Ubatuba especulação ameaça Mata Atlântica

0
965
views

Ubatuba: especulação ameaça Mata Atlântica com novo zoneamento

(Imagem de abertura: João Silva, Folhapress)

Está na Folha de S. Paulo de hoje: Plano permite casa e comércio em área de mata atlântica de Ubatuba. A matéria diz que

As praias do norte de Ubatuba, como Itamambuca, Félix e Ubatumirim, vão ganhar mais construções de casas e comércios nos próximos anos. É o que prevê um novo plano estadual, chamado de ZEE (zoneamento ecológico-econômico), criado em 2004 e agora em reformulação.

Os condomínios, sempre eles estraçalhando o litoral, ao menos, quase todos eles…

Diz o texto da Folha:

Ao determinar que algumas áreas hoje classificadas como Z2, mais preservadas, virem Z4, mais urbanizadas, abre-se o caminho para que condomínios se instalem na região. A tendência é que novas casas sejam erguidas em áreas onde atualmente existe apenas mata atlântica.

ubatuba, imagem de cachoeira em Ubatuba, SP

Em Ubatuba, as novas construções poderão desmatar até 40% dos terrenos

Folha de S. Paulo:

Em praias do sul do município, como a Domingas Dias, também existe a possibilidade de construções brotarem em meio à mata. Na prática, com a mudança, novas construções poderão desmatar até 40% dos terrenos –hoje o limite é de 20%, e os condomínios são vetados.

E não é só em Ubatuba, mas em todo o Litoral Norte de São Paulo

Com a palavra a Folha de S. Paulo:

A mudança vale para todo o litoral norte do Estado, mas tem seu ponto mais polêmico em Ubatuba. Um passo importante pode ocorrer nesta quinta (22), no Consema (Conselho Estadual de Meio Ambiente). Se aprovado, será enviado para sanção ou veto do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Ambientalistas alertam para o perigo

Segundo a Folha, a ambientalista Tami Albuquerque, oceanógrafa, declarou:

É uma mudança que vai começar a incentivar a urbanização do litoral norte de Ubatuba. A tendência é que esse processo apenas aumente. O primeiro passo foi dado. Se em vez da Z4 [mais urbanizada] fosse mantida a Z2 [mais preservada], a preservação seria muito maior no futuro

Em 2017 o Plano Diretor será revisado, então, se a sociedade bobear… by,by, Mata Atântica

A Folha prossegue:

Ambientalistas contrários à proposta temem que esse seja o primeiro passo para a verticalização de algumas áreas. O novo governo municipal terá, em 2017, logo no início da gestão, que revisar o plano diretor e a lei de uso e ocupação do solo, que poderá permitir prédios em regiões onde hoje é proibido.

O setor imobiliário manda no litoral do Brasil, é dinheiro forte que está em jogo. Quem ganha com isso? Os prefeitos como sempre? Esta é a indagação do Mar Sem Fim

A Folha ouviu os movimentos ambientalistas que declararam:

apenas representantes do setor imobiliário estiveram nas comissões que discutiram o tema com o governo estadual.

E prossegue o jornal:

Os grupos favoráveis à mudança, que incluem a prefeitura, dizem que estão apenas urbanizando regiões ocupadas e com loteamentos já previstos. Segundo eles, essas áreas correm mais risco se nada for feito, como no caso de parte de Ubatumirim, onde os turistas estacionam centenas de carros na praia durante a alta temporada.

A Folha também ouviu especialistas

Marcel Fantin, especialista em gestão regional e professor da USP/São Carlos,  critica os impactos do novo plano estadual de zoneamento ecológico-econômico em Ubatuba. Para ele

A possibilidade de expandir ‘ocupação para fins urbanos’ e ‘unidades comerciais e de serviços’ em setores anteriormente proibidos reflete a necessidade do mercado imobiliário de se apropriar de áreas ambientalmente relevantes para garantir a expansão de sua atividade principal, a produção de unidades residenciais voltadas ao turismo de segunda residência

O jornal foi atrás do Prefeito de Ubatuba, Maurício Moromizato (PT):

A urbanização destas áreas é que vai garantir a preservação delas. Não é o zoneamento que vai mudar as praias de Ubatuba. O grande problema que precisa ser resolvido é a falta de saneamento básico, inclusive nestas praias preservadas

Ubatuba, imagem de praia em Ubatuba, SP

Opinião do Mar Sem Fim

Humm…”a urbanização vai garantir a preservação”…sei. Isso fede, para usar um termo que minha mãe proibia em casa. E o homem se desdiz: “o problema que precisa ser resolvido é a falta de saneamento”. E acrescentamos: este é um problema crônico brasileiro, mais um deles. É difícil acreditar que mesmo sem ele mais casas e condomínios serão construídas se o plano for aprovado. Ou seja, mais pessoas cagando e mijando no mar porque, saneamento que é bom, até o prefeito diz que não tem. E aí, como ficamos?

A desculpa das ótoridades em quem há muito já não acreditamos

Diz a Folha:

Há um edital aberto na cidade, que deverá ser levado adiante pelo futuro prefeito de Ubatuba, Delcio Sato (PSD), com a intenção de contratar uma empresa para a universalização do saneamento. Atualmente, a cobertura do tratamento de esgoto atinge 30% das moradias

Opinião do Mar Sem Fim

As ótoridades fingem acreditar no que dizem, “universalização do saneamento”, sei…mas não vamos mais fingir que acreditamos. Com o Brasil falido por excesso de roubo, burocracia everéstica, absoluta falta de competência do setor público, o cara, depois de tentar mudar o zoneamento (será que foi de graça esta mudança? Sei não…), vem dizer que vão universalizar o saneamento? Por que não fizeram antes? Por que?

E o secretário de Meio Ambiente de Ubatuba tem o caradurismo de afirmar, segundo a Folha,

Juan Blanco, secretário de Meio Ambiente de Ubatuba, afirmou que não haverá nenhuma grande mudança radical com a alteração

Ei, secretário, vai ver se estou na esquina, tá bom? O Mar Sem Fim já viu este filme em todo o litoral do Brasil. Não mãos de grandes empresas e empresários especuladores, sempre mancomunados com o poder público, ou seja, vocês!

Atenção leitores do Mar Sem Fim, fiquem de olho, este site vai seguir este projeto até sua votação ano que vem

E se por caso passar vamos armar um esporro dos grandes. O Mar Sem Fim vai contribuir pedindo aos leitores que mandem mensagens direto ao governador Alckmin, exigindo que vete o absurdo. A Mata Atlântica, a mais biodiversa mata úmida do planeta, já sofreu demais na mão de incompetentes. Vão se catar!

É um escárnio o que disseram o Prefeito de Ubatuba e seu Secretário de Meio Ambiente. Uma afronta à Constituição que é categórica:

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá- lo para as presentes e futuras gerações.

§ 4º A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.

Proteste: não deixe estes aloprados destruírem o que nos resta de bom

Clique aqui para falar com Geraldo Alckmin

E aqui o Twitter: @geraldoalckmin_

Pra quem preferir o modo antigo:

Palácio dos Bandeirantes
Av. Morumbi, 4500 –
CEP 05650-905
São Paulo – SP
Fones: (0xx11) 2193-8344 (PABX)
(0xx11) 2193-8000

Saiba mais sobre a especulação no litoral brasileiro e a falência dos órgãos que deveriam proteger a Zona Costeira.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here