente. Arquivo MSF.

A dinastia Fife

O site www.fiferegatta.com assim definiu as três gerações: ‘O primeiro e o segundo William Fifes tinham um gênio natural, eram artesãos por seus próprios méritos e sabiam como tirar o melhor proveito de um barco enquanto navegava. O terceiro William Fife chegou a uma empresa já bem estabelecida e com reputação mundial’.

proa de veleiro clássico
Os detalhes quando atracado ao porto. Arquivo MSF.

William Fife III teve um treinamento mais formal do que seu pai e avô, mas a centelha de gênio foi passada para a terceira geração’.

O terceiro William Fife é provavelmente o mais famoso de todos e é lembrado por seus designs para os desafiadores da America’s Cup de Sir Thomas Lipton, os veleiros Shamrock I e Shamrock III’.

Ele morreu em 1944 e seu sobrinho Robert Balderston vendeu o negócio após a Segunda Guerra Mundial’.

America’s Cup e os barcos de Fife

Sir Thomas Lipton foi um empresário e velejador escocês, criador da marca de chá Lipton e mais conhecido como o desafiante mais persistente da America’s Cup e por nunca a ter vencido.

Veleiro Eleanora
A beleza majestosa do Eleanora. Arquivo MSF.

Segundo a BBC, ‘Lipton foi um magnata, publicitário, filantropo e esportista que foi considerado o melhor perdedor do mundo (por nunca ter vencido a America’s Cup).

PUBLICIDADE

Imagem de bote
Tudo nos veleiros clássicos é especial e original, até mesmo o bote. Arquivo MSF.

E sobre a regata mais famosa do mundo, explica a rede inglesa: ‘A America’s Cup é o troféu esportivo internacional mais antigo do mundo. A América a que ele se refere não é o continente, mas um barco de mesmo nome, construído por membros do New York Yacht Club’.

Barrado no baile

Ainda da BBC: ‘Mas quando Lipton se candidatou para entrar no prestigioso Royal Yacht Squadron, descobriu que riqueza e prestígio nem sempre eram suficientes para superar o esnobismo e acabou rejeitado’.

Imagem de uma lata de chá Lipton
Imagem usada pela BBC com a legenda: ‘O empresário sempre esteve associado à sua marca’.

‘Decidiu então se juntar ao Royal Ulster Yacht Club, com sede em Bangor, na Irlanda do Norte. Na primeira competição, em 1899, ele conquistou os corações de muitos irlandeses americanos’.

‘Seu veleiro chamava-se Shamrock, e embora tenha perdido a regata, foi um vencedor em outros aspectos. O empresário competiu novamente na Copa América em 1901 e 1903 com novos veleiros, o Smrock II e III, novamente sem sucesso’.

Alguns veleiros William Fife à venda

Ao pesquisarmos na net para escrever este post demos com vários veleiros do mestre à venda. Os preços variam de US$ 121.000 até US$ 3.950.000, dependendo do tamanho e estado da embarcação.

Veleiro de William Fife
Imagem, www.yachtworld.com.

A beleza de cima, construído em 1911, por exemplo, sai por US$ 3.100.000.

veleiro de William Fife
Já este sai por US$ 107 mil dólares. Imagem, www.yachtworld.com.

O Mar Sem Fim a bordo do Shamrock V

Em 2014 este escriba teve o privilégio de navegar a bordo de outra obra de arte chamada Shamrock V. Navegar, apenas, não. Participamos de uma regata clássica, depois de um cruzeiro pela Sardenha.

Veleiro Shamrock adernado
O Shamrock V adernado, dando tudo. Arquivo MSF.

Foi uma das experiências mais fascinantes de minha vida de marinheiro. O Shamrock V foi mais uma encomenda de Sir Thomas Lipton ao arquiteto naval Charles Nicholson, rival de William Fife, mas tão refinado como o próprio.

PUBLICIDADE

Construído em madeira, tem 120 pés de comprimento, 81 pés de linha d’água, pesa 134 toneladas e tem uma área vélica de 7,540 metros quadrados.

Regata Panerai de veleiros clássicos, Itália, porto de Santo Stefano, 2014

A competição é, na verdade, uma série de regatas que acontecem durante uma semana. Competimos contra vários dos veleiros de William Fife III. Para nós não se tratou de uma competição, mas de um show de beleza náutica inigualável.

imagem de proa de veleiro
A marca registrada de W.F. III. Imagem, https://www.yachtworld.com/.

Participar de um evento de veleiros clássicos, para quem é do mar, é uma experiência inesquecível que aproveitamos para dividir com você neste post.

Assista ao vídeo que fizemos

Conheça o Shamrock V por dentro

Imagem de abertura: arquivo MSF

Fontes: https://www.bbc.com/portuguese/geral-46501524; https://www.fiferegatta.com/history/fife-dynasty; https://nautipedia.it/index.php/WILLIAM_FIFE_III; http://www.america-scoop.com/index.php?option=com_content&view=article&id=865:fife-iii-william-1857-1944-uk&catid=219:designers&Itemid=423&lang=en.

Bombardeio em Alcatrazes, Marinha insiste na sandice

Comentários

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here