Tubarão Port Jackson, um tipo muito estranho

0
6157
views

Tubarão Port Jackson, um tipo muito estranho

Segundo o www.sharks.world.com, existem 440 espécies diferentes de tubarões no mundo hoje classificadas em oito ordens diferentes. Enquanto isso, o site do smithsonian menciona ‘mais de 500 espécies’. Mas, entre tantas, algumas são incrivelmente diferentes de tudo o que você já imaginou. Há aqueles que ‘andam’ usando nadadeiras como patas, outros que se parecem a cobras, e até aqueles que podem ser a cura para a osteoporose, o tubarão-elefante, por exemplo. Já o  tubarão Port Jackson, encontrado somente na Austrália, é uma espécie distinta e praticamente impossível de identificar erroneamente. Como todos os Heterodontids, ele tem uma cabeça em forma romba e espinhos na borda de ataque das duas barbatanas dorsais.

tubarão Port jackson

Comer e respirar ao mesmo tempo, habilidade incomum

A espécie pode comer e respirar ao mesmo tempo, uma habilidade incomum porque a maioria dos tubarões deve nadar de boca aberta para forçar a água sobre suas guelras, a fim de obter oxigênio. Em contraste, o tubarão de Port Jackson pode realmente bombear água através de suas brânquias enquanto está parado.

Habitat e Alcance

A distribuição do tubarão Port Jackson cobre as águas marinhas tropicais do sul da Austrália, do sul de Queensland à Tasmânia, e a oeste até à costa central da Austrália Ocidental. A evidência genética indica a possibilidade de duas populações distintas.

mapa da distribuição do tubarão Port Jackson

PUBLICIDADE

Enquanto a espécie é encontrada em profundidades de 100 a 275 m, o habitat preferido são substratos rochosos, arenosos ou lamacentos sobre ou perto do fundo do oceano. E além disso, também áreas onde crescem ervas marinhas, entre os mais ameaçados ecossistemasDurante o dia, muitas vezes repousa no abrigo protegido de cavernas e fendas de áreas rochosas.

Comportamento Alimentar

Este é um tubarão noturno que se alimenta à noite, quando suas espécies de presas estão mais ativas. A dieta consiste principalmente de ouriços-do-mar. As presas também incluem pequenos peixes e invertebrados bentônicos, como estrelas do mar, vermes poliquetas, gastrópodes, camarões, caranguejos e pequenos peixes.

Os dentes do Port Jackson

Ao contrário dos dentes de tubarão “clássicos” que são grandes e afiados, perfeitos para comer carne, os dentes dos tubarões Bullhead e Horn são adaptados para sua dieta de criaturas sem casca. Na verdade, eles têm dois tipos de dentes: os da frente são pequenos e pontudos para agarrar e segurar as presas, enquanto os dentes de trás largos e chatos são como molares, usados ​​para esmagar e moer conchas.

Comportamento social

Esta espécie forma grandes agregações de grupos mistos e do mesmo sexo, conforme descrito abaixo em relação à reprodução.

Saiba mais sobre o comportamento social do peixe

Port Jackson Sharks - Heterodontus portusjacksoni

A reprodução

Os tubarões fêmeas de Port Jackson tornam-se reprodutivamente maduros entre 11 a 14 anos de idade, enquanto os machos precisam de apenas 8 a 10 anos para atingir a maturidade. A reprodução ocorre apenas uma vez por ano para esta espécie.

Já o sistema de reprodução é ovíparo, isto é, a caixa do ovo é uma estrutura marrom escura em forma de espiral, com cerca de 7 x 15 cm. Uma fêmea coloca cerca de 10 a 16 deles em recifes rasos, normalmente a profundidades de cerca de 5 m, mas podendo atingir até mesmo 30 m.

Seres humanos e a conservação

Considera-se que os tubarões de Port Jackson não representam uma ameaça real para as pessoas, embora possam causar uma mordida desagradável. Os espinhos afiados da barbatana dorsal também podem ser um perigo quando a espécie é manuseada.

Felizmente, não há interesse comercial, uma vez que a carne e barbatanas não têm qualidade. Sorte da espécie. A maioria é descartada, muitas vezes viva, enquanto algumas pessoas os consideram uma praga e os matam antes de jogá-los. Pescadores recreativos também capturam um pequeno número desses tubarões.

Contudo, é uma das espécies de Heterodontus comumente mantida em cativeiro, pois são bastante resistentes. Pequenos indivíduos, entretanto, têm potencial nacional e internacionalmente para venda e uso em aquários domésticos. E isto, como já dissemos, é um perigo para a invasão indesejada que acaba provocando problemas às vezes mundiais como é o caso do peixe-leãoEles também são coletados para exibição em equipamentos públicos, mas em menor número.

Imagem de abertura: Google.

Manchas de óleo, primeiro mapa global da poluição

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here