Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo. Somos nós os responsáveis

0
1508
views

Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo. Estudo alerta!

China, em primeiro lugar no ranking de lixo plástico no mundo. Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo.

Revista Science divulgou um estudo sobre uma estimativa da quantidade de plástico jogada no mar nos últimos anos. O estudo foi realizado em quase 200 países  banhados pelos mares e oceanos. A China é o que mais descarta lixo plástico de maneira errada. O país produz cerca de 8,8 milhões de toneladas ao ano.

 

Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo, imagem de lixo plástico no mar
Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo

China, em primeiro lugar no ranking de lixo plástico no mundo

A Revista Science divulgou um estudo sobre uma estimativa da quantidade de plástico jogada no mar nos últimos anos. O estudo foi realizado em quase 200 países  banhados pelos mares e oceanos. A China é o que mais descarta lixo plástico de maneira errada. O país produz cerca de 8,8 milhões de toneladas ao ano.

Em segundo está a Indonésia, Brasil ocupa a décima- sexta posição no descarte de plástico

Em segundo vem a Indonésia, descartando 3,2 milhões de toneladas de lixo plástico ao ano. O Brasil é o décimo- sexto com meio milhão de toneladas por ano. Os Estados Unidos aparecem na vigésima posição com 0,28 milhões de tonelada de lixo plástico por ano.

Em 2010, os 192 paises produziram 275 milhões de toneladas de lixo plástico. Só nos litorais foram 100 milhões de lixo plástico, sendo que 8 milhões foram parar nos oceanos. De acordo com a Universidade da Califórnia é preciso diminuir a produção de lixo plástico, estimular uma coleta adequada além de reciclar.

Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo, imagem de praia com lixo plástico
Plástico: é preciso reciclar e reduzir consumo

Algumas soluções

O estudo recomenda soluções para o problema. Afirma que as nações ricas precisam reduzir seu consumo de produtos descartáveis e embalagens de plástico, como sacolas. Já os países em desenvolvimento têm que melhorar o tratamento do lixo. A  pesquisadora Jenna Jambeck, da Universidade da Georgia, disse que

O crescimento econômico está ligado à geração de lixo. O crescimento econômico é uma coisa boa, mas o que você vê normalmente em países em desenvolvimento é que a estrutura de tratamento do lixo é deixada de lado. Isso faz algum sentido na medida em que eles estão mais focados em produzir água limpa e melhorar o saneamento. Mas não devem se esquecer desse tratamento porque os problemas só vão ficar piores.

17,5 milhões de toneladas de plástico nos oceanos até 2025

A equipe de pesquisadores estima que a quantidade de plástico jogada anualmente nos mares pode alcançar 17,5 milhões de toneladas até 2025. Isso significa que até lá 155 milhões de toneladas chegarão aos oceanos. O Banco Mundial estima que o patamar máximo de lixo produzido no mundo só será atingido em 2100.

O pesquisador Roland Geyer, da Universidade da Califórnia, que também participou do estudo, disse que

não é possível limpar o plástico dos oceanos. Fechar a torneira é a única solução. Como você recolheria o plástico do fundo dos oceanos considerando que a sua profundidade média é de 4,2 mil metros? Temos antes que evitar que o plástico chegue aos oceanos. A falta de sistemas de tratamento de lixo alimenta a entrada de plástico no oceano. Ajudar todos os países a desenvolver estruturas de tratamento é a mais alta prioridade

O Mar Sem Fim sempre busca trazer matérias e posts alertando sobre o perigo do plástico à vida marinha e a importância do consumo e do uso consciente, priorizando os 3 R´s- Reduzir, Reutilizar e Reciclar!

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here