Proteção dos oceanos avança no mundo

0
1719
views

Proteção dos oceanos avança no mundo

No inicio de 2019 um grupo de pesquisadores da Universidade de York propôs a proteção de 30% dos oceanos globais até 2030, como forma de salvar o maior ecossistema do planeta. Parecia mais uma utopia. Mas, de lá para cá, a iniciativa ganhou força. Logo depois de assumir a presidência da maior economia do mundo, Joe Biden se comprometeu a proteger 30% das terras e mar territorial norte-americanos. Neste mesmo período, janeiro de 2021, a França, em parceria com a ONU e o Banco Mundial, realizou a quarta edição do evento One Planet Summit for Biodiversity, reunindo cerca de 30 países ONGs e empresários para discutirem estratégias de contenção das mudanças do clima e perda de biodiversidade. Proteção dos oceanos avança no mundo.

Imagem de oceanos e cauda de baleia
Imagem, Pixnio, CC0.

Proteção dos oceanos avança no mundo

Neste evento virtual o Brasil, por motivos óbvios, não foi convidado. Também não compareceram a Rússia e a Índia. Mas os resultados foram para lá de positivos.

O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que a Coalizão de Alta Ambição pela Natureza, lançada em 2019 pela Costa Rica, França e Grã-Bretanha com o objetivo de estabelecer metas de proteção de pelo menos 30% do planeta até 2030, conta com muitos aliados.

De acordo com o site do evento, ‘a França e a Costa Rica lançaram a Coalizão de Alta Ambição pela Natureza, que visa criar as condições para a adoção de uma meta ambiciosa de proteção da natureza pela Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica. Até o momento, esses esforços trouxeram 52 Estados para apoiar a Coalizão, comprometendo-se a trabalhar pela proteção de 30% dos espaços terrestres e marinhos até 2030’.

E não foram só estes os temas abordados. Além da proteção aos ecossistemas terrestres e marinhos, a cúpula debateu a promoção da agroecologia, o aumento dos financiamentos para a proteção da biodiversidade e, finalmente, a saúde dos seres humanos e dos animais.

PUBLICIDADE

Costa Rica sai na frente

Durante o evento virtual, o Governo da Costa Rica, por meio de seu Ministério do Meio Ambiente e Energia, e da Associação Costa Rica para Sempre, lançou o primeiro fundo da América Latina para financiar a sustentabilidade na conservação de longo prazo das metas 30×30.

De acordo com o site www.periodicomensaje.com  ‘o Blue Forever Fund receberá inicialmente US$ 3,5 milhões e aumentará seus depósitos com doações internacionais’.

‘O fundo será administrado pela Asociación Costa Rica por Siempre, uma organização sem fins lucrativos com mais de dez anos de experiência e realizações em iniciativas ambientais. O objetivo do fundo é aproximar o país, um dos mais biodiversos do mundo, do cumprimento e manutenção das metas 30×30’.

O presidente  Carlos Alvarado Quesada declarou na ocasião: “Na Costa Rica reconhecemos a importância de não apenas atingir as metas 30 x 30, mas também de garantir sua sustentabilidade financeira. É por isso que estou orgulhoso de que, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente e Energia e da Associação Costa Rica Forever, estejamos lançando o Fundo Azul Forever, que garantirá a sustentabilidade financeira e a conservação a longo prazo de nossa biodiversidade marinha.”

Década dos Oceanos

Parece que, finalmente, os oceanos entraram na agenda global. Não à toa, a ONU lançou a Década dos Oceanos, que começa neste 2021 e segue até 2030.

Apesar da degradação ser evidente, ainda sabemos pouco sobre esse ambiente que recobre mais de 70% do planeta Terra. Segundo a Agência de Administração Atmosférica e Oceânica dos Estados Unidos (NOAA), mais de oitenta por cento do oceano nunca foi mapeado, observado ou explorado.

Estas são as principais razões para que a década decretada tenha um olhar para o desenvolvimento da ciência oceânica. E, como desafio, fortalecer a integração e comunicação entre pesquisas científicas, sociedade e governantes.

A meta é mobilizar a comunidade científica, legisladores, empresas e a sociedade civil para um programa de pesquisa conjunta e inovação tecnológica. Em nota, a Unesco diz que a Década da Ciência Oceânica facilitará uma melhor planificação e gestão do espaço marítimo e dos recursos oceânicos e costeiros.

Ainda falta muito a ser feito pelos oceanos que sustentam a vida na Terra. Mas não há como não ser otimista com estes avanços.

Imagem de abertura: Pixnio, CC0.

Fontes: https://thecostaricanews.com/costa-rica-will-totally-protect-its-seabed-before-the-year-2030/?fbclid=IwAR2UXGtEmdhy0KwB2stGGS3TtIPr_dFBmvc8ygoHqTJkUea2N8VP8WgvqkY; https://www.oneplanetsummit.fr/en/news-17; https://www.periodicomensaje.com/ambientales/6142-costa-rica-lanza-primer-fondo-nacional-de-3-5-millones-para-proteger-30-de-su-territorio-marino-al-2030; https://www.istoedinheiro.com.br/paises-se-comprometem-a-proteger-30-das-terras-e-oceanos-do-planeta/.

Savanização da Amazônia está próxima, diz Carlos Nobre

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here