80% das emissões recentes de CO2 vêm de 57 fontes

0
740
views

80% das emissões recentes de CO2 vêm de 57 fontes

Por esta ninguém esperava. Pesquisadores, segundo a agência Reuters, descobriram que de 2016 a 2022, 80% das emissões recentes de CO2 vieram de 57 produtores de combustíveis fósseis e cimento. Esses dados estão no relatório Carbon Majors, elaborado pelo think tank sem fins lucrativos InfluenceMap. As três principais empresas de emissões de CO2 do mundo no período foram a estatal Saudi Aramco, a gigante estatal de energia russa Gazprom e a produtora estatal, Coal India. A Reuters informou que a Saudi Aramco se recusou a comentar. A Coal India e a Gazprom não responderam imediatamente aos pedidos de comentários. Por que será?

emissões de gases de efeito estufa .
Imagem, www.climate.co.ke.

O Acordo de Paris e a expansão da produção de combustíveis fósseis

O relatório descobriu que a maioria das empresas expandiu sua produção de combustíveis fósseis desde 2015. Este foi o ano em que quase todos os países assinaram na ONU o Acordo de Paris, comprometendo-se a tomar medidas para conter as mudanças climáticas em no máximo mais 1,5ºC. No entanto, hoje poucos especialistas acreditam que conseguiremos. Eles apostam numa subida de 2 a 2,5ºC.

Desse modo,  enquanto muitos governos e empresas estabeleceram metas de emissões mais duras e expandiram rapidamente as energias renováveis, estas 57 fontes aumentaram a produção de combustíveis fósseis, e/ou cimento.

O InfluenceMap disse que suas descobertas mostraram que um grupo relativamente pequeno de emissores é o responsável pela maior parte das emissões de CO2. O objetivo do trabalho é aumentar a transparência em torno de quais governos e empresas estavam causando mudanças climáticas.

O relatório serve para múltiplas situações

Daan Van Acker, gerente do Programa InfluenceMap, disse à Reuters que o relatório serve para vários  contextos. Por exemplo, ele é útil em processos legais para responsabilizar produtores de combustíveis fósseis e cimento. Também é importante para pesquisas acadêmicas para quantificar suas contribuições ao aquecimento global. Finalmente, também pode ser usado em campanhas de conscientização, e para investidores.

No mês passado, um agricultor belga citou uma edição anterior do banco de dados Carbon Majors em um processo legal contra a empresa francesa de petróleo e gás TotalEnergies. Vamos nos recordar que processar os maiores emissores de CO2 é uma ideia que veio à tona recentemente. Nós, por exemplo, mostramos que a Califórnia abriu um processo milionário contra petroleiras.

PUBLICIDADE

Banco de dados dos maiores emissores

A Reuters contou que o banco de dados foi lançado pela primeira vez em 2013 pela  Climate Accountability Institute. Ele combina os dados autorrelatados das empresas sobre a produção de carvão, petróleo e gás com fontes como os EUA, e outros.

Carroll Muffett, CEO do Centro de Direito Ambiental Internacional, disse que o banco de dados melhoraria a capacidade dos investidores e litigantes para rastrear as ações das empresas ao longo do tempo.

O Guardian destacou que um poderoso grupo de empresas, controladas pelo Estado ou multinacionais detidas por acionistas, é identificado como o principal impulsionador da crise climática, segundo a Carbon Majors Database.

Durante este período, o maior contribuinte para as emissões pertencentes aos investidores foi a ExxonMobil dos Estados Unidos. A empresa é a responsável por 3,6 gigatoneladas de CO2 ao longo de sete anos, ou 1,4% do total global. Logo atrás estavam Shell, BP, Chevron e TotalEnergies, cada uma das quais associada a pelo menos 1% das emissões globais.

Conheça o maior réptil marinho já descoberto

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here