Se eleito, governador pode acabar com UC´s do Pará

0
463
views

Caso seja eleito, governador Helder Barbalho, do PMDB, pode reduzir Unidades de Conservação no Pará.

imagem UC Pará

Se você acompanha este site, sabe o quanto defendemos não só a manutenção e melhoria, como também o aumento das Unidades de Conservação Marinhas no Brasil. O país apresenta um cenário vergonhoso em que menos de 1,5% de nosso espaço marítimo é protegido através de Unidades de Conservação, ao contrário dos 17% a 20% da porção continental do país. 

Porém, as Unidades de Conservação continentais não são menos importantes e também devem ser preservadas, o contrário do que propõe Helder Barbalho, candidato ao governo do Pará pelo PMDB.

Helder Barbalho (PMDB) se comprometeu a revisar 5 unidades de conservação da região de Calha Norte, no Pará, caso seja eleito. A promessa foi feita durante reunião na cidade de Monte Alegre, em maio, e  confirmada na página oficial da deputada Josefina Carmo (PMDB), candidata à reeleição à Assembleia Legislativa do estado. De acordo com o texto da página oficial, as unidades criadas em 2006 criaram problemas ao desenvolvimento da região.

Como se sabe, o governo do Estado criou, no final de 2006, cinco unidades de conservação na sub-região da Calha Norte, incluindo áreas dos municípios de Almeirim, Prainha, Monte Alegre, Alenquer, Óbidos, Oriximiná e Faro, totalizando 12,8 milhões de hectares. São elas: as Florestas Estaduais (Flotas) Paru, Trombetas e Faro, a Reserva Biológica (Rebio) Maicuru e a Estação Ecológica Grão-Pará. As florestas são de uso sustentável; as demais, de proteção integral.

PUBLICIDADE

Proteger a imensa floresta existente acima da rodovia PA-254, na região Norte do Pará, era uma reivindicação de muitos líderes políticos e movimentos criados nos municípios da região. Eles denunciavam a grilagem de terras públicas, a ação predatória e ilegal de madeireiras e a depredação de muitos recursos naturais lá existentes em abundância, inclusive de animais silvestres.

Helder Barbalho concorda com a deputada que afirma que o atual governo resolveu criar as unidades sem qualquer consulta prévia à população, gerando problemas ao desenvolvimento da região.

No texto de seus compromissos prometidos, Josefina Carmo defende: “A revolta se deve a restrições de exploração de alguns recursos naturais que são importantes ao desenvolvimento regional e que estão em áreas incluídas nos limites das unidades de proteção integral, e não das Flotas. A ideia é redefinir os limites entre os mosaicos, permitindo que parte das hoje unidades de proteção integral sejam exploradas. A discussão será reaberta ano que vem, caso Helder Barbalho vença”.

Como deputada estadual, Josefina Carmo, buscou todos os canais governamentais para discutir a questão, promoveu audiência pública na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), conversou com o atual governador do Estado, sem sucesso.

Com a garantia dada pelo futuro governador do Pará, Helder Barbalho, essa discussão será reaberta a partir do próximo ano.

A  candidatura de Helder Barbalho (PMDB) já tem o apoio de 10 partidos, incluindo o PT e o DEM. O lançamento da candidatura contou com a ilustre presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 30 de junho e aval da presidente Dilma Rousseff, que desejou boa sorte a Barbalho.

Recentemente Mar Sem Fim alertou sobre a possibilidade de um projeto de lei acabar com as UC´s brasileiras.

Você acompanha e conhece mais sobre as Unidades de Conservação Marinhas no Brasil, na TV Cultura, durante a série Mar Sem Fim- Revisitando a Costa Brasileira. Todo domino às 19h.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here