A batalha de Trafalgar e a morte de Horatio Nelson

1
2940
views

A batalha de Trafalgar e a morte de Horatio Nelson

A batalha naval histórica ocorreu durante as Guerras Napoleônicas. Antes, em 1700, Inglaterra e França disputaram influência na Índia. Buscavam substituir Portugal, dominar o comércio de especiarias e expandir seus produtos. A Inglaterra venceu. Na Guerra dos Sete Anos (1756), a coligação britânico-prussiana derrotou a França, que perdeu o Canadá para a Grã-Bretanha e a Louisiana para a Espanha. Com Napoleão Bonaparte no poder em 1799, após a Revolução Francesa, as tensões entre Inglaterra e França intensificaram-se. A guerra interna na França alarmou outras monarquias, levando à formação da Primeira Coligação em 1793, com Áustria, Prússia, Holanda, Espanha e Inglaterra contra a França. Em 1804, Napoleão estabeleceu o Império Francês e começou sua expansão. Este cenário antecedeu a batalha de Trafalgar em 1805.

HMS Victory
HMS Victory, Estima-se que a nau capitânia de Nelson exigia 6.000 árvores, 90% delas. carvalhos. Imagem, JMW TURNER/WIKIMEDIA.

A Invasão da Inglaterra

Em 1804, um ano antes da batalha, Napoleão se coroou imperador em uma extravagante cerimônia na Catedral de Notre-Dame. Vestiu-se com cetim e diamantes, segurando o cetro de Carlos Magno. Usou um diadema de folhas de louro de ouro, imitando um imperador romano.

Napoleão Imperador

Preocupados com Napoleão, os britânicos agiram rápido. Em 1803, antes que ele pudesse fortalecer suas forças, a Inglaterra declarou guerra. Os franceses planejaram invadir a Grã-Bretanha rapidamente, antes que os britânicos formassem alianças com Rússia e Áustria.

Napoleão almejava a riqueza da Inglaterra e suas colônias para a França. Formou um exército de 167.000 homens, enorme para a época. O novo imperador tinha planos claros para quando capturasse Londres. Ele declarou: “Com a ajuda de Deus, vou pôr fim ao futuro e à própria existência da Inglaterra.”

Horatio Nelson

O Almirante Nelson é um dos maiores comandantes militares e um herói não convencional. Frequentemente desobedecia ordens superiores e tinha sucesso. Ingressou na marinha aos 12 anos, tornando-se capitão aos 20. Explorou o oceano Índico e fez uma expedição ao Ártico.

PUBLICIDADE

Horatio Nelson
Horatio Nelson por Lemuel Francis Abbott – National Maritime Museum. Imagem, Domínio Público.

Em 1794, perdeu um olho no cerco de Calvi. Lutou nas batalhas do Cabo de São Vicente e de Santa Cruz de Tenerife contra espanhóis aliados da França. Perdeu seu braço direito, mas capturou dois navios inimigos, ganhando o título de contra-almirante.

Com a guerra contra a França em 1793, Nelson comandou a Agamemnon. Foi encarregado de proteger aliados britânicos no Mediterrâneo e combater revolucionários em Toulon, incluindo Bonaparte.

Nelson era um estrategista brilhante e muitas vezes foi capaz de surpreender seus inimigos por táticas audaciosas. Na Batalha do Nilo, em 1798, sua ousadia e coragem surpreendeu completamente os franceses quando navegou seus navios entre a costa e a frota francesa.

As armas francesas que vigiavam a costa não estavam prontas para a ação, porque acreditava-se que Nelson não poderia atacar a partir dessa posição!

A batalha de Trafalgar
A batalha de Trafalgar na visão do pintor Nicholas Pocock .

Promovido a vice-almirante em 1801, Nelson comandou o ataque a Copenhague, destruindo a frota dinamarquesa, o que lhe rendeu o título de visconde. Tornou-se contra-almirante, foi sagrado cavaleiro e recebeu o comando da frota do Mediterrâneo.

Em 13 de setembro de 1805, Nelson, após dois meses de recuperação, foi convocado para combater as frotas francesa e espanhola aliadas em Cádiz. Ele partiu, sem saber que seria sua última batalha.

Nelson se preparou para enfrentar a poderosa esquadra franco-espanhola, ancorada perto do cabo de Trafalgar, logo acima do estreito de Gibraltar, na costa sudoeste da Espanha.

A construção da marinha britânica

Construtores de navios iniciaram a quilha do HMS Victory, famoso navio de Horatio Nelson, em julho de 1759, no estaleiro Chatham Dock no rio Medway, em Kent. A construção exigiu cerca de 6.000 árvores, 90% delas de carvalho, algumas com espessura superior a meio metro.

PUBLICIDADE

Essas árvores, com mais de 400 anos, presenciaram eventos históricos como a circum-navegação de Francis Drake e a destruição da Invencível Armada.

O Victory em ação.
O Victory em ação. Pintura de Monamy Swaine.

O HMS Victory, equipado com 100 armas e com capacidade para até 875 marinheiros, foi lançado ao mar em maio de 1765. Alguns historiadores atribuem a construção naval inglesa dos séculos XVIII e XIX como uma causa significativa do desmatamento nas Ilhas Britânicas.

Na Batalha de Trafalgar, a principal força de Nelson compreendia 8 navios de guerra de três conveses carregando mais de 90 armas cada. O enorme navio espanhol Santissima Trinidad carregava 120 armas e as armas de Santa Anna 112.

No final do século XVIII, a Marinha Britânica consumia 50.000 cargas de carvalho por ano, quase um quarto do total necessário no país, para manter seus estaleiros funcionando. A Grã-Bretanha então começou a construir navios em suas colônias, incluindo o Caribe, as Américas e a Índia.

Durante esse período, a Coroa enviava diplomatas aos países bálticos, ricos em madeira, para assegurar um suprimento contínuo de materiais navais para a Inglaterra. Simultaneamente, buscava negar esses recursos a inimigos marítimos como a França.

A batalha de Trafalgar

A campanha naval começou como parte do plano de Napoleão Bonaparte para invadir a Grã-Bretanha no verão de 1805. Napoleão precisava ganhar o controle do Canal da Mancha para permitir que seu grande exército o cruzasse. Ao mesmo tempo,  procurava uma oportunidade para atacar a Grã-Bretanha, sem ter que lutar contra Nelson e a Marinha Real.

A batalha de Trafalgar
A batalha de Trafalgar segundo Nicholas Pocock.

Para conseguir isso, ele ordenou que os três esquadrões da frota francesa bloqueados em Brest, Toulon e outros portos saíssem, se reunissem nas índias Ocidentais e depois retornassem como uma frota para ganhar o controle do Canal.

PUBLICIDADE

Em março, a esquadra do almirante Villeneuve em Toulon conseguiu escapar do bloqueio britânico, juntou-se a uma esquadra espanhola e partiu para as Índias Ocidentais. Nelson perseguiu-o na mais ousada de todas as suas campanhas.

Villeneuve  voltou para a Europa ao perceber que Nelson estava em seu encalço. Contudo, depois de uma pequena batalha ao largo do Cabo Finisterra, Villeneuve acabou bloqueado em Cádiz. 

Enquanto isso, Napoleão reconheceu que a invasão era agora impossível, então marchou com o seu exército para enfrentar a ameaça representada pela Áustria e pela Rússia no leste.

Saída de Villeneuve de Cádiz

A frota de 27 navios de Nelson esperava agora a saída de Villeneuve de Cádiz.  Em 1805, Nelson já era um herói nacional, considerado o comandante naval final. 

Nelson enfrentaria 33 navios da França e Espanha. No final de setembro, ele revelou seu plano aos capitães: dividiria a frota em duas colunas para romper a linha inimiga e dominar as seções central e traseira da frota adversária. O vice-almirante Lord Nelson pretendia envolver em uma emboscada a frota franco-espanhola no Cabo de Trafalgar, no sudoeste da Espanha.

Cadiz e cabo Trafalgar
Cadiz e cabo Trafalgar.

Em 19 de outubro, uma fragata britânica perto de Cádiz avistou a frota franco-espanhola deixando o porto. Essa frota incluía o Santissima Trinidad de 120 canhões, o maior navio do mundo na época. Villeneuve, o comandante francês, tinha ordens para invadir o Mediterrâneo.

Nelson antecipou cada movimento do inimigo

Nelson antecipou cada movimento do inimigo. Na manhã do dia 21, as frotas já estavam visíveis uma à outra. Ele formou sua frota em duas colunas para um ataque arriscado, expondo seus navios ao fogo inimigo. Sabendo que uma tempestade se aproximava, precisava agir rápido.

PUBLICIDADE

esquema da batalha de Trafalgar
O esquema da batalha de Trafalgar. Ilustração, www.britishbattles.com.

A frota britânica avançou em duas colunas diretamente contra os franceses. Nelson liderou a primeira, mirando no navio-almirante inimigo, enquanto a segunda coluna, comandada pelo almirante Cuthbert Collingwood, tinha o objetivo de desorientar e destruir os inimigos já confusos.

Trafalgar foi uma ação de frotas muito próximas. Navios manobraram até o inimigo e abriram fogo em uma distância de alguns metros.

“A Inglaterra espera que cada homem cumpra seu dever”

Enquanto seus navios se aproximavam do inimigo, Nelson percorreu o convés do HMS Victory, animando a tripulação. Ele havia enviado o famoso sinal: “A Inglaterra espera que cada homem cumpra seu dever.”

Por volta das 12h35, a linha inimiga côncava permitiu que o Victory abrisse fogo. Em seguida, ao se posicionar na popa do Bucentaure, navio-almirante francês, o Victory disparou uma salva dupla devastadora, ferindo ou matando mais de 200 homens. O almirante Villeneuve era o único de pé no convés do Bucentaure.

preparando os canhões
Arma em um navio da Marinha Real em ação. Imagem, www.britishbattles.com.

O Redoutable bloqueou o caminho do Victory, e Nelson se viu lutando contra três navios no meio da frota inimiga. Os franceses do Redoutable abordaram o Victory e iniciaram uma luta corpo a corpo, mas foram rechaçados.

A invasão do Victory.
A invasão do Victory pela tripulação do Redoutable. Imagem, E.S. Hodgson.

Mesmo assim, Nelson conseguiu desferir o golpe decisivo. Villeneuve foi capturado em um navio semidestruído, e o centro franco-espanhol mergulhou no caos.

Apesar de Nelson ter sido mortalmente ferido por volta das 13h15, a batalha continuou. A artilharia britânica, mais rápida e eficaz, desgastava constantemente as forças inimigas. Em três horas, a frota franco-espanhola começou a colapsar.

PUBLICIDADE

Pintura Nelson é atingido, no convés.
Nelson é atingido, no convés. Pintura de Denis Dighton, c. 1825. Domínio Público.

Villeneuve se rendeu

Às 14h15, o almirante Villeneuve se rendeu. A estratégia superior de Nelson, o poder da Marinha Real e a falha do esquadrão francês em prestar ajuda determinaram o fracasso de Villeneuve.

O Redoutable desmastreado começa a afundar.
O Redoutable desmastreado começa a afundar. Imagem, Auguste Mayer.

A vitória teve um alto custo: cerca de 1.700 britânicos mortos ou feridos, contra 6.000 vítimas inimigas e quase 20.000 prisioneiros. A tempestade que se seguiu à batalha aumentou as perdas, tanto de vidas quanto do navio-capitânia de Villeneuve.

Navios franceses na tempestade que se seguiu.
Navios franceses dispersos na tempestade que se seguiu. Imagem, www.britishbattles.com.

A morte de Horatio Nelson

Lord Horatio Nelson morreu baleado no auge da batalha, apesar da vitória inglesa. Preservaram seu corpo em álcool para a viagem de volta. Ele chegou ao Royal Hospital for Seamen, em Greenwich, agora o Old Royal Naval College, em 24 de dezembro de 1805.

Chegada da carruagem funerária do almirante Lord Nelson para internamento na Catedral de St. Paul, em Londres. Insígnias capturadas da frota espanhola e francesa durante a Batalha de Trafalgar estão penduradas nas galerias.Ilustração, Augustus Charles Pugin. Domínio Público.

Nelson é um dos mais cultuados heróis ingleses. Para Byron, ele era o “Deus da Guerra da Bretanha”. Foi enterrado na Catedral de São Paulo. O rei George III premiou com medalhas os oficiais superiores e capitães dos navios de linha de Trafalgar. Uma pesquisa feita em 2008 revelou que Nelson é o maior herói militar da Grã-Bretanha de todos os tempos.

A Batalha de Trafalgar cimentou a reputação da Grã-Bretanha como governante dos mares e demonstrou que a Marinha Real tinha superioridade em treinamento, profissionalismo e experiência em táticas navais que a diferenciavam de seus rivais. Em 1809 havia mais de 140.000 homens servindo em 732 navios. A partir deste ponto e até a Segunda Guerra Mundial, a marinha inglesa dominou os mares do planeta.

O HMS Victory foi remodelado  e preservado como uma relíquia. Ele ainda faz parte da Marinha Real e pode ser visitado no Portsmouth Historic Dockyard.

Fontes consultadas: Napoleon’s planned invasion of England: what went wrong?; Why the Battle of Trafalgar was so important for Britain; The Royal Navy’s war on trees; Horatio Nelson; Horatio Nelson, o Almirante Nelson; The Battle of Trafalgar 1805; The Battle of Trafalgar; Bataille de Trafalgar : victoire britannique du 21 octobre 1805; Battle of Trafalgar.

2023 o ano mais quente desde tempos pré-industriais

Comentários

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here