Austrália consumida pelo fogo: a iminência do inferno

10
4791
views

Austrália consumida pelo fogo: ‘a iminência do inferno’

“O dia vira noite, quando a fumaça apaga a luz nos minutos apavorantes, antes que o brilho vermelho anuncie a iminência do inferno. Chamas saltando 200 pés no ar. Tornados de fogo. Crianças aterrorizadas no comando de botes, fugindo das chamas, refugiados em seu próprio país, a Austrália consumida pelo fogo…Cientistas estimam que quase meio bilhão de animais nativos foram mortos. E temem que algumas espécies possam ter sido completamente destruídas. Os animais sobreviventes abandonam seus filhotes no que é descrito como “eventos de fome em massa”. Pelo menos 19 pessoas estão mortas, 21, desaparecidas… Tudo isso, e a alta temporada de incêndios está apenas começando.”

imagem de satélite mostra Austrália em chamas

Editorial do New York Times

Os trechos entre aspas fazem parte de editorial do New York Times, escrito por Richard Flanagan, e publicado em 3 de janeiro de 2020. O ano começa mal…

Austrália: mandatários defendem indústria de combustíveis fósseis

Outros destaques do editorial do NYT: “E, no entanto, incrivelmente, a resposta dos líderes da Austrália a essa crise nacional sem precedentes não foi para defender seu país. Mas para defender a indústria de combustíveis fósseis, um grande doador para os dois principais partidos… Enquanto os incêndios explodiam em meados de dezembro, o líder do Partido Trabalhista da oposição fez um tour pelas comunidades de mineração de carvão, expressando seu apoio inequívoco às exportações. O primeiro ministro, o conservador Scott Morrison, saiu de férias para o Havaí…Desde 1996, sucessivos governos conservadores australianos lutam com sucesso para subverter os acordos internacionais sobre mudança climática em defesa das indústrias de combustíveis fósseis do país. Hoje, a Austrália é o maior exportador mundial de carvão e gás.”

Austrália contra mudanças climáticas

“Em grande parte, Morrison deve sua estreita vitória eleitoral no ano passado ao oligarca mineiro de carvão Clive Palmer, que formou um partido fantoche para manter o Partido Trabalhista – que estava comprometido com ações limitadas, mas reais, de mudança climática – fora do governo. O orçamento de publicidade de Palmer para a campanha foi mais do que o dobro dos dois principais partidos juntos. Palmer anunciou posteriormente planos para construir a maior mina de carvão da Austrália.”

Na Austrália também há negacionistas no poder

O poder não está em mãos de negacionistas só no Brasil. Se é que isso pode servir de consolo…E voltamos ao editorial: “Desde que Morrison, um ex-agente de marketing, foi forçado a voltar de férias e pedir desculpas publicamente, ele optou por gastar seu tempo criando imagens de si mesmo, posando com jogadores de críquete ou sua família. Ele é visto com muito menos frequência nas linhas de frente dos incêndios, visitando comunidades devastadas ou com sobreviventes. Morrison tentou apresentar os incêndios como uma catástrofe, como de costume, nada fora do comum.”

Semelhança com a reação do poder público no Brasil

Qualquer semelhança com a reação do poder público no Brasil, ante as queimadas da Amazônia, ou o derrame de óleo no Nordeste, não é mera coincidência. Infelizmente, o que mais se vê no mundo são líderes incapazes no comando de países importantes. Na América do Norte, Donald Trump retira seu país do Acordo de Paris. Aqui no Sul, Bolsonaro credita o fogo às ONGs, e seu ministro do Meio Ambiente espera 38 dias para por os pés no litoral infestado de óleo. Na Austrália, segundo o NYT, “o vice-primeiro-ministro Michael McCormack atribuiu os incêndios ao estrume de cavalo.”

Não, a tragédia que vivemos não é só ambiental. É de falta de capital humano igualmente.

Mais semelhanças da Austrália com a ‘Pátria Amada’

As semelhanças não param. Segundo o NYT, “Essa postura parece ser um cálculo político assustador: sem oposição efetiva de um Partido Trabalhista devido à perda das eleições e com a mídia dominada por Rupert Murdoch – 58% da circulação diária de jornais – por trás da negação climática, Morrison parece esperar que ele prevalecerá desde que não reconheça a magnitude do desastre que envolve a Austrália.” No Brasil, Bolsonaro e seu ministro do Meio Ambiente desfazem conselhos, demonizam ativistas, e desqualificam jornalistas. Do outro lado do mundo…NYT: “…Agora, seu governo tomou uma atitude autoritária perturbadora. Reprime sindicatos, organizações cívicas e jornalistas. De acordo com a legislação pendente na Tasmânia, espera-se que seja copiada em toda a Austrália, ativistas ambientais agora enfrentam até 21 anos de prisão por se manifestarem.”

‘Abririam as portas do inferno’

NYT: “Tais são aqueles que abririam as portas do inferno e levariam uma nação a cometer suicídio climático. Estima-se que mais de um terço dos australianos sejam afetados pelos incêndios. Por uma maioria significativa e crescente, os australianos querem ação sobre as mudanças climáticas. E agora estão fazendo perguntas sobre o crescente fosso entre as fantasias ideológicas do governo Morrison e a realidade de uma Austrália seca, que aquece rapidamente e queima…Hoje, na Austrália, um establishment político, esclerosado e demente com suas próprias fantasias, enfrenta uma realidade monstruosa que não tem capacidade nem vontade de enfrentar.”

‘Colapso da União Soviética: incêndios na Austrália ainda podem ser a Chernobyl da crise climática?’

A conclusão do NYT: “Como Mikhail Gorbachev, o último líder soviético, observou uma vez, o colapso da União Soviética começou com o desastre nuclear de Chernobyl em 1986. Na sequência dessa catástrofe, “o sistema como o conhecíamos se tornou insustentável”, escreveu ele em 2006 Será que a imensa tragédia, ainda em desenvolvimento, dos incêndios na Austrália ainda pode ser a Chernobyl da crise climática?”

Motivos dos incêndios na Austrália: dipolo positivo do Oceano Índico, um fenômeno semelhante ao El Niño

Quem explica é o https://www.cbc.ca/:”Como resultado do enfraquecimento dos ventos de oeste na região equatorial, a água quente do oceano profundo muda para a África a partir do Oceano Índico e a água fria sobe no leste. Para a Austrália, essa diferença de temperatura significa clima mais seco e quente para grande parte do continente.”

infográfico explica dipolo positivo do Oceano Índico
Ilustração: https://www.cbc.ca/.

Impressões digitais das mudanças climáticas

“No entanto, esse não é o único fator. O país está passando por condições de seca de longo prazo, mesmo quando não há um dipolo positivo. No leste da Austrália, que inclui Nova Gales do Sul, Queensland e Victoria, onde os incêndios são os piores, as chuvas foram as mais baixas já registradas…Como o resto do mundo, a Austrália está lidando com as consequências de um planeta em aquecimento. Desde 1910, a temperatura média do país aqueceu em 1° C. Dados preliminares do Bureau of Meteorology (BoM) da Austrália sugerem que em 2019 a temperatura anual naquele país estivesse 1,52° C acima da média.”

Austrália: um presságio para outros países

“O renomado climatologista Michael Mann, professor de ciências atmosféricas da Penn State University, esteve na Austrália durante os incêndios. Em um artigo de opinião  no Guardian, ele descreveu que o que está acontecendo na Austrália é um presságio para outros países – uma amostra de como será o nosso futuro se não agirmos agora”, disse Mann à CBC News. De particular preocupação para ele é a mina de carvão Adani planejada em Queensland (também conhecida como a mina Carmichael) que seria uma das maiores do mundo. E essa mina poderia liberar mais de 4,49 gigatoneladas anualmente de CO2 – o principal colaborador da crise climática. As emissões de dióxido de carbono estariam entre as “mais altas do mundo para qualquer projeto individual”, segundo um relatório conjunto de 2011 ao Tribunal de Terras de Queensland.”

A Antártica e os incêndios na Austrália

Prossegue a matéria do https://www.cbc.ca/: “Michael Mann, climatologista explica: A refletividade de um objeto é chamada albedo. No caso do gelo, sua superfície branca reflete a radiação solar e permanece fria. Mas se o gelo escurecer por algum motivo – digamos, se fuligem negra cair sobre ele – isso o aquece. Os incêndios na Austrália já mudaram o albedo das geleiras da Nova Zelândia. Se houver transporte para a Antártica … qualquer deposição de fuligem ou carbono preto no gelo significaria uma mudança no albedo e potencial aceleração do derretimento”.

E conclui o especialista: “O que o futuro reserva é muito pior na ausência de ações sobre o clima.”

Vivas aos negcionistas, e… aos ‘estrumes de cavalo’ no poder!

Fontes: https://www.nytimes.com/2020/01/03/opinion/australia-fires-climate-change.html?fbclid=IwAR101tKqWbKFLMmMCB_8PNXf_liNLOZohgYfUtEi2xEMSlAg4rgrU8SzS84; https://www.cbc.ca/news/technology/australia-bushfires-1.5414325?__vfz=medium%3Dsharebar&fbclid=IwAR0JNBq0buj6QHBp2Dik8Jk2DE9WLdqUQI_aSymdXPAl3jVZ4-klXwBjqOA.

Praias, lixo e virada de ano: educação vai muito mal

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

10 COMENTÁRIOS

  1. Apesar do cenário catastrófico, tudo está inserido no processo evolutivo. Do caos surgirá um planeta renovado e o novo homem não necessitará mais da carne, por isso não existirão doenças, mortes nem tampouco lágrimas.

  2. Admira-me a amnésia sempre seletiva, que faz ou quer fazer esquecer as muitas promessas do governo Lula quanto à salvação do Brasil pelo pré-sal, pelos combustíveis fósseis, sim, enquanto Dilma pronunciava seu discurso na ONU dizendo que o meio-ambiente era uma ameaça ao desenvolvimento… Lutar pelo planeta é uma coisa. Desvirtuar a verdade é outra…

  3. Cadê o Emanuel Lacron dizendo que tem que internacionalizar a Austrália? Cadê a Lacreta Thumberg dizendo que roubaram os sonhos dela? O incêndio na Austrália é maior do que o da Amazônia e da Califórnia juntos em 2.019 e a lacrosfera e os artistas estão caladinhos? Por que será?

    • desinformado: no Br se cometeu CRIME de desmatamentos e incendios criminosos propositais por ruralistas e fazendeiros e na Australia o criminoso é Deus pra eles? E no desastre climatico,? Pobres desconhecedores que só acusam no apoio a este demente governo

  4. Estes fenômenos sempre ocorreram. Deixem de apologias infames. Indústrias são necessárias para gerarem riquezas. O que é preciso fazer é terem mais cuidado e cuidarem dos protocolos de segurança contra a poluição.
    O mundo não vai acabar não. Somente loucos tem essa visão. Vamos viver ainda milhões de anos e os homens sempre se reinventarão para fazerem um mundo melhor. Eu acredito no homem sempre vou acreditar!

  5. A Australia é uma farsa absoluta:detem as mais rigidas leis do planeta sobre animais com dezenas de artistas americanos com seus pets retidos nos aeroportos e sequer salva especies em extinções das fogueiras sem nenhuma ação a respeito como na ilha canguru. Há milhares de denuncias de policia exterminando caes de ruas ou ate mesmo com donos mas sem registros ou autorizações e nada de salvar especies nativas. Um pseudo governo com falsa restrição, uma inutilidade absoluta pra fauna e ecologia: essa sim deveria ter sanções mundiais como os frances querem, mas nao por incendios e sim por omissao. Esses orgulhosos e arrogantes dementes, de nariz empinado, muito piores que os ingleses, preferem perder toda a mata incendiada que contratar refugiados e imigrantes da Asia,a maioria presa em jaulas de bichos, do que apagar seus incendios com essa mao de obra baratissima. O pais já é 95% de deserto e vao perder o pouco verde e fauna e pobres koalas por essa demente arrogância, de um povo que dá nojo de tao descerebrado que é, tratando os demais como bichos selvagens e eles se achando. Muitos desinformados acusam o incendios como aqui: no Br se cometeu CRIME de desmatamentos e incendios criminosos propositais por ruralistas e fazendeiros e na Australia o criminoso é Deus pra eles? E no desastre climatico,? Pobres desconhecedores que só acusam no apoio a este demente governo

  6. Caro amigo Tetsuo Shimura,

    É quase um pecado discordar de sua reflexão sobre o assunto. Porém, os Cristãos verdadeiros ou os que estudaram as escrituras Sagradas Como Nostradamus ou Sir Isaac Newton já haviam feito uma viagem semelhante nos feitos e efeitos do domínio do homem sobre a terra.
    Ao observarmos as palavras de Jesus Cristo em Mateus 24:7 onde diz: “Nação se levantará contra nação e reino contra reino, e haverá terremotos num lugar após outro”, somos levados a pensar em que tempos estamos vivendo. E novamente o Apóstolo São Paulo diz em sua carta Inspirada por Deus ao discípulo Timóteo sobre as condições humanas de nossos dias: “Mas saiba que nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de suportar. Pois os homens só amarão a si mesmos, amarão ao dinheiro, serão presunçosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, ferozes sem amor ao que é bom” (2 Timóteo 3:1-4).
    Dessa forma, recordo-me de uma frase dita pelo Tribuno Messalla ao seu ex grande Amigo Judah Bem-Hur: “Olhe para o ocidente, lá é o futuro”. A frase é apenas ema referencia biográfica!
    Noutro plano, a Bíblia nos incentiva a olhar para Deus em busca de explicações e iluminação.
    O Futuro da humanidade não será decidido pelo homem… mas, por Deus! E esse tempo que é chamado de “Últimos dias” está chegando ao seu fim. A intervenção Divina não tardará!
    A promessa de Deus é de que ” A tenda de Deus estará com a humanidade; Ele residirá com eles e eles serão o seu povo, e Jeová Deus enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais pranto, nem tristeza e nem mortes, as coisas anteriores… passaram!”. (Apocalipse 21; 3-4).

  7. É triste ver o ser humano colocar fogo na Austrália. E o governo não manda os bombeiros? Que país ruim é este? Cadê a defesa civil, os.voluntários? Parace o Brasil quando teve o derrame de óleo nas praiais. O governo não fez nada para evitar. Triste

  8. Posso ser um maluco, mas eu já perdi qualquer traço de esperança na espécie humana, pois em público dizemos amar ao próximo e a natureza, mas quando nos relacionamos com o vil metal deixamos qualquer racionalidade então, que o planeta todo se incendeie e extermine a especie mais predadora pelos próximos 250 milhões de anos para que o planeta possa se reinventar. Eu não lamentarei.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here