Ilha Nula, no Atlântico Sul, você conhece?

2
7918
views

Ilha Nula, no Atlântico Sul, você conhece?

A ilha Nula é uma curiosa mistura de geografia real e imaginária, de certeza matemática e pura fantasia. Ou é apenas o local de uma boia de observação meteorológica? A questão foi levantada por matéria do site blogs.loc.gov. O atlasobscura.com respondeu desta forma: Quase parece um “não-lugar”, mas pode surpreendê-lo saber que este sitio está longe de ser anônimo. Este local é um ramo de atividade no mundo dos sistemas de informação geográfica (GIS)… No que diz respeito aos dados geoespaciais digitais, pode ser um dos lugares mais visitados da Terra! Já o site www.bigthink.com, escreveu: a Ilha Nula, também conquistou a imaginação – e adquiriu um mapa e várias bandeiras. Ilha Nula, no Atlântico Sul, você conhece?

Ilha Nula
Ilustração, bigthink.com.

A ‘axila’ da África

Não pense que se trata de outro ponto notável dos oceanos, como o ponto Nemo. Vamos ajudar: Pense no Golfo da Guiné, parte do Oceano Atlântico Sul, como a axila da África.

O Golfo está bem no meio do seu mapa-múndi padrão, e isso não é coincidência. É o ponto de encontro das duas linhas de base da medição geodésica, o meridiano principal e o equador. Ou, expresso em longitude e latitude: 0°N, 0°E.

Ilha Nula não é uma ilha

Você adivinhou: esta é a ilha Nula – a ancoragem perfeita para dados não geolocalizados. Mas não vá alugar um barco na costa de Gana ou na ilha de São Tomé, dois dos pedaços de terra firme mais próximos. Depois de atravessar cerca de 650 km de mar aberto, você encontrará mais do mesmo na chegada. Porque, fiel à sua denominação, a ilha Nula não é uma ilha.

Bem, chega de mistério, vamos à explicação: a ilha Nula é apenas o nome coloquial para a interseção desses dois ortódromos principais. Em matemática, e por extensão também em geodésia, um ortódromo (ou grande círculo) é a linha mais longa possível desenhada em torno de uma esfera, dividindo-a em duas metades perfeitamente iguais, ou hemisférios.

PUBLICIDADE

O Equador, equidistante dos polos, dá-nos os hemisférios norte e sul. O meridiano de Greenwich, que divide o mundo em hemisférios oriental e ocidental, ou leste e oeste, é uma linha arbitrária.

Seu status como o primeiro meridiano do mundo foi estabelecido apenas em 1884, na Conferência Internacional do Meridiano em Washington DC.

Do inexistente ao imaginário

Por causa de seu afastamento, o local permaneceu culturalmente insignificante até 2011, quando apareceu no conjunto de dados do mapa de domínio público da Natural Earth como “Ilha Nula”.

Essa nomeação deu início a um processo notável: transformou algo inexistente em algo imaginário, o que não é exatamente o mesmo. De repente, mapas da Ilha Nula foram desenhados, bandeiras também. Na verdade, o território insular tornou-se uma espécie de piada para geógrafos, popularizado a partir de 2011, depois da referência no Natural Earth.

bandeiras sugeridas para a Ilha Nula
As bandeiras sugeridas. Ilustração, bigthink.com.

Aperte bem os olhos faça um esforço, e você quase pode ver a ilha… Um pequeno purgatório tropical, longe de qualquer lugar importante, que abriga incontáveis ​​pontos de coleta de dados. O clima é sempre úmido e nunca há um navio no horizonte.

mapa da localização da Ilha Nula
Ilustração, bigthink.com.

O começo da explicação

Em 1997, EUA, França e Brasil instalaram um conjunto de 17 boias de observação meteorológica e marítima no Atlântico Sul, denominado sistema PIRATA.

bóia de observação meteorológica
Uma rara imagem de “Soul Buoy” a zero graus de latitude, zero graus de longitude, um local também conhecido como “Ilha Nula”.Imagem, NOAA National Data Buoy Center / domínio público).

Uma delas está ancorada no fundo do mar (5 km de profundidade) exatamente a 0°N, e 0°E. Esta é a estação 13010 – também conhecida como “Soul Buoy” – medindo a temperatura do ar e da água, velocidade e direção do vento e outras variáveis. Este ponto, expresso em longitude e latitude, é igual a 0°N, 0°E.

As 17 boias, cada uma com o nome de um gênero musical diferente, são inspecionadas anualmente já que atraem peixes, e também barcos de pesca, cujas visitas podem causar danos ao equipamento ou à própria boia.

O sistema PIRATA, é uma rede internacional de observação para melhorar o conhecimento e compreensão do sistema oceano-atmosfera na cintura tropical. Nada mais.

Por que dissemos que ela é visitada? Bem, quando o GPS de seu carro, ou barco, falha, ou fica confuso por perda de sinal, os aparelhos têm um sistema interno para serem ressetados que os levam automaticamente para as coordenadas zero ou, a Ilha Nula. Em seguida, o processo de procura recomeça mais uma vez.

Mas não pense que se trata de piada de mau gosto deste site. Há milhares de páginas sobre a Ilha Nula no Google.

Buscador google Ilha Nula

Em qualquer língua que você pesquise, vai encontrar dezenas de matérias a respeito. Nós apenas queríamos dividir esta curiosidade, de nosso improvável mundo moderno, com nossos leitores.

PUBLICIDADE

Null Island

Assista à animação e saiba mais

Ilha Null: o lugar mais famoso... que não existe! | Minuto da Terra

Imagem de abertura: bigthink.com.

Fontes: https://www.atlasobscura.com/articles/null-island-is-one-of-the-most-visited-places-on-earth-too-bad-it-doesnt-exist; https://bigthink.com/strange-maps/null-island/; https://www.dn.pt/vida-e-futuro/null-island-o-minusculo-pais-atlantico-que-sem-o-sabermos-ja-visitamos-12467153.html; https://blogs.loc.gov/maps/2016/04/the-geographical-oddity-of-null-island/.

Vikings saíram da Groenlândia em razão de prolongada seca

Comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Explicação e conceitos essenciais, mas fico imaginando o nó que deve dar na cabeça de quem pensa que a terra não é redonda…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here