Trump começa declínio ambiental. E agora, como ficamos?

0
664
views

Trump começa  declínio ambiental mais cedo que esperávamos

Trump começa declínio ambiental: Atualizado às 21hs 05 de 31 de Maio de 2017.

‘Pittsburgh versus Paris’

O site do Estadão trouxe a matéria:

“O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, justificou, entre outros argumentos, a retirada do país do Acordo de Paris dizendo que foi eleito para “representar Pittsburgh e não Paris”, em uma referência à tradição da cidade da Pensilvânia na exploração de carvão. Minutos depois, ele foi repreendido no Twitter pelo prefeito da cidade, Bill Peduto, que se comprometeu a cumprir as metas do acordo”.

“A decisão do presidente fez também 50 prefeitos americanos se comprometerem a cumprir as metas voluntárias do pacto à revelia da decisão federal. Trump ainda foi criticado por empresas, como a Tesla, e pela União Europeia”.

Conferência Americana dos prefeitos é contra Trump

O Estadão diz que “a Conferência Americana dos prefeitos divulgou nota na qual manifestou sua “forte oposição” à saída dos Estados Unidos do acordo. Os prefeitos se comprometeram a manter os esforços para reduzir a emissão de poluentes de maneira voluntária”.

Mitch Landrieu, prefeito de New Orleans declarou:

O aumento do nível dos oceanos provocado pelas mudanças climáticas podem destruir Nova Orleans e outras cidades costeiras

Os Estados Unidos saem do Acordo de Paris, ‘uma conspiração global contra os USA’

O Mar Sem Fim já sabia que Trump, o estúpido- debiloide, tiraria os USA, segundo maior emissor, do Acordo de Paris. Uma das decisões mais cretinas do século! O inacreditável presidente  disse, entre outras bobagens, que “o Acordo de Paris é uma conspiração global contra os Estados Unidos”. Agora os país está ao lado da Síria e Nicarágua, os três únicos a ficarem de fora. Eles de uma lado, 194 países de outro. Bravos, Trump! Você conseguiu rebaixar o seu país. Shame on you!

Trump começa declínio ambiental, imagem de Donald Trump
Foto: Newsmax.com

Coice com ‘patas de pelúcia’

Imediatamente após a declaração, o mundo inteiro reagiu. Uma das melhores declarações foi a do presidente da França, Emmanuel Macron. Num discurso em inglês ele disse:

Os Estados Unidos deram as costas ao mundo. Mas a França não vai das as costas aos americanos…

Trump, o babaca- mór pode dar as mãos à Daniel Ortega, e Bashar al- Assad. Os três vão dançar ciranda- cirandinha…

O primeiro susto

 

Matéria do Estadão:

Trump manda agência ambiental excluir dados sobre aquecimento global

No corpo do texto

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, determinou nesta quarta-feira, 25, que a Agência de Proteção Ambiental retire de seu site na internet toda a informação disponível sobre o aquecimento global. A medida é a mais recente nos esforços do republicano de reverter a política ambiental do ex-presidente Barack Obama

Pode um absurdo destes?

Segue matéria original…

Nem completou uma semana como presidente e o fanfarrão Trump começa declínio ambiental. Ele jogou um banho de água fria no ambientalismo mundial. Numa canetada destruiu  anos de esforços para os Estados Unidos  assinarem acordos internacionais sobre medidas que diminuam o aquecimento.

Desde o protocolo de Kyoto (1997), cujo objetivo era a redução global das emissões em no mínimo de 5,2% entre 2008 e 2012, a decisão era esperada. Não há como fugir dela. É isso, ou isso.

Estudo de Armando Affonso de Castro Neto Mestrando em economia pelo CME / UFBA. Bolsista Capes, relembra que (item 2.3),

Até  2006, 163 países haviam ratificado o protocolo de Kyoto. Porém as perspectivas que dizem respeito às reduções não são positivas em decorrência da não adesão dos EUA, o maior poluidor da atmosfera.

Trump começa declínio ambiental e o Acordo de Paris, 2015

Finalmente em 2005 os USA entram no combate ao aquecimento assinando o  Acordo de Paris que reconhece que

…as mudanças climáticas representam uma ameaça urgente e potencialmente irreversível para as sociedades humanas e para o planeta…Reconhecendo ainda que serão necessárias reduções profundas nas emissões globais, a fim de alcançar o objetivo final da Convenção, e enfatizando a necessidade de urgência no combate às mudanças climáticas…

Trump começa declínio ambiental e a importância do Acordo de Paris

A imprensa comemora. Em setembro de 2016, ainda no período Obama, a BBC diz que

…Os Estados Unidos e a China – que, juntos, são responsáveis por 40% das emissões de carbono do mundo – anunciaram neste sábado que ratificarão, ou seja, adotarão oficialmente, o acordo global sobre o clima de Paris.

Acordo de Paris entra em vigor um ano depois de ter sido assinado. Alívio na academia…

Os cientistas que cansaram de prevenir sobre as perigosas consequências do aquecimento global comemoram. Em Janeiro de 2016, um ano depois de ter sido assinado por 195 países, o acordo entra em vigor em tempo recorde.

A Folha de S. Paulo recorda:

Seu antecessor, o Protocolo de Kyoto, levou oito anos para cumprir o mesmo feito

E destaca:

Da Alemanha à Índia, passando por Estados Unidos e Indonésia, a maioria dos países que apresentaram metas ambiciosas de cortes de emissões de carbono ainda tem políticas de continuidade com a economia baseada em energia fóssil

O mundo respira aliviado mas por pouco tempo…

Trump começa declínio ambiental logo depois de assumir a presidência dos USA

Em 25 de Janeiro de 2017 o jornal O Estado de S. Paulo destaca:

Trump diz a montadoras que normas ambientais estão ‘fora de controle’

E conclui:

Donald Trump deu os primeiros passos nesta terça-feira para reverter medidas de seu antecessor em outra área: o combate à mudança climática

Além de dar sinal verde para a construção de  dois gasodutos barrados por  Obama em razão da pressão de  grupos ambientalistas,  o jornal  diz  que,

…As decisões representam uma vitória para a indústria de energia que Trump prometeu incentivar com o fim de restrições para a exploração de petróleo, carvão e gás…

Trump  deu força justamente aos maiores vilões do aquecimento global: o uso excessivo de energia suja ou petróleo, carvão e gás. Um banho de água fria.

Licenças ambientais: Brasil e USA

Uma das reclamações coincidentes entre empresários, e outros setores da economia, brasileiros e dos USA, diz respeito às licenças ambientais. Aqui, como lá as grandes obras de infra-estrutura precisam deles para serem iniciadas. De acordo com o Estadão,

Trump também aprovou duas orientações que aceleram o processo de concessão ambiental para futuros oleodutos e outros projetos de infraestrutura

O jornal mais uma vez destacou a posição de Donald Trump, muito parecida com a de alguns setores da sociedade brasileira:

Isso é para acelerar o processo de permissão incrivelmente pesado, longo, horrível

É isso: com Trump começa declínio ambiental…

(Foto de abertura: blog.terischure.com)

Saiba mais sobre o Licenciamento ambiental no Brasil.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here